Comunidades essenciais, legiões demoníacas: Dostoiévski, a multidão revolucionária e o pessimismo moderno / Essential Communities, Demonic Legions: Dostoevsky, the Revolutionary Multitude and Modern Pessimism

Alemar Rena

Resumo


Resumo: Este artigo busca lançar luz sobre alguns substratos da crítica de Dostoiévski a respeito dos movimentos revolucionários na Rússia da segunda metade do século XIX e suas demandas “ocidentalistas”. Para tanto, analisamos o pessimismo do autor em relação à modernidade ocidental por um ângulo ético, ontológico e político. Nossa tese é que, para Dostoiévski, a sociedade civil ocidental descendente do contrato social rousseauniano corromperia a realização secular da Rússia enquanto uma ortodoxia baseada no amor de todos por todos e de todos pelo czar. Tecemos, por um lado, uma crítica a essa idealização harmônica e unificada do povo eslavo, ao mesmo tempo que, por outro, reconhecemos a relevância da suspeita dostoievskiana para o exame da filosofia política moderna. Dostoiévski parece demandar uma inversão sem a qual não poderia haver verdadeira política: não a política enquanto utilitarismo racional a ditar a vida, mas a vida – a essência originária compartilhada e a prática constituinte do amor – a escrever continuamente a política.

Palavras-chave: comunidade; multidão; socialismo; Dostoiévski; pessimismo moderno; riqueza comum.

Abstract: This article seeks to shed light on some substrates of Dostoevsky’s criticism concerning the revolutionary movements in Russia in the second half of the 19th century and their occidentalist demands. To this end, we analyze the author’s pessimism in relation to Western modernity by an ethical, ontological, and political angle. Our thesis is that for Dostoevsky the civil society which descends from Rousseau’s social contract corrupts the realization of Russia as an orthodoxy based on the love of all by all and the love of the Czar by all. We establish, on the one hand, a critique of this harmonious and unified idealization of the Slavic people, while, on the other, we recognize the relevance of Dostoevsky’s suspicion for the examination of modern political philosophy. Dostoevsky seems to demand a reversal without which there could be no real politics: not politics as rational utilitarianism dictating life, but life – the shared essence and the original constituent practice of love – to continuously write politics.

Keywords: community; multitude; socialism; Dostoevsky; modern pessimism; commonwealth.


Palavras-chave


comunidade; multidão; socialismo; Dostoiévski; pessimismo moderno; riqueza comum; community; multitude; socialism; modern pessimism; commonwealth.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010. v. 1.

DOSTOIÉVSKI, Fiódor. A Writer’s Diary vol. I (1873-1876). Londres: Quartet Books, 1994.

DOSTOIÉVSKI, Fiódor. A writer’s diary vol. II (1877-1881). London: Quartet Books, 1995.

DOSTOIÉVSKI, Fiódor. Uma história lamentável. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

DOSTOIÉVSKI, Fiódor. O crocodilo e Notas de inverno sobre impressões de verão. São Paulo: Editora 34, 2000.

DOSTOIÉVSKI, Fiódor. Crime e castigo. São Paulo: Editora 34, 2001.

DOSTOIÉVSKI, Fiódor. Os demônios. São Paulo: Editora 34, 2004.

DOSTOIÉVSKI, Fiódor. Os irmãos Karamazov. São Paulo: Editora 34, 2008.

DOSTOIÉVSKI, Fiódor. Correspondências (1838-1880). Porto Alegre: 8Inverso, 2011.

FIGES, Orlando. A People’s Tragedy: The Russian Revolution, 1891-1924. London: Jonathan Cape, 1996.

HARDT, Michael; NEGRI, Antonio. Multidão: guerra e democracia na era do Império. Rio de Janeiro: Record, 2005.

HARDT, Michael; NEGRI, Antonio. Império. Rio de Janeiro: Record, 2006.

HARDT, Michael; NEGRI, Antonio. Commonwealth. London: Harvard University Press, 2011.

MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2006.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto do Partido Comunista. São Paulo: Global, 2006.

NANCY, Jean-Luc. Being Singular Plural. Stanford: Stanford University Press, 2000.

NEGRI, Antonio. The Politics of Subversion: A Manifesto for the Twenty-First Century. Cambridge (UK): Polity, 1989.

NEGRI, Antonio. The Savage Anomaly. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1991.

NEGRI, Antonio. Insurgencies: Constituent Power and the Modern State. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1999.

NEGRI, Antonio. Communist desire and the dialectic restored. In: ______. Insurgencies: Constituent Power and the Modern State (Theory Out of Bounds). Translated by Maurizia Boscagli. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1999.

NIETZSCHE, Friedrich. Além do bem e do mal: prelúdio para uma filosofia do futuro. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

PAREYSON, Luigi. Dostoiévski: filosofia, romance e experiência religiosa. São Paulo: Edusp, 2012.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Do contrato social. São Paulo: Penguin Classics, 2011.

SCANLAN, James P. Dostoevsky the Thinker. New York: Cornell University Press, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.24.3.53-68

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 Alemar Rena



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.