Intelectuais em cena / Intellectuals on the Scene

Maria Zilda Ferreira Cury

Resumo


Resumo: Este texto, produto de um estudo bibliográfico, reflete sobre a origem da figura do intelectual e sobre a ressonância de sua prática no espaço público. Parte da assim considerada “cena primeira” de nascimento do intelectual moderno, o manifesto liderado por Émile Zola posicionando-se publicamente com relação ao Caso Dreyfus, no século XIX, e do retrato que faz o pintor Édouard Manet do célebre escritor francês para deles extrair o conceito de intelectual moderno. A essa primeira conceituação agregam-se outras de pensadores contemporâneos sobre a questão, como Norberto Bobbio, Edward Said, Francisco de Oliveira, Jacques Derrida e outros, para também refletir sobre o papel do intelectual e da Universidade como espaço tradicional da formação de intelectuais.

Palavras-chave: origem do intelectual moderno; espaço público; universidade e resistência.

Abstract: In the present paper, which is a product of a bibliographical study, we reflect on the origin of the intellectual figure and on the resonance of his/her practice in public space. We start with the so-called “first scene” of the modern intellectual’s birth, the manifesto led by Émile Zola publicly standing in relation to the Dreyfus Case, in the nineteenth century. We also consider the portrait of the famous French writer painted by Édouard Manet, to extract the concept of modern intellectual. To this first conceptualization, other contemporary thinkers such as Norberto Bobbio, Edward Said, Francisco de Oliveira, Jacques Derrida and others are incorporated in order to also reflect on the role of the intellectual and on the University as a traditional space of generation of intellectuals.

Keywords: origin of the modern intellectual; public space; university and resistance.


Palavras-chave


origem do intelectual moderno; espaço público; universidade e resistência; origin of the modern intellectual; public space; university and resistance.

Texto completo:

PDF

Referências


ABASTADO, Claude. Introduction à l’analyse des manifestes. Littèrature, Paris, n. 39, p. 3-11, 1980. Doi: https://doi.org/10.3406/litt.1980.2133.

ARENDT, Hannah. A Condição Humana. Tradução de R. Raposo. Rio de Janeiro: Forense Universidade, 1997.

ARISTÓTELES. Política. Tradução de Torrieri Guimarães. São Paulo: Martin Claret, 2001.

BOBBIO, Norberto. Intelectuais. In: BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de política. Tradução de Carmen C. Varriale, Gaetano Lo Mônaco, João Ferreira, Luís Guerreiro Pinto Cacais e Renzo Dini. Brasília: Universidade de Brasília, 1986. p. 637-641.

BOBBIO, Norberto. Os intelectuais e o Poder: dúvidas e opções dos homens de cultura na sociedade contemporânea. Tradução de Marco Aurélio Nogueira. São Paulo: Editora da Unesp, 1997.

BOBBIO, Norberto; VIROLI, Maurizio. Diálogo sobre a república: os grandes temas da política e da cidadania. Tradução de Daniela Beccaccia Versiani. Rio de Janeiro: Campus, 2002.

BOFF, Leonardo. Que significa crise?. Folha de S. Paulo. 7 de agosto de 1983. p. 3.

CHAUÍ, Marilena. Filosofia Moderna. In: CHAUÍ, Marilena et al. Primeira Filosofia: lições introdutórias. São Paulo: Brasiliense, 1984.

CURY, Maria Zilda Ferreira; WALTY, Ivete Lara Camargos (org.). Intelectuais e vida pública: migrações e mediações. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG/Capes, 2008.

DERRIDA, Jacques. A universidade sem condição. Tradução de Evando Nascimento. São Paulo: Estação Liberdade, 2003.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Tradução de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

GLEIZE, Jean M. Manifestes, Prefaces: sur quelques aspects du prescriptif. Littèrature, Paris, n. 39, p. 12-16, 1980. Doi: https://doi.org/10.3406/litt.1980.2129.

GRAMSCI, Antonio. Maquiavel, a Política e o Estado Moderno. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1976.

MANET, Édouard. Émile Zola. 1868. Óleo sobre tela, 146 x 114 cm. Coleção Musée d’Orsay. Disponível em: https://www.musee-orsay.fr/typo3temp/zoom/tmp_fe70fbd4e0e230a93c7db015a53762f8.gif. Acesso em: 01 jul. 2019.

MARGATO, Izabel; GOMES, Renato Cordeiro (org.). O papel do intelectual hoje. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2004.

NOVAES, Adauto (org.). O silêncio dos intelectuais. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

OLIVEIRA, Francisco de. Intelectuais, conhecimento e espaço público. In: MORAES, Dênis. Combates e Utopias: os intelectuais num mundo em crise. Tradução de Eliana Aguiar e Luís Paulo Guanabara. Rio de Janeiro: Record, 2004. p. 55-67.

PELLETIER, Anne-Marie. Le paradoxe du Manifeste. Littèrature, Paris, n. 39, p. 17-22, 1980. Doi: https://doi.org/10.3406/litt.1980.2130.

REIS FILHO, Daniel Aarão (org.). Intelectuais, história e política (séculos XIX e XX). Rio de Janeiro: 7 Letras, 2000.

RIDENTI, Marcelo; BASTOS, Elide Rugai; ROLLAND, Denis (org.). Intelectuais e Estado. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

SAID, Edward W. Fora do lugar. Tradução de José Geraldo Couto. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

SAID, Edward W. Out of place: a memoir. New York: Alfred A. Knopf, 1999.

SAID, Edward W. Reflexões sobre o exílio: e outros ensaios Tradução de Pedro Maia Soares. São Paulo: Companhia das Letras, 2005a.

SAID, Edward W. Representações do intelectual: as conferências Reith de 1993. Tradução de Milton Hatoum. São Paulo: Companhia das Letras, 2005b.

SANTOS, Joel Rufino dos. Epuras do social: como podem os intelectuais trabalhar para os pobres. Rio de Janeiro: Global, 2004.

SARLO, Beatriz. Cenas da vida pós-moderna: Intelectuais, arte e vídeo-cultura na Argentina. Tradução de Sérgio Alcides. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997.

SARTRE, Jean-Paul. Em defesa dos intelectuais. Tradução de Sergio Goes de Paula São Paulo: Ática, 1994.

SILVA, Augusto Santos. Podemos dispensar os intelectuais?. In: MARGATO, Izabel; GOMES, Renato Cordeiro (org.). O papel do intelectual. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2004. p. 39-67.

TORRINHA, Francisco. Dicionário latino português. Porto: Gráficos Reunidos, 1982.

VIANNA, Hermano. O mistério do samba. 5. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar/UFRJ, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2358-9787.28.3.117-135

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Maria Zilda Ferreira Cury

O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira
ISSN 0102-4809 (impressa) / ISSN  2358-9787 (eletrônica)

License

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.