Intertextualidad y coherencia en una crónica de João Ubaldo Ribeiro: abordajes en lectocomprensión / Intertextuality and coherence in a chronicle of João Ubaldo Ribeiro: approaches in reading comprehension

Carlos Alberto Pasero

Resumo


RESUMEN: El propósito de este trabajo es discutir, desde un punto de vista didáctico, a partir del análisis de una crónica literaria de carácter argumentativo en lengua portuguesa en su variante brasileña, los parámetros de textualidad (BEAUGRANDE; DRESSLER, 1997) como caminos de acceso al texto y que contribuyen a la construcción de sentido, así como el empleo de algunos mecanismos de textualización (BRONCKART, 1996; DUARTE, 2003). Con escasos organizadores textuales o conectores, la coherencia (temática y pragmática) de la crónica analizada (“Questões gramaticais” de João Ubaldo Ribeiro) está determinada por la forma del texto y por su unidad temática, generada por un discurso crítico basado en marcas intertextuales y de intergéneros que apelan, desde lo pragmático, a la enciclopedia del lector. El objetivo es contribuir, en el ámbito de la enseñanza de la lengua portuguesa en su modalidad de lectocomprensión, a la elaboración de tareas interactivas que permitan un abordaje dinámico y contextualizado del texto desde la perspectiva planteada, basado en los recursos disponibles en los medios electrónicos.

PALABRAS CLAVE: coherencia; intertextualidad; lectocomprensión; mecanismos de textualización; tareas.

  

RESUMO: O objetivo deste artigo é discutir, de um ponto de vista didático, a partir da análise de uma crônica literária de caráter argumentativo em língua portuguesa, na sua variante brasileira, os parâmetros de textualidade (BEAUGRANDE; DRESSLER, 1997), como formas de acesso ao texto e que contribuem para a construção de sentido, assim como o uso de alguns mecanismos de textualização (BRONCKART, 1996, DUARTE, 2003). Com poucos organizadores textuais ou conectores, a coerência (temática e pragmática) da crônica analisada (“Questões gramaticais”, João Ubaldo Ribeiro) é determinada pela forma do texto e por sua unidade temática, gerada por um discurso crítico baseado em marcas intertextuais e de intergêneros que apelam, desde o pragmático, à enciclopédia do leitor. O objetivo é contribuir, no âmbito do ensino da língua portuguesa em sua modalidadeda compreensão da leitura, para o desenvolvimento de tarefas interativas que permitem uma abordagem dinâmica e contextualizada do texto a partir da perspectiva levantada, com base nos recursos disponíveis em meio eletrônico.

PALAVRAS-CHAVE: coerência; intertextualidade; compreensão de leitura; mecanismos de textualização; tarefas.


ABSTRACT: The purpose of this paper is to discuss, from an educational point of view, taking as a starting point the analysis of a literary chronicle of an argumentative character in the Portuguese language in its Brazilian variant, the parameters of textuality (BEAUGRANDE; DRESSLER, 1997) as access roads into the text that contribute to the construction of meaning, and the use of some mechanisms of textualization (BRONCKART, 1996, DUARTE, 2003). With few textual organizers or connectors, the coherence (thematic and pragmatic) of the chronicle analyzed (“Questões gramaticais”, by João Ubaldo Ribeiro) is determined by the shape of the text and its thematic unity, which is generated by a critical discourse based on intertextual and intergender marks which appeal, from a pragmatic consideration, to the encyclopedia of the reader. The objective is to contribute, in the field of the Portuguese language teaching in its mode of reading comprehension, to the development of interactive tasks that allow a dynamic and contextualized approach to the text from the alluded perspective, based on the resources available in the electronic media.

KEYWORDS: coherence; intertextuality; reading comprehension; textualization mechanisms; tasks.


Palavras-chave


coherencia; intertextualidad; lectocomprensión; mecanismos de textualización; tareas.

