Augusto de Campos: poesia de invenção e metamorfose do signo / Augusto de Campos: Invention Poetry and Sign Metamorphosis

Renata Sammer

Resumo


Resumo: Este artigo busca ampliar o conceito de “invenção” a fim de analisar a teoria do signo difundida pelas poéticas de invenção no Brasil, em particular pela poesia de Augusto de Campos. Para tanto, partirmos de algumas teorias da metáfora, questionando o modelo clássico de representação, como fizeram Benjamin, Blumenberg e Ricoeur, para então, incidindo sobre o signo tal como veiculado pela poética de invenção, demonstrar como a sua teorização, voltada a seu valor metamórfico, sugere ainda uma teoria da ficção. Mostrar-se-á como a poesia de invenção não se limita a relação lúdica de códigos sígnicos diversos, mas atua no limite da linguagem, nomeando o novo, exprimindo, como é marca dessa poética, o inefável. Isso porque a dimensão concreta da linguagem é recuperada, sem que para tanto seja preciso restringir a poesia de invenção à poesia concreta, como pode ser visto em alguns poemas de Augusto de Campos.

Palavras-chave: metáfora; poesia de invenção; teoria do signo; poesia concreta brasileira; Augusto de Campos.

Abstract: This article is focused on expanding the concept of “invention” in order to analyze the theory of signs spread by the poetics of invention in Brazilian poetry, particularly in the poetry of Augusto de Campos. Therefore, we initially consider some metaphor theories, questioning the classical model of representation, as did Benjamin, Blumenberg and Ricoeur, to demonstrate – as we approach the sign as understood by the poetics of invention – that a theory that emphasizes the metamorphic qualities of the sign suggests a theory of fiction. We will show that the poetry of invention does not limits itself to the play between different sign codes, but acts on the limit of language naming the new, expressing, as it is characteristic of this poetry, the ineffable. This because the concrete dimension of language is restored, although it does not restrain poetry of invention to concrete poetry, as can be seem in some poems of Augusto de Campos.

Keywords: metaphor; poetry of invention; sign theory; brazilian concrete poetry; Augusto de Campos.


Palavras-chave


metaphor; poetry of invention; sign theory; brazilian concrete poetry; Augusto de Campos; metáfora; poesia de invenção; teoria do signo; poesia concreta brasileira.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUILAR, Gonzalo Moises. Poesia concreta brasileira: as vanguardas na encruzilhada modernista. São Paulo: EDUSP, 2005.

ARISTÓTELES. Poética. Trad. Edson Bini. São Paulo: Edipro, 2011.

ARISTÓTELES. Retórica. Trad. Edson Bini. São Paulo: Edipro, 2011.

BENJAMIN, Walter. Origem do drama trágico alemão. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

BLUMENBERG, Hans. Paradigmes pour une métaphorologie. Paris: Librairie Philosophique J. Vrin, 2006.

BLUMENBERG, Hans. Teoria da não conceitualidade. Trad. Luiz Costa Lima. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

CAMPOS. Intradução: Salamandra de Gôngora. Musa Rara: Literatura e Adjacências, 3 jan. 2012. Disponível em: http://www.musarara.com.br/intraducao-salamandra-de-gongora. Acesso em: 28 jun. 2016.

CAMPOS, Augusto de. Bestiário para fagote e esôfago. In: ______. Poesia é risco: Antologia poético-musical de O rei menos o reino a Despoemas. Rio de Janeiro: Polygram, 1995.

CAMPOS, Augusto de. Despoesia (1979-1993). São Paulo: Perspectiva, 1994.

CAMPOS, Augusto de. Invenção: de Arnaut e Raimbaut a Dante e Cavalcanti. São Paulo: ARX, 2003.

CAMPOS, Augusto de. Não: poemas. São Paulo: Perspectiva, 2003.

CAMPOS, Augusto de. Poesia 1949-1979. São Paulo: Duas cidades, 1979.

CAMPOS, Augusto de. Poesia concreta: memória e desmemória. In: ______. Poesia, Antipoesia, Antropofagia. São Paulo: Companhia das Letras, 2015. p. 70-90.

CAMPOS, Augusto de. Pontos – periferia – poesia concreta. In: PIGNATARI, Décio; CAMPOS, Augusto de; CAMPOS, Haroldo de. Teoria da poesia concreta: textos críticos e manifestos (1950-1960). São Paulo: Duas cidades, 1975. p. 17-25.

CAMPOS, Augusto de. Verso, reverso, controverso. São Paulo: Perspectiva, 2009.

