Editorial

Ana Cristina Fricke Matte, Daniervelin Renata Marques Pereira

Resumo


É com grande entusiasmo que trazemos para sua leitura este número da revista Texto Livre, com 12 artigos versando sobre tão variados temas, como: educação, documentação de software, análise do discurso, aplicativos web, ambientes online de aprendizagem, inclusão digital de surdos e licenças livres.

 

A seção Educação e Tecnologia desta edição traz cinco artigos: Denise Sodré Dorjó, em "RELAÇÕES AFETIVAS: REAIS POSSIBILIDADES NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA", discute a questão da afetividade como elemento de grande importância para o sucesso da educação a distância. Marcos Antônio Pereira Coelho, Fabiana Aguiar de Miranda, Jeferson Cabral Azevedo, Joyce Vieira Fettermann, Carlos Henrique de Souza Medeiros e Daniella Costantini das Chagas Ribeiro, em “O USO DO CMS JOOMLA E SUAS FERRAMENTAS HIPERTEXTUAIS NA PRODUÇÃO DE SITES EDUCATIVOS E DE MATERIAL DIDÁTICO ONLINE”, defendem o emprego do sistema de administração de conteúdos, Joomla, como importante dispositivo para auxiliar a produção e organização de material didático nas escolas. Darlene Teixeira Castro, em “POLÍTICAS DE INCLUSÃO DIGITAL EM PALMAS - TO: O PROJETO PALMAS VIRTUAL”, discute sobre meios de se sair do discurso sobre a inclusão digital para sua prática efetiva, tendo como base um projeto desenvolvido em Palmas-TO. Adriana Paula da Silva Amorim traz, em “USO DE FERRAMENTAS DA INTERNET NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE LEITURA E ESCRITA: POSSIBILIDADES E DESAFIOS NA VISÃO DE ESTUDANTES DE LETRAS-PORTUGUÊS NA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL”, resultados de uma pesquisa sobre o uso de gêneros e de ferramentas da internet por estudantes de Letras na Universidade Federal do Ceará. Por fim, Heloísa Andreia de Matos Lins, em “ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO (TAMBÉM DIGITAIS) DE ALUNOS SURDOS: POSSIBILIDADES DE INTERVENÇÃO”, considera as práticas pedagógicas no Ensino Fundamental para refletir sobre a inclusão de alunos surdos.

 

A seção Documentação de Software Livre traz o artigo de Maria de Fátima Franco, “AVALIAÇÃO DE QUALIDADE DO SOFTWARE EDUCATIVO DE AUTORIA ELO”, em que ela avalia a documentação do software ELO segundo normas de qualidade ISO/IEC 9126-1.

 

A seção Produção Textual e Tecnologia traz dois artigos, um sobre ensino de línguas e outro sobre retextualização. O primeiro, de autoria de Marco Sbicego, discute a utilização da Wikipedia como recurso para produção textual no ensino da língua italiana: "DALL'ALTRA PARTE DI WIKIPEDIA: MIGLIORARE LA PRODUZIONE DI TESTO IN ITALIANO L2 ATTRAVERSO L'EDIZIONE DI VOCI DELL'ENCICLOPEDIA LIBERA ONLINE". Já o artigo "OPERAÇÕES DE RETEXTUALIZAÇÃO EM TEXTOS DIVULGADOS EM SITES E NO TWITTER - O CASO DOS PERFIS DAS UNIVERSIDADES PIAUIENSES", de Leila Rachel Barbosa Alexandre, Bruno Diego de Resende Castro e Maria Lourdilene Vieira, focaliza a retextualização em processos de passagem de um gênero online a outro.


A seção Linguística e Tecnologia trata de duas questões caras à análise do texto e do discurso: gêneros textuais online e variação discursiva e sua relação com o imaginário na rede. Em "AS HEMEROTECAS DIGITAIS DISCURSIVIZADAS NA WEB: HETEROGENEIDADE DISCURSIVA E FORMAÇÃO IMAGINÁRIA NA REDE", Francis Lampoglia, Valdemir Miotello e Lucília Romão comparam dois sites de jornais (O Estadão e Última Hora) à luz da Análise do Discurso de linha francesa. Júlio Araújo e Lucas Lima de Vasconcelos, por sua vez, discutem a questão dos gêneros como práticas de linguagem na web 2.0 e da tradução intergêneros, tendo como pano de fundo resultados de pesquisa realizada na UFC: "WEB 2.0 E AS PRÁTICAS DE LINGUAGEM: NOVOS GÊNEROS?".

A seção Licenças Livres traz o artigo de Honácio Braga de Araújo, "CREATIVE COMMONS E O DIREITO À CULTURA LIVRE: AS LICENÇAS CRIATIVAS FRENTE ÀS LIMITAÇÕES DO DIREITO AUTORAL NA INTERNET", o qual discute a lei brasileira de copyright, de caráter protecionista, no contexto atual do compartilhamento pela internet.

 

Por fim, na seção Comunicação e Tecnologia, Dalton Martins propõe, em seu artigo “PRODUÇÃO COLETIVA E ATIVAÇÃO DE REDES: RELATOS DE EXPERIÊNCIAS DE ATIVISMO SOCIAL”, uma análise das interações em redes sociais, apontando vantagens para as ações coletivas de grupos.

 

Desejamos a todos uma boa leitura dos artigos apresentados nesta edição.

Ana Cristina Fricke Matte e Daniervelin Renata Marques Pereira


Palavras-chave


Linguagem; Tecnologia; Educação; Semiótica; Sistemas de Informação



DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1983-3652.4.2.1-1

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Texto Livre: Linguagem e Tecnologia
ISSN 1983-3652 (eletrônica)

Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais

Belo Horizonte - Minas Gerais (Brasil)

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.