Texto completo:

PDF (Español (España))

Referências


ADAM, J-M. La linguistique textuelle. Introduction à l’analyse textuelle des discours. 2. ed. Paris: Armand Colin, 2005.

BAGNO, M. Português ou brasileiro? Um convite à pesquisa. 4. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

BAKTHIN, M. A cultura popular na Idade media e no Renascimento. O contexto de François Rabelais. São Paulo/Brasília: HUCITEC/Edunb, 1996.

BEAUGRANDE, R-A. de; DRESSLER, W. U. Introducción a la lingüística del texto. Barcelona: Ariel, 1997.

BLYNN-AVANOSIAN, S. A crônica brasileira: Gênero literário representando o espírito do Modernismo e a capacidade de conservar o Humanismo na Modernidade. Mester, Los Ángeles, v. 22, n. 1, p. 53-65, 1993. Disponible en: http://escholarship.org/uc/item/969656d6. Acceso: 12 dic. 2015.

BRONCKART, J-P. Activité langagière, textes et discours. Pour un interactionisme socio-discursif. Lausana: Delachaux et Niestlé, 1996 (Trad. Española: Madrid, Fundación Infancia y Aprendizaje, 2004).

CASTILHO, A. de. Nova gramática do português brasileiro. São Paulo: Parábola, 2010.

DIAS, H. B. M.; BIDARRA, J. Inovar a aprendizagem online do português L2: novos media digitais e o desenvolvimento de tarefas. In: JORNADAS TICLÍNGUAS, 1, Braga, 2010 – Primeiras Jornadas TicLínguas. Braga: [s.n.], 2010, p. 1-11. Disponible en: http://repositorioaberto.uab.pt/handle/10400.2/2716. Acceso: 15 oct. 2015.

DUARTE, I. Aspectos linguísticos da organização textual. In: MATEUS, M. H. M. et alii. Gramática da língua portuguesa. 5. ed. Lisboa: Caminho, 2003. p. 85-123.

FIGUEIREDO, A. D. de. Língua portuguesa e o desafio das novas tecnologias: iliteracias e contextos. In: AA. VV. A Língua portuguesa: presente e futuro. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2004, p. 141-162.

HALLIDAY, M. A. K.; HASAN, R. Cohesion in English. London: Longman, 1976.

ILARI, R.; BASSO, R. O português da gente. A língua que estudamos a língua que falamos. São Paulo: Contexto, 2006.

KOCH, I. V. Introdução à linguística textual. São Paulo: Fontes, 2004.

LOPES, A. M. Texto e coerência. Revista Portuguesa de Humanidades, Braga, Portugal, v. 9, n. 1/2, p. 13-33, 2005.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, A. P. et alii. (Orgs.). Gêneros textuais e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002. p. 19-36.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola, 2008.

MEYER, M. Voláteis e versáteis, de variedades e folhetins se fez a crônica. Boletim Bibliográfico Mário de Andrade, v. 46, n. 1-4, p. 17-41, 1985.

NUNAN, D. El diseño de tareas para la clase comunicativa. Cambridge: Cambridge University Press, 1989.

RENKEMA, J. Introducción a los estudios sobre el discurso. Barcelona: Gedisa, 1999.

RIBEIRO, J. U. A extraordinária musicalidade do povo brasileiro. Arte e ciência de roubar galinha. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998. p. 121-5.

SÁ, J. de. A crônica. São Paulo: Ática, 1985.

TAVARES, C. F.; BARBEITO, L. TIC: Implicações e potencialidades para a leitura e a escrita. Intercompreensão. Revista Didáctica das Línguas, Lisboa, 14, p. 129-57, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1983-3652.9.2.77-93

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Texto Livre: Linguagem e Tecnologia
ISSN 1983-3652 (eletrônica)

Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais

Belo Horizonte - Minas Gerais (Brasil)

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
SCImago Journal & Country Rank