Um espectador ordinário entre a crítica e a representação

Carlos Magno Camargos Mendonça

Resumo


Resumo: O artigo1 aborda o aspecto crítico do teatro ou o teatro crítico que Gilles Deleuze descreveu em “Um manifesto de menos”. Ao se debruçar sobre as formas teatrais de Carmelo Bene, Deleuze argumenta que o teatro crítico é um produtor do novo, dotado de uma crítica que é, por definição, constituinte. Tal operação funciona a partir de uma alteração na forma teatral: o teatro tornado um teatro da não representação. Para evitarmos o risco de simplesmente abandonarmos um termo- chave do teatro ao incorporarmos os princípios de Deleuze à análise teatral, buscamos ao longo do artigo compreender alguns dos múltiplos modos de funcionamento da representação; investigar em que medida os elementos sub-representativos se conectam a ela; bem como perceber a interligação do espectador aos mundos possíveis criados na relação entre performance e encenações que têm o teatro crítico como horizonte.

Palavras-chave: teatro crítico; representação; performance; espectador.

Resumen: El artículo se trata sobre el aspecto crítico del teatro o el teatro crítico que Gilles Deleuze describió en “Un manifiesto de menos”. Cuando discute acerca de las formas teatrales de Carmelo Bene, Deleuze argumenta que el teatro crítico es un productor de lo nuevo, dotado de una crítica que es, por definición, constituyente. Dicha operación funciona a partir de una alteración en la forma teatral; el teatro convertido en un teatro de la no-representación. Para evitar el riesgo de simplemente abandonar un término clave del teatro al incorporar los principios de Deleuze al análisis teatral, buscamos a lo largo del trabajo comprender algunas de las múltiples formas de funcionamiento de la representación, investigar en qué medida los elementos sub representativos se conectan a ella; así como observar la interconexión del espectador a los mundos posibles creados dentro de la relación que se establece entre performance y montaje y que tiene el teatro crítico como horizonte.

Palabras-clave: teatro crítico; representación; performance; espectador.


Palavras-chave


teatro crítico; representação; performance; espectador; representación.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Márcio Aurélio Pires de. A encenação no teatro pós-dramático in Terras Brasilis. In: GUINSBURG, J.; FERNANDES, Silvia (Org.). O pós-dramático. São Paulo: Perspectiva, 2008.

ALTER, Jean. A sociosemiotic theory of theatre. Pennsylvania: University of Pennsylvania Press, 1990.

BARTHES, Roland. Escrito sobre teatro. Trad. Mário Laranjeira. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

CARDOSO, Irene A. R. Foucault e a noção de acontecimento. Revista de Sociologia USP, São Paulo, v. 7, n. 1-2, p. 53-66, out. 1995.

CARLSON, Marvin. Performance: uma introdução crítica. Trad. Thaïs Flores Nogueira Diniz e Maria Antonieta Pereira. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

COURTÉS, J.; GREIMAS, A. J. Dicionário de semiótica. Trad. Alceu Dias Lima et al. São Paulo: Contexto, 2008.

DAWSEY, John. C. Victor Turner e antropologia da experiência. Cadernos de Campo, São Paulo, USP, n. 13, p. 163-176, 2005.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. Trad. Luiz Orlandi e Roberto Machado. Lisboa: Relógio D’Água, 2000.

DELEUZE, Gilles. Sobre o teatro. Trad. Fátima Saadi, Ovídio de Abreu e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2010.

HEGEL, G. W. F. Cursos de estética I. Trad. Marco Aurélio Werle. São Paulo: Edusp, 1999.

LEHMANN, Hans-Thies. Teatro pós-dramático. Trad. Pedro Sussekind. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

LINS, Daniel. Juízo e verdade em Deleuze. São Paulo: Annablume, 2004.

MACHADO, Roberto. Introdução. In: DELEUZE, G. Sobre o teatro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2010.

MORA, J. Ferrater. Dicionário de filosofia. Tomo IV (Q-Z). São Paulo: Edições Loyola, 2001.

ORLANDI, L. B. L. Prefácio. In: LINS, Daniel. Juízo e verdade em Deleuze. São Paulo: Annablume, 2004. p. 9-12.

PAVIS, Patrice. Dicionário de teatro. Trad. Maria Lúcia Pereira et al. São Paulo: Perspectiva, 1999.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível. Trad. Mônica Costa Netto. São Paulo: Editora 34, 2009.

RETONDAR, Jeferson J. M. Jogo e teatro: a arte das representações na trama significativa entre o sagrado e o profano. Impulso – Revista de Ciências Sociais e Humanas. Piracicaba: Editora Unimep, 2005. p. 37-52.

ROUBINE, Jean-Jacques. A linguagem da encenação teatral. Trad. e prefacio Yan Michalski. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor. 1998.

UBERSFELD, Anne. Para ler o teatro. Trad. José Simões Almeida Júnior (Coord.). et al. São Paulo: Perspectiva, 2005.

VASCONCELLOS, Jorge. O pensamento e a cena: teatro e filosofia em Gilles Deleuze. Aisthe, n. 3, 2008. Disponível em: http://www.ifcs.ufrj.br/~aisthe/vol%20II/ JORGE.pdf. Acesso em: 25 maio 2010.

VOLLI, Ugo. Manual de semiótica. São Paulo: Edições Loyola, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.21.1.37-51

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2011 Carlos Magno Camargos Mendonça



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.