Everything is Illuminated a partir da busca pela memória familiar

Isabel Cristina Jasinski, Natasha Suelen Ramos de Saboredo

Resumo


Tendo em vista a importância da preservação da memória familiar e cultural para a comunidade judaica, este artigo pretende analisar a obra Everything is Illuminated, de Jonathan Safran Foer, a partir da busca pela memória familiar empreendida pelo protagonista. A obra, que traz o autor também como personagem, relata a viagem de Foer até a Ucrânia para resgatar a história de seu avô antes de ele fugir para os EUA durante a Segunda Guerra Mundial. Visto que a obra utiliza a biografia e diversos discursos (relatos) em sua construção, visa-se desconstruir o binarismo discurso ficcional x não ficcional. Além disso, tendo em vista esses elementos e as fronteiras movediças da identidade que aparecem no livro, pretende-se analisar, por meio do conceito de nomadismo, o resgate da memória como um dos fatores determinantes na construção identitária.

Palavras-chave


Memória. Segunda Guerra Mundial. Judaísmo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1982-3053.10.18.100-115

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




© Copyright 2007 Arquivo Maaravi: Revista Digital de Estudos Judaicos da UFMG - ISSN: 1982-3053.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.