Subjetivação e olhar na escrita de Georges Perec e Manoel de Barros / Subjectification and Looking in Georges Perec and Manoel de Barros’s Writings

Rodrigo Ielpo

Resumo


Resumo: No livro Penser/classer, Georges Perec nos fala de um olhar oblíquo, olhar que encontramos também no livro Memórias inventadas, de Manoel de Barros. Na poética desses autores, essa “obliquidade” do olhar aponta para um processo de subjetivação que coloca em questão a anterioridade do sujeito face à sua escritura. O objetivo deste artigo é, a partir desse processo, estudar o deslocamento da memória como resgate do passado para o presente de sua própria inscrição.

Palavras-chave: Georges Perec; Manoel de Barros; subjetivação.

Abstract: In the book Penser/classer Georges Perec talks about an oblique look that we also find in Memórias inventadas, by Manoel de Barros. This way of looking at something describes a process of subjectivation that puts into question the anteriority of the subject in relation to his own writing. This work intends to analyse this displacement in the poetics of these authors.

Keywords: George Perec; Manoel de Barros; subjectivation.


Palavras-chave


Georges Perec; Manoel de Barros; subjetivação; subjectivation.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. O autor como gesto. Profanações. Trad. Selvino José Assmann. São Paulo: Boitempo, 2007, p. 55-63.

AGAMBEN, Giorgio. O que é um dispositivo?. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Trad. Vinícius Nicastro Honesko. Santa Catarina: Argos, 2009, p. 25-51.

BARROS, Manoel de. Memórias inventadas. São Paulo: Planeta do Brasil, 2010.

BARROS, Manoel de. Poesia completa. São Paulo. Leya, 2010.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas I: magia e técnica; arte e política. Trad. Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1996.

BENVENISTE, Émile. Problemas de lingüística geral I. Trad. Maria da Glória Novak e Maria Luiza Neri. Campinas: Pontes, 4. ed., 1995.

BLANCHOT, Maurice. L’entretien infini. Paris: Gallimard, 1969.

CARROL, Lewis. Alice no País das Maravilhas. Trad. Rosaura Eichenberg. Porto Alegre: L&PM, 2009.

COLLOT, Michel. Francis Ponge: entre les mots et les choses. Champ Vallon, 1991.

DERRIDA, Jacques. Grammatologia. Paris: Galilée, 1998.

DERRIDA, Jacques. Marges de la philosophie. Paris: Les Éditions de Minuit, 1972.

DERRIDA, Jacques. Posições. Trad. Tomaz Tadeu da Silva. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

DERRIDA, Jacques. L’écriture et la différence. Paris: Éditions du Seuil, 1967.

DIDI-HUBERMAN, Georges. O que vemos, o que nos olha. São Paulo: Editora 34, 1998.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

PEREC, Georges. W ou le souvenir d’enfance. Paris: Danoël, 1975.

PEREC, Georges. A vida modo de usar. Trad. Ivo Barroso. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

PEREC, Georges. Entretiens et conférences I et II. Paris: Joseph K., 2003.

PEREC, Georges. Penser/classer. Paris: Hachette, 2003.

PEREC, Georges. Je suis né. Paris: Seuil, coll. Librairie du XXe siècle, 1990.

PEREC, Georges. Beaux présents, belles absents. Paris: Seuil, 1994.

PEREC, Georges. Aproximações do quê? Alea: estudos neolatinos. Trad. Rodrigo Silva Ielpo. Rio de Janeiro: 7 Letras, v. 12, n. 1, 2010, p. 177-180.

SISCAR, M. A.; SANTOS, M. C. M. A circunavigação autobiográfica. In: NIGRO, C.; AMORIM, O.; BUSATO, S. (Orgs.). Literatura e representações do eu: impressões autobiográficas. São Paulo: Editora Unesp, 2010, p. 89-103.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.24.1.179-188

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 Rodrigo Ielpo



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.