História do futuro e a profecia do passado: o pensamento profético de Padre Antônio Vieira face aos autores antigos e modernos

Marcus Martini

Resumo


Resumo: Espalhado em vários de seus sermões e obras, o pensamento profético do padre Antônio Vieira tem sido cada vez mais alvo de estudos. Intimamente relacionado a determinado período da história portuguesa – a perda da autonomia para a Espanha e a sua posterior Restauração – o pensamento profético vieirino foi forjado a partir de uma vasta fonte de referências, tanto canônicas, quanto não canônicas. A partir disso, o objetivo do presente trabalho é analisar a interpretação de Vieira das profecias veterotestamentárias, como também dos oráculos sibilinos, procurando destacar seu procedimento exegético. Para isso, busca-se relacionar a leitura de Vieira da Quarta Écloga de Virgílio e das profecias de Isaías, em sua obra História do futuro. Mesmo que o procedimento interpretativo de Vieira seja baseado em textos da Antiguidade, isso causa uma posição antagônica para o intérprete, haja vista a novidade de sua interpretação. Procura-se mostrar então que esse contraponto entre os autores antigos e modernos é emblemático, resultando não apenas de uma particular concepção político-teológica de mundo, mas também dos avanços do conhecimento que irromperam principalmente a partir dos séculos XVI e XVII.

Palavras-Chave: Padre Antônio Vieira; Virgílio; profecia.

Abstract: Spread among several of his sermons and other works, Father Antonio Vieira’s prophetic thought has increasingly been a focus of studies. Strongly related to certain period of Portuguese History – the lost of the autonomy to Spain and its ulterior Restoration – Vieira’s prophetic thought was forged over a vast source of canonical and non-canonical references. Thus the objective of this article is to analyze Vieira’s interpretation of Old Testament prophecies and sibylline oracles aiming at the understanding of his exegesis. Therefore, we try to associate Vieira’s reading of Virgil’s Fourth Eclogue to Isaiah’s prophecies in his História do Futuro. Though Vieira’s interpretative procedure is based on texts from Antiquity, it causes an antagonistic position to the interpreter due to the novelty of the very interpretation. So we try to show that this counterpoint between ancient and modern authors is emblematic as a result not just of a particular political and theological framework of the world, but also as a result of the advancements of knowledge that took place from the 16th and 17th centuries.

Keywords: Father Antonio Vieira; Virgil; prophecy.


Palavras-chave


Padre Antônio Vieira; Virgílio; profecia; Father Antonio Vieira; Virgil; prophecy.

Texto completo:

PDF

Referências


AUERBACH, Erich. Figura. São Paulo: Ática, 1997. 86 p.

AUERBACH, Erich. Mimesis: a representação da realidade na literatura ocidental. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 1994. 507 p.

BRAGA-PINTO, César. As promessas da História: discursos proféticos e assimilação no Brasil Colonial (1500-1700). São Paulo: EDUSP, 2003. 221 p.

BESSELAR, José Van den. António Vieira: o homem, a obra, as ideias. Amadora, Portugal: Bertrand, 1981. 109 p.

BESSELAR, José Van den. Antônio Vieira. Profecia e polêmica. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2002. 506 p.

BÍBLIA SAGRADA. Edição popular. Tradução da Vulgata de Padre Matos Soares. São Paulo: Edições Paulinas, 1977. 1.357 p.

CLAUSEN, Wendell. Virgil’s Messianic Eclogue. In: KUGEL, James L. (Ed.). Poetry and Prophecy. New York, USA: Cornell University Press, 1990. p. 65-74.

COMPAGNON, Antoine. Os cinco paradoxos da modernidade. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1996. 139 p.

EUSEBIUS PAMPHILIUS. Church History, Life of Constantine, Oration in Praise of Constantine. Disponível em: http://www.ccel.org/ccel/schaff/npnf201.iv.vii.xix.html?highlight=virgil# highlight. Acesso em: 16 jan. 2009.

GILSON, Étienne. O espírito da filosofia medieval. São Paulo: Martins Fontes, 2006. 591 p.

HANSEN, J. A. Alegoria: construção e interpretação da metáfora. São Paulo: Hedra; Campinas: Editora da Unicamp, 2006. 230 p.

HERMANN, Jacqueline. Antônio Vieira e o Sebastianismo: messianismo régio e transfiguração barroca. In: COSTIGAN, L. H. (Org.). Diálogos da conversão. Campinas: Editora da Unicamp, 2005. p. 99-121.

KALLENDORF, Craig. From Virgil to Vida: The Poeta Theologus in Italian Renaissance Commentary. Journal of the History of Ideas, University of Pennsylvania Press, v. 56, n. 1, p. 41-62, Jan. 1995.

MARQUES, A. H. de Oliveira. História de Portugal. Lisboa: Palas, 1978. 697 p. (v. 1).

MUHANA, Adma. O processo inquisitorial de Vieira: aspectos profético-argumentativos. Revista Semear 2. Disponível em: http://www.letras.puc-rio.br/Catedra/revista/ 2Sem_02.html. Acesso em 16 jan. 2009.

ROSSI, Paolo. O nascimento da ciência moderna na Europa. Bauru: EDUSC, 2001. 494 p.

VIEIRA, Antonio. Clavis Prophetarum. Livro III (ed. crítica, fixação do texto, trad., notas e glossário de Arnaldo Espírito Santo segundo projeto iniciado com Margarida Vieira Mendes). Lisboa: Biblioteca Nacional, 2000. 745 p.

VIEIRA, Antonio. Defesa perante o Tribunal do Santo Ofício. (Introdução e notas de Hernâni Cidade). Bahia, Universidade da Bahia, 1957. Tomo 1 (XL-342) e 2 (XXII-396).

VIEIRA, Antonio. História do futuro. Brasília: EdUnB, 2005. 528 p.

VIRGÍLIO. Bucólicas. Trad. Zélia de Almeida Cardoso. In: NOVAK, Maria da Gloria; NERI, Maria Luiza (Org.). Poesia lírica latina. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003. p. 39-59.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.19.4.149-162

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2009 Marcus Martini



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.