Entre lá e aqui: Eli Amir

Luis Sergio Krausz

Resumo


Este artigo discute o romance autobiográfico Tarnegol Kaparot do escritor iraquiano Eli Amir, cuja narrativa se constitui sobre o contraponto entre o mundo familiar do escritor, que foi abandonado no Iraque, e os sofrimentos associados à experiência da família em Israel. O imperativo que paira sobre estes imigrantes, de imediatamente abandonarem não só seu idioma e seus nomes originais, mas todas suas referências culturais e sistemas de valores nativos para então poderem aspirar a uma integração na sociedade israelense fundamentada nos valores do sionismo trabalhista e vista como única possibilidade para o futuro do povo judeu, gera situações extremas e traumáticas e a matéria do livro é a elaboração e a representação destes traumas.


Palavras-chave


Exílio. Sionismo. Literatura hebraica. Eli Amir.

Texto completo:

PDF

Referências


AMIR, Eli. Tarnegol kaparot. Tel Aviv: Am Oved. 1983.

GOFMANN, Irving. Manicômios, prisões e conventos. Trad. Dante Moreira Leite. São Paulo: Perspectiva, 2001.

SHIMONI, Batya. Al saf ha-geulá: Sipur h-maabara, dor Rishon ve sheni. Beer Sheve, Kinneret, Zmora-Bita, Dvir, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1982-3053.11.20.224-244

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




© Copyright 2007 Arquivo Maaravi: Revista Digital de Estudos Judaicos da UFMG - ISSN: 1982-3053.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.