Deslocamentos e aleatoriedade de rumos das personagens em Aopção, ou As rosas da estrada, de Ozualdo Candeias / Displacement and randomness of character’s directions in Aopção, ou As rosas da estrada, by Ozualdo Candeias

Sissi Valente Pereira, Rosane Kaminski

Resumo


Resumo: O presente artigo propõe aproximações entre a perspectiva existencial das personagens do filme Aopção, ou As rosas da estrada (Ozualdo Candeias, 1981) e o contexto social brasileiro do seu período de produção, marcado por migrações internas, pela pobreza nas periferias dos grandes centros urbanos e pela falta de perspectivas sociais de indivíduos marginalizados. A constante perambulação das personagens, definida por infinitos deslocamentos e quase ausência de linhas de fuga, é aqui analisada em diálogo com um contexto social marcado por frustrações e pela busca insatisfeita de indivíduos migrantes que encontraram, ao fim do trajeto, a miséria e a violência nas periferias de São Paulo. Considera-se que, por meio do filme, Candeias se insere nos debates críticos sobre as vicissitudes do seu tempo.
Palavras-chave: Ozualdo Candeias; marginalidade; desfiliação social; perambulações no cinema moderno.

Abstract: This paper intends to propose a relationship between the existential perspectives of the characters from the movie A opção, ou As rosas da estrada (1981), by Ozualdo Candeias, and the Brazilian social context of the period, marked by internal migrations, by the poverty in the outskirts of large urban areas and by the lack of social perspectives of marginalized individuals. The constant rambling of the characters, defined by infinite displacements and the nearly absence of escape routes, is analyzed here as resulting from a social context marked by frustrations and by the unfulfilling search of migrant individuals who found, at the end of the journey, misery and violence in the outskirts of São Paulo. We argue that, through the movie, Candeias inserts himself in the critical debates on the vicissitudes of his time.
Keywords: Ozualdo Candeias; marginality; desafilié; ramblings in modern film industry


Palavras-chave


Ozualdo Candeias; marginality; desafilié; ramblings in modern film industry

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hanna. Origens do totalitarismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

BRUM, Mario Sergio. Ditadura Civil-Militar e favelas: estigma e restrições ao debate sobre a cidade (1969 a 1973). Cadernos Metrópole, São Paulo, v. 14, n. 28, p. 357-379, jul.-dez. 2012.

CARRETEIRO, Teresa Cristina. A doença como projeto: uma contribuição à análise de formas de afiliações e desafiliações sociais. In: SAWAIA, Bader (Org.). As artimanhas da exclusão. Petrópolis: Vozes, 2001. p. 87-96.

CASTEL, Robert. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. Petrópolis: Vozes, 2015.

DUARTE, André. Modernidade, biopolítica e violência: a crítica arendtiana ao presente. In: DUARTE, André; LOPREATO, Christina; MAGALHÃES, Marion Brepohl de (Org.). A banalização da violência: a atualidade do pensamento de Hanna Arendt. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2004. p. 35-54.

FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: Edusp, 2013.

GAMO, Alessandro Constantino. Aves sem rumo: a transitoriedade no cinema de Ozualdo Candeias. 2000. 99 f. Dissertação (Mestrado em Multimeios) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2000.

KLEIN, Herbert S.; LUNA, Francisco Vidal. População e sociedade. In: REIS, Daniel Aarão (Org.). Modernização, ditadura e democracia: 1964-2010. Rio de Janeiro: Objetiva, 2014. p. 31-73.

KOWARICK, Lúcio. A espoliação urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

REIS, Moura. Ozualdo Candeias: pedras e sonhos no Cineboca. São Paulo: Imesp, 2010.

SÃO Paulo tem 50 favelas e a maior ainda é a do Vergueiro. Folha de São Paulo/Ilustrada, São Paulo, p. 18, 4 jan. 1966.

SINGER, Paul. O processo econômico. In: REIS, Daniel Aarão (Org.). Modernização, ditadura e democracia: 1964-2010. Rio de Janeiro: Objetiva, 2014. p. 183-231.

TASCHNER, Suzana Pasternak. Favelas em São Paulo: censos, consensos e contra-sensos. Cadernos Metrópole, n. 5, p. 9-27, 2001.

TELES, Angela Aparecida. Cinema e cidade: mobilidade, oralidade e precariedade no cinema de Ozualdo Candeias (1967-92). 2006. 236 f. Tese (Doutorado em História Social) –Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2006.

UCHÔA, Fábio Raddi. Perambulação, silêncio e erotismo nos filmes de Ozualdo Candeias (1967 a 1983). 2013. 166 f. Tese (Doutorado em Ciência da Comunicação) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

VÊRAS, Maura Pardini Bicudo. Exclusão social: um problema de 500 anos. In: SAWAIA, Bader (Org.). As artimanhas da exclusão. Petrópolis: Vozes, 2001. p. 27-51.

WANDERLEY, Mariangela Belfiori. Refletindo sobre a noção de exclusão. In: SAWAIA, Bader (Org.). As artimanhas da exclusão. Petrópolis, Vozes, 2001. p. 16-26.

XAVIER, Ismail. Alegorias do subdesenvolvimento: cinema novo, tropicalismo, cinema marginal. São Paulo: Cosac Naify, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.28.2.137-156

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Sissi Valente Pereira, Rosane Kaminski

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.