O ator Julien Sorel / The Actor Julien Sorel

Renan Ji

Resumo


Resumo: O artigo faz uma releitura do romance O vermelho e o negro, de Stendhal, considerando a teatralidade como fator temático e procedimento narrativo. Mais especificamente, procura ver como a metáfora do ator pode esclarecer o destaque que o personagem ficcional ganha na narrativa e a relação deste com aspectos histórico-sociais do romance realista do século XIX. O personagem surge como elemento de tensão com o panorama histórico do romance, pois se imbui de uma carga trágico-heroica que foge do universo cultural burguês e remete ainda para a visão de mundo do antigo regime monárquico. Dialogando com alguns textos críticos e teóricos que se debruçaram sobre a obra e sobre o problema do personagem, este texto procura compreender a especificidade relacionada ao indivíduo inserido no tempo e no espaço romanescos.

Palavras-chave: romance, história, teatralidade, ator, Stendhal.

Abstract: The essay analyses the novel The Red and the Black, by Stendhal, focusing on theatricality as thematic aspect as well as narrative procedure. More specifically, it investigates how the metaphor of the actor can clarify the importance of the fictional character in the narrative. The character conflicts with the historical background of the novel, in the sense that bares a heroic and tragic meaning that is strange to the bourgeois cultural universe, and much more akin to the Ancien Régime of monarchy. In dialogue with some critics and theoreticians that gave thought to Stendhal’s work, this essay seeks to understand such specificity related to the individual character in the categories of time and space of the historical novel.

Keywords: novel, history, theatricality, actor, Stendhal.


Palavras-chave


novel, history, theatricality, actor, Stendhal.

Texto completo:

PDF

Referências


ARTAUD, Antonin. O teatro e o seu duplo. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

AUERBACH, Eric. Na mansão de La Mole. In: ______. Mimesis. São Paulo, Perspectiva, 1987. p. 405-441.

CAMUS, Albert. Comédia. In: ______. O mito de Sísifo. Tradução de Ari Roitman e Paulina Watch. Rio de Janeiro: Record, 2004. p. 91-97.

CANDIDO, Antonio. Uma dimensão entre outras. In: ______. Brigada ligeira e outros escritos. São Paulo: UNESP, 1992. p. 187-196.

FIORENTINO, Francesco. A ambição: O vermelho e o negro. In: MORETTI, Franco (Org.). A cultura do romance. Tradução de Denise Bottmann. São Paulo: Cosac Naify, 2009. p. 493-502.

GINZBURG, Carlo. A áspera verdade: um desafio de Stendhal aos historiadores. In: ______. O fio e os rastros. São Paulo: Companhia das Letras, 2007. p. 170-188.

STENDHAL. O vermelho e o negro. São Paulo: Abril Cultural, 1979.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.28.1.163-180

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Renan Ji

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.