A representação do negro em sociedades escravocratas das Américas: história, literatura e artes visuais / Negroes Representation in Slavocratic Americans Societies: History, Literature and Visual Arts

Solange Ribeiro de Oliveira

Resumo


Resumo: Apoiado no testemunho de artistas e historiadores, o artigo argumenta que o objeto artístico pode atuar tanto para reforçar quanto para contestar tradições incrustadas na memória coletiva das nações. Nesse sentido, analisa o papel da arte visual como tão importante quanto o de documentos escritos da história e da literatura. A título de exemplo, focalizam-se diferentes formas de representação do negro em sociedades escravocratas, começando com a pintura oitocentista de Jean-Baptiste Debret. Segue-se a análise da função da fotografia, que, inventada no mesmo século, mostrou-se igualmente enredada nos fatos sociais. Nas artes contemporâneas, o trabalho destaca a atuação contestadora de Fred Wilson, artista e historiador norte-americano, de Adriana Varejão e dos poetas Márcio Barbosa e Oliveira Silveira.

Palavras-chave: representação do negro; sociedades escravocratas; fotografia.

Abstract: Relying on the testimony of artists and historians, the article argues that artistic objects can contribute both to reinforce and to contest traditions enshrined in the collective memory of nations. The text recalls the role of visual arts as no less important than that of written documents. For instance, it focuses on different forms of representing negroes in slavocratic societies, starting with the nineteenth-century work of Jean-Baptiste Debret, following an analysis of the role of photography, art that was invented in the same century which proved equally intertwined with social facts. In contemporary art, the article discusses the contesting function of the North-American artist and historian Fred Wilson´s work, as well as that of Adriana Varejão and of poets Márcio Barbosa and Oliveira Silveira.

Keywords: representations of negroes; slavocratic societies.


Palavras-chave


representação do negro; sociedades escravocratas; fotografia; representations of negroes; slavocratic societies.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERTI, Leon Battista. On Painting. Tradução, introdução e notas de John R. Spencer. rev. New Haven, CT: Yale University Press, 1966. Book II, p. 62-85.

ALENCASTRO, Luiz Felipe. Epílogo. In: ______. História da vida privada no Brasil Império: a corte e a modernidade nacional. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. v. 2, p. 468-469.

BANDEIRA, Manuel. Gilberto Freyre, poeta. In: GILBERTO Freyre: sua ciência, sua filosofia, sua arte. Ensaios sobre o autor de Casa-grande & senzala, e sua influência na moderna cultura do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 1962. p. 79-84.

BANDEIRA, Manuel. Irene no céu. In: . Libertinagem: poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Editora Nova Aguilar, 1986. p. 220.

BARBOSA, Márcio. O que não dizia o poeminha do Manuel. Cadernos Negros, São Paulo, v. 15, p. 64, 1992.

CHALITA, Pierre. Nega fulô. Pintura, óleo sobre tela. Publicado por blogmundoa no Instagram, 3 jun. 2016. Disponível em: https://www. instagram.com/p/BGQiQAdtA5I/. Acesso em: 23 maio 2017.

COELHO, Maria Beatriz. Imagens da nação: brasileiros na fotodocumentação de 1940 até o final do século XX. Belo Horizonte: Editora UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, Edusp, 2012. p. 19-31.

DEBRET, Jean-Baptiste. Castigo de escravo. Pintura. Disponível em: http://historiahoje.com/wp-content/uploads/2014/06/0021.jpg. Acesso em: 30 abr. 2018.

DEBRET, Jean-Baptiste. Pelourinho. 1835. Pintura, aquarela. Disponível em: https://rrupta.files.wordpress.com/2012/10/pelourinho-jean-baptiste-debret.jpg. Acesso em: 23 fev. 2018.

DEBRET, Jean-Baptiste. Um jantar brasileiro. 1827. Pintura. Disponível em: http://3.bp.blogspot.com/-_gbSllND7bM/TpVoKzTPedI/

AAAAAAAAAHU/QWZ6FA_G3Xc/s1600/JantarBrasil.jpg. Acesso em: 24 mar. 2018.

