Canibalismo, uma questão de gosto: representações antropofágicas nas cartas e tratados sobre os índios brasileiros no século XVI

Fabiano Lemos, Ulysses Pinheiro

Resumo


Resumo: Reconstituindo o campo semântico da antropofagia, tal como ele emerge na correspondência e nos tratados dos europeus sobre os índios produzidos no século XVI, seria possível se perguntar sobre as consequências de se adotar um outro eixo de interpretação, não mais apenas simbólico – como fizeram, frequentemente, antropólogos e poetas – mas também narrativo. Dito de outro modo, este artigo tenta explorar um campo não tão frequentemente visitado pelos historiadores e críticos literários e procura mostrar que os aspectos ingestivos, mastigativos e digestivos, envolvidos na narração mesma sobre o canibalismo indígena, funcionam segundo uma lógica própria e revelam uma economia da relação identidade-alteridade ainda não debatida suficientemente.

Palavras-chave: antropofagia; digestão; narratividade; índios; epistolografia.

Abstract:By reconstructing the Anthropophagic semantic field as it emerged in the European correspondence and treatises on Brazilian indigenous populations in the 16th century it would be possible to question the consequences of adopting another axis of interpretation, no longer merely symbolical – as anthropologists and poets often did – but also a narrative one. In other words, this paper intends to explore a field not often approached by historians and literary critics and tries to discuss the digestive, chewed and ingestive issues, which are present in the narration of indigenous cannibalism. Such issues follow a specific logic, revealing gaps in the discussion of the identity-alterity relationship.

Keywords: anthropophagy; digestion; narrativity; Brazilian indigenous people; epistolography.


Palavras-chave


antropofagia; digestão; narratividade; índios; epistolografia.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERT, J. M. Às mesas do poder: dos banquetes gregos aos Eliseu. São Paulo: SENAC, 2011.

ALCIDES, S. F, L e R: Gândavo e o ABC da colonização. Escritos. Revista da Fundação Casa de Rui Barbosa, Rio de Janeiro, v. 3, n. 3, p. 39-53, 2009.

ANCHIETA, J. Arte de grammatica da lingoa mais usada na costa do Brasil. Leipzig: B. G. Teubner, 1876.

BARROS, J. Ásia de João de Barros. Lisboa: Agência Geral das Colônias, 1945. v. 1.

BRITO, B. G. História Trágico-Marítima. Rio de Janeiro: Lacerda Editores/ Contraponto, 1998.

CAMINHA, P. V. de. Carta de Pero Vaz de Caminha. In: AMADO, J.; FIGUEIREDO, L. C. (Org.). Brasil 1500: quarenta documentos. Brasília: Editora da UnB; São Paulo: Imprensa Oficial, 2001. p. 73-130.

CARDIM, F. Tratados da terra e gente do Brasil. São Paulo: Hedra, 2009.

COELHO, M. H. C. A Mesa do rei de Avis: espaços, oficiais, alimentos e cerimoniais. In: SOARES, C.; MACEDO, I. C. (Org.). Ensaios sobre patrimônio alimentar luso-brasileiro. São Paulo: Annablume, 2014. p. 89-112. https://doi.org/10.14195/978-989-26-0886-0_4

CORBARI, E. Laude for Catherine of siena. In: MUESSIG, C. et al (Ed.). A Companion to Catherine of Siena. Boston: Brill, 2012. p. 227-259.

DIDEROT, D. Supplément au Voyage de Bougainville. In: ______. Oeuvres. Paris: Gallimard, 1946. p. 998. (Collection Bibliothèque de la Pléiade)

DÜNNE, J. Cannibales sur la carte. Essai de localisation. In: KRAMER, K.; BAUMGARTEN, J. (Hrsg.). Visualisierung und kultureller Transfer. Würzburg: Königshausen & Neumann, 2009. p. 257-274.

EDELWEISS, F. Estudos tupis e tupi-guaranis. Rio de Janeiro: Brasiliana, 1969.

FERNANDES, J. A. Selvagens bebedeiras: álcool, embriaguez e contatos culturais no Brasil Colonial (Séculos XVI-XVII). São Paulo: Alameda, 2011.

FRANÇA, J. M. C. A construção do Brasil na literatura de viagem dos séculos XVI, XVII e XVIII. Antologia de textos. 1591-1808. Rio de Janeiro: José Olympio; São Paulo: Editora Unesp, 2012.

