Paisagens noturnas: ficção, lenda e história nas narrativas sertanejas de Coelho Neto / Nightly Landscapes: Fiction, Legend and History in the Backcountry Narratives of Coelho Neto

Luciana Murari

Resumo


Resumo: Este artigo analisa a ficção sertaneja de Coelho Neto, buscando observar a formação das convenções temáticas e estéticas da literatura regionalista brasileira, a partir das imagens noturnas inseridas em sua prosa. O estudo considera que estas se difundem, na obra ficcional do escritor, segundo as perspectivas da descrição paisagística e das narrativas sobrenaturais. Explorando o tema da paisagem, constatamos que o descritivismo é uma dimensão fundamental dos seus textos, sobretudo por definirem sensibilidades em relação à natureza e evocarem a memória sensorial do ambiente físico. As narrativas sobrenaturais incorporam, por sua vez, alguns temas fundamentais de sua literatura rural: a sexualidade, a exploração econômica do território e a miscigenação, temas convertidos em imagens da formação do Brasil a partir da colonização escravista. Concluímos que, mesclando imaginação e história, o escritor criou uma representação original da trajetória da sociedade brasileira ao longo do tempo.

Palavras-chave: Coelho Neto; paisagem; regionalismo literário; identidade nacional brasileira; sobrenatural.

Abstract: This article analyses the backcountry fiction of Coelho Neto. It aims at identifying the formation of the thematic and aesthetic conventions of Brazilian regionalist literature through his prose’s nightly images. The study considers that such images are conveyed throughout the writer’s fictional production via landscape descriptions and supernatural narratives. The former is an essential dimension of his production since it defines a clear sensibility towards nature evoking sensory memories of the physical environment. On the other hand, the latter incorporates fundamental themes of his rural fiction - sexuality; economic exploitation of the territory and miscegenation – examining Brazil’s formation through images of colonization and slavery. In conclusion, the writer merged imagination and history and created a unique representation of the itinerary of Brazilian society over time.

Keywords: Coelho Neto; landscape; brazilian literary regionalism; brazilian national identity; supernatural.


Palavras-chave


Coelho Neto; landscape; brazilian literary regionalism; brazilian national identity; supernatural.

Texto completo:

PDF

Referências


BAGULEY, David. Le naturalisme et ses genres. Paris: Nathan, 1995.

BENJAMIN, Walter. O narrador – Considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In: ______. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. Obras escolhidas. v. 1. 8. ed. Tradução Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 2012. p. 213-240.

BERQUE, Augustin. La pensée paysagère. Paris: Archibooks, 2008.

CANDIDO, Antonio. Literatura e subdesenvolvimento. In: ______. A educação pela noite & outros ensaios. São Paulo: Ática, 1989. p. 140-161.

COELHO NETTO. A conquista. 2. ed. Porto: Chardron, 1913. [1ª ed. 1899].

COELHO NETTO. Banzo. Porto: Lello & Irmão, 1912.

COELHO NETTO. Compendio de litteratura brasileira segundo o programma do Gymnasio Nacional. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1905.

COELHO NETTO. Miragem. 4. ed. Porto: Chardron, 1926. [1ª ed. 1895].

COELHO NETTO. Praga. Rio de Janeiro: J. Cunha, 1890.

COELHO NETTO. Rei Negro. Romance bárbaro. 2. ed. Porto: Chardron, 1926. [1ª ed. 1914].

COELHO NETTO. Sertão. Porto: Lello & Irmão, 1933. [1ª ed. 1896].

COELHO NETTO. Treva. 3. ed. Porto: Chardron, 1924. [1ª ed. 1905].

COELHO NETTO, Paulo. Coelho Netto. Rio de Janeiro: Valverde, 1942.

DURAND, Gilbert. As estruturas antropológicas do imaginário. Tradução Hélder Godinho. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

GRIVEL, Charles. Fantastique-fiction. Paris: Presses Universitaires de France, 1992.

HALBWACHS, Maurice. La topographie légendaire des évangiles en Terre Sainte. Paris: Presses Universitaires de France, 2008.

HEUSSER, Calvin. Bogs. In: HARRISON, Stephan; PILE, Steve; THRIFT, Nigel. Patterned Grounds. Entanglements of Nature and Culture. Londres: Reaktion, 2004. p. 146-148.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Caminhos e Fronteiras. São Paulo: Companhia das Letras, 2001. p. 74-89.

ISER, Wolfgang. O fictício e o imaginário. Perspectivas de uma antropologia literária. Tradução Johannes Kretschmer. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1996.

JAKOB, Michael. Le paysage. Gollion: Infolio, 2002.

JOURDE, Pierre. L’alcool du silence. Sur la décadence. Paris: Honoré Champion, 1994.

LIMA, Luís Costa. Sociedade e discurso ficcional. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

MACNAGHTEN, Phil. Trees. In: HARRISON, Stephan, PILE, Steve, THRIFT, Nigel. Patterned Grounds. Entanglements of Nature and Culture. Londres: Reaktion, 2004. p. 232-234.

MURARI, Luciana. Uma geografia literária do Brasil. Ipótesi, Juiz de Fora, v. 18, n. 1, p. 35-50, jan.-jun. 2014.

MURARI, Luciana. Natureza e cultura no Brasil. 1870-1922. São Paulo: Alameda, 2009.

PAES, José Paulo. O art-nouveau na literatura brasileira. In: PAES, José Paulo. Gregos e baianos. São Paulo: Brasiliense, 1985. p. 64-80.

PAES, José Paulo. Canaã e o imaginário modernista. São Paulo: Edusp, 1992.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.25.1.27-49

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Luciana Murari



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.