DESAI, Dipti; HAMLIN, Jessica; MATTSON, Rachel. History as Art, Art as History: Contemporary Art and Social Studies Education. New York: London: Routledge, 2010.

FILHO bastardo. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de arte e cultura brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Verbete da enciclopédia. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/obra9053/filho- bastardo. Acesso em: 10 fev. 2018.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande & senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 48. ed. Recife: Fundação Gilberto Freyre, 2003.

FREYRE, Gilberto. Sobrados e mucambos: decadência do patriarcado rural e desenvolvimento do urbano. 1. ed. digital. São Paulo: LeLivros. link, 2013.

INSTALLATION view: “Cabinetmaking, 1820-1960”. Maryland Historical Society. Baltimore, [c1992-1993]. Disponível em: http://www.

mdhs.org/digitalimage/installation-view-cabinetmaking-1820-1960. Acesso em: 30 abr. 2018.

LEITE, Miriam Moreira. Retratos de família. 3. ed. São Paulo: EDUSP, 2001.

LIMA, Jorge de. Essa nega fulô. In: ______. Poemas negros. Rio de Janeiro: Alfaguara, 2016, p. 25.

LINS, Osman. Breve contribuição a um possível estudo acerca da influência de Gilberto Freyre sobre a literatura brasileira. In: GILBERTO Freyre: sua ciência, sua filosofia, sua arte. Ensaios sobre o autor de Casa- grande & senzala, e sua influência na moderna cultura do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 1962. p. 306-311.

MAUAD, Ana Maria. Imagem e auto-imagem do Segundo Reinado. In: ALENCASTRO, Luiz Felipe (Org.). História da vida privada no Brasil Império: a corte e a modernidade nacional. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. v. 2, p. 181-245.

MÜLLER, Jürgen E. Intermidialidade revisitada: algumas reflexões sobre os princípios básicos desse conceito. In: DINIZ, Thaïs Flores Nogueira; VIEIRA, André Soares (Org.). Intermidialidade e estudos interartes: desafios da arte contemporânea. Belo Horizonte: Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários, Faculdade de Letras da UFMG, 2012.

v. 2, p. 75-95.

PAZETO, Elizabete. Instalação na arte contemporânea. Arte para Todos,

jul. 2017. Disponível em: https://betedeartes.blogspot.com/2015/03/instalacao-na-arte-contemporanea.html. Acesso em: 30 abr. 2018.

PONTES, Heloisa. Introdução. In: COELHO, Maria Beatriz. Imagens da nação: brasileiros na fotodocumentação de 1940 até o final do século XX.

Belo Horizonte: Editora UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, Edusp, 2012. p. 19-31.

PORTELLA, Eduardo. Gilberto Freyre e a renovação do romance brasileiro. GILBERTO Freyre: sua ciência, sua filosofia, sua arte. Ensaios sobre o autor de Casa-grande & senzala, e sua influência na moderna cultura do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 1962. p. 400-404.

SILVEIRA, Oliveira. Outra nega fulô. Cadernos negros: os melhores poemas, São Paulo, p. 109-110, 1998.

SLENES, Robert W. Senhores e subalternos no Oeste paulista. ALENCASTRO, Luiz Felipe (Org.). História da vida privada no Brasil Império: a corte e a modernidade nacional. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. v. 2, p. 233-306.

STILES, Kristine. Language and Concepts. In: STILES, Kristine; SELZ, Peter (Ed.). Theories and Documents of Contemporary Art: A Sourcebook

of Artist´s Writings, Berkerley, Los Angeles: University of California

Press, 1996. p. 804-816.

STRAUB, Julia. Nineteenth-century Literature and Photography. In: RIPPLE, Gabrielle (Ed.). The Handbook of Intermediality: Literature,

Image, Sound, Music. Boston, Beijing: De Gruyer Mouton, 2015. p. 152-

Doi: https://doi.org/10.1515/9783110311075-010

VERMEER, Johannes. The Art of Painting. [entre 1662 e 1668]. Pintura, óleo sobre tela, 120 x 100 cm. Disponível em: http://www.essentialvermeer.com/catalogue_xl/xl_art.html#.XApfPGhKiM8. Acesso em: 20 fev. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.28.4.47-63

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Solange Ribeiro de Oliveira

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.