Mudança de mapa, mudança de território na comunidade imaginada de João Rosa

Marli de Oliveira Fantini Scarpelli

Resumo


Este trabalho pretende demonstrar que, na novela "Uma estória de amor", de João Guimarães Rosa, a geografia simbólica se desloca, provocando o esboroamento das noções holísticas de territoriedade. Ao encenar, na novela, uma travessia poética, João Rosa insere a paisagem cerrada do sertão no seu modelo de universo: um sertão multicultural, seu império suevo-latino. Na constelaridade vertiginosa da narrativa/festa/viagem, as estórias proliferam e se intercambiam umas às outras, nada deixando fixar. A comunidade imaginada do autor -a partir da negociação das diferenças -interrompe o continuum da cultura, inscreve-se numa cartografia imaginária, para inaugurar
um novo território.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.4.0.159-168

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 1996 Marli de Oliveira Fantini Scarpelli



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.