Perspectivas para uma metaforologia da antropofagia: Blumenberg, Montaigne e Oswald de Andrade / Perspectives for an Anthropophagy’s Metaphorology: Blumenberg, Montaigne and Oswald de Andrade

Patricia Gissoni de Santiago Lavelle

Resumo


Resumo: Ao examinar a antropofagia modernista do ponto de vista de um novo instrumental teórico-metodológico, a metaforologia de Hans Blumenberg, percebe-se que o próprio objeto do estudo crítico-literário se reconfigura. Compreendida como uma metáfora, a antropofagia aparece como uma rede intertextual complexa que se transforma historicamente, atravessando diferentes discussões. Inversamente, uma leitura crítica da metáfora antropofágica permite esclarecer aspectos significativos do próprio instrumento teórico-metodológico, estabelecendo pontes entre metaforologia e antropologia.

Palavras-chave: metaforologia; antropofagia; modernismo brasileiro; Blumenberg; Montaigne; Oswald de Andrade.

Abstract: When we analyse the Brazilian modernist anthropophagy through the perspective of a new theoretical and methodological apparatus, that is Hans Blumenberg’s metaphorology, the object of the critical literary studies changes. Accounting the modernist anthropophagy as a metaphor, it becomes a complex intertextual web that changes historically and goes through several discussions. On the other hand, a critical investigation of the anthropophagic metaphor allows us to analyse some interesting aspects of the methodological instrument itself. It also permits us to relate metaphorology to anthropology.

Keywords: metaphorologie; antropophagie; brazilian modernism; Blumenberg; Montaigne; Oswald de Andrade.


Palavras-chave


metaforologia; antropofagia; modernismo brasileiro; Blumenberg; Montaigne; Oswald de Andrade; metaphorologie; antropophagie; brazilian modernism.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, M. Ensaio sobre a música brasileira. São Paulo: Vila Rica; Brasília: INL, 1972.

ANDRADE, O. A Utopia Antropofágica. São Paulo: Editora Globo, 2011. (Obras completas: Oswald de Andrade).

ANDRADE, O. Poesia Pau-Brasil. In: ______. Poesias reunidas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1974. (Obras Completas: v. VII).

BLUMENBERG, H. Schiffbruch mit Zuschauer. Frankfurt/Main: Suhrkamp, 1979.

BLUMENBERG, H. Teoria da não-conceitualidade. Tradução de Luiz Costa Lima. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2015.

BOURIAU, C. Qu’est-ce que l’imagination ? Paris: Vrin (Chemins Philosophiques), 2003.

FREUD, S. Totem und tabu: Einige Übereinstimmungen im Seelenleben der Wilden und der Neurotiker. Londres: Imago, 1940.

GRAÇA ARANHA, J. P. A Esthetica da vida. Rio de Janeiro: Livraria Garcia, 1921.

JARDIM DE MORAIS, E. A brasilidade modernista: sua dimensão filosófica. Rio de Janeiro, Graal, 1978.

JARDIM DE MORAIS, E. Eu sou trezentos. Mário de Andrade: vida e obra. Rio de Janeiro: Edições de Janeiro, 2015.

MONTAIGNE, M. Essais. In: ______. Œuvres complètes. Paris: Gallimard, 1967. (Bibliothèque de la Pléiade).

NIETZSCHE, F. Segunda consideração intempestiva: da utilidade e desvantagem da história para a vida. Tradução de Marco Antônio Casanova. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003.

VIVEIROS DE CASTRO, E. Metafísicas canibais – elementos para uma antropologia pós-estrutural. São Paulo: n-1 Edições, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.29.3.133-149

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Patricia Gissoni de Santiago Lavelle

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.