Poesia bíblica e utopia em Haroldo de Campos

Henrique Estrada Rodrigues

Resumo


O texto pretende discutir a relação entre utopia, tradução e literatura mundial em Haroldo de Campos (1929-2003) a partir das notas e reflexões teóricas que acompanham suas traduções da poesia bíblica. Essas traduções foram publicadas em três livros: Qohélet: O-quesabe (1990), Bere’Shith: a cena da origem (1993) e Éden, um tríptico bíblico (livro póstumo, de 2004). Esses livros permitem uma abordagem sistemática sobre os pressupostos e justificativas do projeto tradutório do autor. Este artigo pretende analisar como esse projeto retoma e desdobra, a partir da chamada “poesia bíblica”, um imaginário utópico formulado desde o livro Deus e o diabo no Fausto de Goethe, de 1981.


Palavras-chave


Haroldo de Campos; Utopia; Tradução

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2358-9787.24.1.169-185

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Henrique Estrada Rodrigues

O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira
ISSN 0102-4809 (impressa) / ISSN  2358-9787 (eletrônica)

License

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.