GANDAVO, P. M. História da província de Santa Cruz. São Paulo: Hedra, 2008.

GOMEZ-GÉRAUD, M.-C. Un coloque chez les Toupinamboults: mise em scène d’une dépossession. In: LESTRINGANT, F.; GOMEZ-GÉRAUD, M.-C. (Ed.). D’encre du Brésil. Jean de Léry, écrivain. Orléans: Paradigme, 1999. p. 148- 170.

GONNEVILLE, B. P. Relation authentique. In: PERRONE-MOISÉS, L. (Ed.). Le Voyage de Gonneville (1503-1505) & la découverte de la Normandie par les Indiens du Brésil. Paris: Chandeigne, 1995. p. 13-30.

GRIECO, A. Alimentation et classes sociales à la fin du Moyen Age et à la Renaissance. In: FLANDRIN, J.-L.; MONTANARI, M. (Ed.). Histoire de l’alimentation. Paris: Fayard, 1996. p. 277- 295.

HANSEN, J. A. A escrita da conversão. In.: COSTIGAN. L. H. (Org.). Diálogos da conversão: missionários, índios, negros e judeus no contexto ibero-americano do período barroco. Campinas: Editora da Unicamp, 2005. p. 15-43.

HOLANDA, S. B. Visão do paraíso: os motivos edênicos no descobrimento e colonização do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2000.

IGNACIO DE LOYOLA. Obras completas. 3. ed. rev. Madrid: BAC, 1977.

KORTENAAR, N. Postcolonial Literature and the Impact of Literacy: Reading and Writing in African and Caribbean Fiction. Cambridge: Cambridge University Press, 2011.

https://doi.org/10.1017/CBO9780511920035

LEITE, S. (Org.). Cartas dos primeiros jesuítas do Brasil. São Paulo: Comissão do IV Centenário da Cidade de São Paulo, 1954. v. 1.

LEITE, S. (Org.). Cartas dos primeiros jesuítas do Brasil. São Paulo: Comissão do IV Centenário da Cidade de São Paulo, 1958. v. 3.

LÉRY, J. Histoire d’um Voyage faict en la terre du Brésil. Paris: Alphone Lemerre, 1894. t. I e II.

LESTRINGANT, F. Introduction In: LESTRINGANT, F. (Org.). Le Brésil de Montaigne. Paris: Chandeigne, 2005. p. 7-59.

LESTRINGANT, F. Le Cannibale. Grandeur et décadénce. Paris: Perrin, 1994.

PANEGASSI, R. L. O pão e o vinho da terra: alimentação e mediação cultural nas cerimônias quinhentistas sobre o Novo Mundo. São Paulo: Alameda, 2013.

PIGAFETTA, A. Relazione sul Primo Viaggio Intorno Al Globo Colle Regole Sull’arte Del Navigare. In: RACCOLTA è di documenti e studi pubblicati dalla Commissione Colombiana pel Quarto Centenario dalla Scoperta dell’America. Roma: Ministerio della Publica Istruzione, 1894. (Parte V, v. III)

SOUZA, G. S. Tratado descritivo do Brasil em 1587. São Paulo: Hedra, 2010.

SOUZA, L. M. O diabo e a Terra de Santa Cruz. São Paulo: Companhia das Letras, 1986.

SOUZA, P. L. Diário de navegação de Pedro Lopes de Souza pela costa do Brazil até o Rio Uruguay (1530 a 1532) e Livro da viagem da não ‘Bretoa’ ao Cabo Frio (em 1511), por Duarte Fernandes. Rio de Janeiro: Typographia de D. L. dos Santos, 1867.

STADEN, H. Brasilien. Die wahrhaftige Historie der wilden, nackten, grimmigen Menschenfresser-Leute. Tübingen: Erdmann, 1982.

THEVET, A. Les Singularités de la France Antarctique. 2ème. éd. augmentée établi par Frank Lestringant. Paris: Chandeigne, 2011.

ZIKA, C. Exorcising Our Demons: Magic, Witchcraft, and Visual Culture in Early Modern Europe. Leiden/ Boston: Brill, 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2358-9787.27.1.205-232

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Fabiano Lemos, Ulysses Pinheiro

O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira
ISSN 0102-4809 (impressa) / ISSN  2358-9787 (eletrônica)

License

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.