CAMPOS, Haroldo de. Metalinguagem e outras metas. São Paulo: Perspectiva, 2006.

CAMPOS, Haroldo de. O arco-íris branco: ensaios de literatura e cultura. Rio de Janeiro: Imago, 1997.

CAMPOS, Haroldo de. O sequestro do barroco na formação da literatura brasileira: o caso Gregório de Matos. São Paulo: Iluminuras, 2011.

CAMPOS. Intradução: Salamandra de Gôngora. Musa Rara: Literatura e Adjacências, 3 jan. 2012. Disponível em: http://www.musarara.com.br/intraducao-salamandra-de-gongora. Acesso em: 28 jun. 2016.

COSTA LIMA, Luiz. Duas aproximações ao não como sim. In: GUIMARÃES, Júlio Castañon; SÜSSEKIND, Flora. (Org.). Sobre Augusto de Campos. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa; 7 Letras, 2004. p. 116-129.

CURTIUS, Ernst Robert. European Literature and the Latin Middle Ages. New York: Bollingen Foundation, 1953.

DELEUZE, Gilles. Le Pli. Leibniz et le Baroque. Paris: Les Éditions de Minuit, 1988.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Produção de presença: o que o sentido não consegue transmitir. Trad. Isabel Soares. Rio de Janeiro: Contraponto, 2010.

ISER, Wolfgang. O fictício e o imaginário: perspectivas de uma antropologia literária, Rio de Janeiro: EDUERJ, 1996.

JAKOBSON, Roman. Essais de linguistique générale: rapports internes et externs du langage. Paris: Les Éditions de Minuit, 1973.

LIBRANDI-ROCHA, Marilia. “Pirlimpsiquice” e o teatro impossível de teatro. Revista USP, São Paulo, n. 72, p. 121-128, 2007.

LIBRANDI-ROCHA, Marilia. Maranhão – Manhattan: ensaios de literatura brasileira. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2009.

MAZZEO, Joseph Anthony. Metaphysical Poetry and the Poetic of Correspondence. Renaissance and Seventeenth-Century Studies, New York, p. 44-59, 1964.

MAZZEO, Joseph Anthony. A Seventeenth-Century Theory of Metaphysical Poetry. Renaissance and Seventeenth-Century Studies, New York, p. 29-43, 1964.

PEIRCE, Charles Sanders. Écrits sur le signe: rassembles, traduits et commentés par Gérard Deledalle. Paris: Seuil, 1978.

PIGNATARI, Décio. Informação, linguagem, comunicação. São Paulo: Perspectiva, 1968.

PIGNATARI, Décio. Poesia pois é poesia: 1950-2000. São Paulo: Ateliê Editorial, 2004.

PIGNATARI, Décio; CAMPOS, Augusto de; CAMPOS, Haroldo de. Teoria da poesia concreta: textos críticos e manifestos (1950-1960). São Paulo: Duas cidades, 1975.

POUND, Ezra. A arte da poesia: ensaios escolhidos. Tradução de Heloysa de Lima Dantas e José Paulo Paes. São Paulo: Cultrix, 1976.

RICOEUR, Paul. La métaphore vive. Paris: Éditions du Seuil, 1975.

SARDUY, Severo. O barroco e o neobarroco. In: AMÉRICA Latina em sua literatura. São Paulo: Perspectiva, 1986. p. 161-68.

SARDUY, Severo. Rumo à concretude. In: CAMPOS, Haroldo de. Signantia quasi coelum: Signância quase céu. São Paulo: Perspectiva, 1979. p. 117-126.

SISCAR, Marcos. A crise do livro ou a poesia como antecipação. In: STERZI, Eduardo. (Org.). Do céu do futuro: cinco esaios sobre Augusto de Campos. São Paulo: Marco, 2006. p. 115-135.

SOUSÂNDRADE, Joaquim de. O Guesa. São Luís: [s.n.], 1979. v. 302-304, p. 23.

SÜSSEKIND, Flora. Coro a um: notas sobre a “cançãonoturnadabaleia”. In: STERZI, Eduardo. (Org.). Do céu do futuro: cinco esaios sobre Augusto de Campos. São Paulo: Marco, 2006. p. 49-92.

SÜSSEKIND, Flora. Literatura e vida literária. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1985.

WÖLFFLIN, Heinrich. Renascença e Barroco: estudo sobre a essência do estilo barroco e a sua origem na Itália. São Paulo: Perspectiva, 1989.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.27.1.397-416

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Renata Sammer



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.