Filosofia é Literatura? Literatura é Filosofia? / Is Philosophy Literature? Is Literature Philosophy?

Evaldo Sampaio da Silva

Resumo


Resumo: Trata-se aqui de pensar a relação entre Filosofia e Literatura. A partir das aparentes semelhanças e divergências entre ambas, indaga-se se há ou não entre elas uma distinção essencial. Para tanto, retomam-se os argumentos apresentados por Antonio Cicero em Poesia & Filosofia. Assim como as ideias filosóficas, como defende Antonio Cicero, são secundárias para a composição literária, a qual adquire seu valor estético pela maneira como as enuncia, para a Filosofia a escrita não é mais que um instrumento para o pensamento filosófico. Dada tal concepção instrumental do discurso, retoma-se a proposta de Pierre Hadot segundo a qual a Filosofia é primordialmente uma maneira de viver, a qual permite mostrar que a distinção entre a Filosofia e a Literatura precisa ser repensada num nível mais fundamental do que o discursivo. Por esta representação primordial da Filosofia como uma maneira de viver obtém-se que a distinção entre Filosofia e Literatura não se dá pela forma peculiar como cada uma articula os planos de expressão e de conteúdo, mas pela função mesma que o discurso ocupa na constituição de ambas. Disso se seguem também algumas considerações extemporâneas sobre a própria natureza do filósofo e a do escritor ou poeta.

Palavras-chave: filosofia; literatura; modo de vida filosófico.

Abstract: This article aims to discuss the relation between Philosophy and Literature. Based on supposed similarities and discrepancies, it is investigated if there is an essential distinction concerning them. For such, some arguments elaborated by Antonio Cicero, on his essay Poesia & Filosofia, are analyzed. Antonio Cicero sustains that philosophical ideas are secondary to the literary composition, whose aesthetic value is acquired by the way those ideas are expressed and not by the ideas themselves. Moreover, in Philosophy, the act of writing is no more than an instrument to convey the philosophical thought. This instrumental role of discourse in philosophical works allows us to shed new light into Pierre Hadot’s conception of Philosophy as essentially a way of life. Thus, it will be proposed that the distinction between Philosophy and Literature should be rethought at a level that is deeper than the discursive one, as suggested by Antonio Cicero. The representation of Philosophy as a way of life indicates that the distinction between Philosophy and Literature is not a case of how each one articulates their levels of content and expression. Actually, it concerns the peculiar role of discourse in both of them. Some ultimate considerations on the very nature of the philosopher and of the writer or poet as well follow that existential distinction.

Keywords: philosophy; literature; philosophy as a way of life.


Palavras-chave


filosofia; literatura; modo de vida filosófico; philosophy; literature; philosophy as a way of life.

Texto completo:

PDF

Referências


ARISTÓTELES. Metafísica. São Paulo: Loyola, 2002. v. II.

BARRETO, T. Estudos de Filosofia. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Grijalbo, 1977.

CAMUS, A. O Homem Revoltado. Rio de Janeiro: Record, 2008.

CAMUS, A. O Mito de Sísifo. Rio de Janeiro: Record, 2009.

CICERO, A. O Mundo desde o Fim. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1995.

CICERO, A. Poesia & Filosofia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

CICERO, A. A Poesia e a Crítica. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

CICERO, A.; SALOMÃO, W. O Relativismo Enquanto Visão do Mundo. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1994.

HADOT, P. O que é Filosofia Antiga?. 6. ed. São Paulo: Loyola, 2014.

MESQUITA, A. Aristóteles (Obras Completas): Introdução Geral. Lisboa: Imprensa, 2005.

MESQUITA, A. Obras Completas de Aristóteles: Fragmentos dos Diálogos e Obras Exortativas. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 2014.

KANT, I. Prolegómenos a toda Metafísica Futura. Lisboa: Edições 70, 2008.

KANT, I. Crítica da Razão Pura. 7. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2010.

MARGUTTI, P. História da Filosofia do Brasil: O Período Colonial (1500-1822). São Paulo: Loyola, 2013.

PLATÃO. República. 10. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2007.

SCHULPP, P. The Philosophy of Sartre. Illinois: Open Court, 1981.

SUZUKI, M. O Gênio Romântico: Crítica & História da Filosofia em Friedrich Schelling. São Paulo: Iluminuras, 1998.

WITTGENSTEIN, L. Investigações Filosóficas. São Paulo: Abril cultural, 1974. (Coleção “Os Pensadores”).




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2358-9787.28.3.183-197

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Evaldo Sampaio da Silva

O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira
ISSN 0102-4809 (impressa) / ISSN  2358-9787 (eletrônica)

License

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.