Esopo em Portugal: das origens à contemporaneidade

Mafalda Frade

Resumo


Esta investigação pretende compreender como se processou
a recepção de Esopo na Literatura Portuguesa, da Idade Média à
contemporaneidade, analisando a relação entre o gênero fabulístico e a
literatura infantojuvenil e para adultos. Partindo de um corpus de fábulas
esopianas e, dentro dele, de uma fábula específica, este trabalho analisará as
características que permitirão demonstrar a alteração, ao longo do tempo, do
tipo de público-alvo e do objetivo edificante das obras em estudo. Observarse-
á, assim, que a fábula, em Portugal, passou de um gênero de literatura
para adultos para um típico da literatura infantojuvenil, registando-se,
atualmente, alguma tendência para o regresso às origens a este nível.


Palavras-chave


Esopo; fábula; literatura portuguesa.

Texto completo:

PDF

Referências


ANGGRAINI, T. E. The Characteristics of Child-to-Adult Crossover Literature. Ohio: OSU, 2015.

ARAÚJO, M. R. Cachorros do céu: as transformações da fábula em Wilson Bueno. São Paulo: Unesp, 2012.

AS MAIS belas fábulas de Esopo. Ilustração de M. Fiodorov . [S.l]: Civilização, 1994.

BARRETO, A. G. Dicionário de literatura infantil portuguesa. Porto: Campo das Letras, 2002.

BECKETT, S. L. Crossover Fiction: Global and Historical Perspectives. New York: Routledge, 2009.

BLOCH, M. A sociedade feudal. Lisboa: Edições Setenta, 1982.

BRAGANÇA, M. G. Fábulas: as cem mais famosas fábulas de Esopo. Lisboa: Europa-América, 1984.

DEZOTTI, M. C. C. A tradição da fábula: de Esopo a La Fontaine. Brasília: Univ. Brasília, 2003.

FERREIRA, J. R. Educação em Esparta e em Atenas. In: LEÃO, D. et al. Paideia e cidadania. Coimbra: Ariadne, 2006.

FERREIRA, N. H. S. Aesopica – a fábula esópica e a tradição fabular grega. Coimbra: Univ. Coimbra, 2014.

FONSECA, F. O leão e o rato: e, Capuchinho vermelho. [S.l.]: MTS Editores, 2000.

FREDERICO, C. Contos para crianças – fábulas de Esopo. Porto: Lello, 1930.

GOMES, J. A. Literatura para a infância e a juventude e promoção da leitura. [S.l.]: Ccasa da Leitura: 2007. Di sponível em: . Acesso em: 31 mar. 2017.

GUERREIRO, M. C. Fabulas de Esopo. Lisboa: Francisco Luiz Ameno, 1788.

KINCAID, L. Fábulas de Esopo. Porto: Asa, 1997.

KURKE L. Aesopic Conversations: Popular Traditions, Cultural Dialogue, and the Invention of Greek Prose. Princeton: Princeton University Press, 2011.

LEM–OS, E. A literatura infantil em Portugal. Lisboa: MEN-DGEP, 1972.

LERER, Seth. Children’s Literature: A Reader’s History, from Aesop to Harry Potter. Chicago: UCP, 2009.

LIVRO de Exopo. Edição crítica de A. A. Calado. Coimbra: Univ. Coimbra, 1994.

MACHADO, A. Fábulas de animais e outras – Esopo / La Fontaine. Lisboa: Portugália, 1957.

MANTEGAZZA, G. O leão e o ratinho. [S.l.]: Campo das Letras, 1997.

MARROU, H. I. Histoire de l’éducation dans l’Antiquité. Paris: Seuil, 1948.

MORAIS, A. P. História crítica da fábula na literatura portuguesa. [S.l,: s.n.}, [2008?]. cap. 3: A coleção de fábulas traduzidas por Manuel Mendes da Vidigueira, 1603-1914. Disponível em: . Acesso em: 31 mar. 2017.

MOTA, A. Fábulas de Esopo. Alfragide: Asa, 2004.

NEVES, M. H. M. A gramática pela fábula. Lingüística, Asociación de Lingüística y Filología de América Latina, v. 30, n.1, p. 165-196, 2014.

O’NEILL, H. Fabulário. Lisboa: Livraria Ferreira, 1885.

OOM, A. (Adapt.). O rato e o leão. Lisboa: Zero a Oito, 2005a.

OOM, A. O leão e o rato. Lisboa: Zero a Oito, 2005b.

PARREIRA, F. Fabuloso Esopo. Setúbal: Marina Editores, 2005.

PATRIARCA, R. O livro infantojuvenil em Portugal entre 1870 e 1940. Porto: FLUP, 2012.

PAUL, J. Histoire intellectuelle de l’occident médiéval. Paris: Colin, 1973.

PEREIRA, J. F. 113 fabulas de Esopo. Lisboa: Lucas Evangelista Torres, 1890.

PEREIRA, J. F. Fabulas de Phedro. Lisboa: Typ., Rua da Vinha, 1871.

PEREIRA, L. A fábula em Portugal. Lisboa: UNL, 2003.

PEREIRA, M. H. R. Estudos de história da cultura clássica. Lisboa: FCG, 1987.

PLATÃO. A república. Tradução de Edson Bini. São Paulo: Edipro, 2012.

PORTELLA, O. O. A fábula. Revista de Letras, Curitiba, v. 32, p. 119- 138, 1983.

RAMOS, A. M. As fábulas e os bestiários na literatura de recepção infantil contemporânea. Forma Breve, Aveiro, n. 3, p. 169-194, 2005.

RANGEL, A. Fábulas de Esopo para executivos. Cruz Quebrada: Casa das Letras, 2008.

REIS, C.; LOPES, A. C. M. Dicionário de narratologia. Coimbra: Almedina, 1994.

ROCHA, N. Breve história da literatura para crianças em Portugal. Lisboa: Caminho, 2001.

RODRÍGUEZ ADRADOS, F. De Esopo al Lazarillo. Huelva: Univ. Huelva, 2005.

RODRÍGUEZ ADRADOS, F. Historia de la fábula greco-latina. Madrid: Univ. Complutense, 1979. v. 1.

ROSADO, I. Literatura para a infância – concepções e acompanhamento parental. Coimbra: ESE, 2011.

ROTHWELL, K. S. Aristophanes’ Wasps and the Socio-politics of Aesop’s fables, The Classical Journal, CAMWS, v. 93, n. 4, p. 233-254, 1995.

SARABANDO, M. J. (Adapt.). Fábulas para aprender. Porto: Porto Editora, 2015.

SCHON, I.; BERKIN, S. C. Introducción a la literatura infantil y juvenil. Newark: International Reading Association, 1996.

SILVA, V. M. A. Nótula sobre o conceito de literatura infantil. In: SÁ, D. G. A literatura infantil em Portugal. Braga: Editorial Franciscana, 1981. p. 9-15.

TARRÍO VARELA, A. et alii. Diccionario de termos literarios. Santiago de Compostela: Centro Ramón Piñeiro, 1998.

TAVARES, J. P. Cinquenta fabulas de Fedro. Aveiro: Livraria Carlos Alberto, 1929.

VIDIGUEIRA, M. M. Vida e fábulas do insigne fabulador grego Esopo. Lisboa: Antonio Alvarez, 1643.

WATERS, F. As fábulas de Esopo. Porto: Civilização, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2238-3824.22.1.51-70

Apontamentos

  • Não há apontamentos.