Hipertexto e saberes docentes / Hypertext and teaching knowledge

Andréa Lourdes Ribeiro

Resumo


RESUMO: O presente artigo relata a pesquisa realizada sobre os Planos de Aula de Língua Portuguesa disponíveis no Portal do Professor (MEC) com o objetivo de compreendercomo o professor tem lidado com o hipertexto enquanto objeto de ensino-aprendizagem. A delimitação dos saberes docentes empregados na produção de propostas de ensino do hipertexto concentrou-se inicialmente na verificação do conceito de hipertexto subjacente às propostas de ensino e em seguida na avaliação das práticas pedagógicas para o ensino do hipertexto. Os dados gerados foram observados à luz do referencial teórico que contribuiu para situar a tela como novo espaço de escrita; para definir o hipertexto e sua estruturação textual e linguística; para dimensionar as habilidades implicadas nas maneiras de ler e de escrever no ciberespaço; para refletir sobre o ensino do hipertexto (LÉVY, 1999a, 1999b; MARCUSCHI, 2005; SOARES, 2002; XAVIER, 2005; GOMES, 2011; RIBEIRO, 2012). Para a investigação optamos pela abordagem metodológica quantitativa para mensurar os dados e pela qualitativa com o intuito de interpretar os saberes docentes sobre o hipertexto, representados nos Planos de Aula. Os resultados demonstraram a pluralidade de sentidos atribuídos ao hipertexto e que essa modalidade de escrita virtual não é tomada como objeto de ensino, mas sim como uma “inovação” para práticas pedagógicas que reforçam gêneros textuais típicos da cultura impressa.

PALAVRAS-CHAVE: hipertexto; linguística aplicada; ensino; língua portuguesa.

 

ABSTRACT: This paper reports the research performed about the Portuguese Lesson Plans available at the Teacher’s Web Portal in the Brazilian Ministry of Education website, in order to understand how the teacher has dealt with the hypertext as a teaching-learning tool. The teaching-knowledge delimitation used in the elaboration of hypertext teaching proposals was initially focused on the concept of hypertext underlying the proposals and then, on the assessment of pedagogical practices for teaching it. The data were investigated from a theoretical frame that allowed to establish the screen as a new writing space; to define the hypertext and its textual and linguistic structuring; to set a dimension to the skills involved in the ways of reading and writing in cyberspace and to reflect on the hypertext teaching (LÉVY, 1999a, 1999b; MARCUSCHI, 2005; SOARES, 2002; XAVIER, 2005; GOMES, 2011; RIBEIRO, 2012). The research procedures involved the quantitative methodological approach to measure the data, and the qualitative one, aiming at interpreting the teaching-knowledge about the hypertext expressed in the Lesson Plans. The results conveyed the plurality of meanings attributed to hypertext and that this form of virtual writing is not taken as an object of teaching, but rather as an “innovation” for pedagogical practices that reinforces textual genres, typical of a print culture.

KEYWORDS: hypertext; applied linguistics; teaching; Portuguese language.


Palavras-chave


hipertexto; linguística aplicada; ensino; língua portuguesa

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, J. C. Internet & Ensino: novos gêneros, outros desafios. In: ARAÚJO, J. C. (Org). Internet e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2007. p. 15-18.

CHARTIER, R. Formas e sentido. Cultura escrita: entre a distinção e apropriação. Trad. Maria de Lourdes Meirelles Matêncio. Campinas/SP: Mercado de Letras; Associação de leitura do Brasil (ALB), 2003.

COSCARELLI, C. V. Os dons do hipertexto. Littera: Revista de Linguística e Literatura, Pedro Leopoldo: Faculdades Integradas Pedro Leopoldo, v. 4, n. 4, p. 7-19, jul./dez. 2006. Disponível em: http://www.letras.ufmg.br/carlacoscarelli/publicacoes/DonsDoHipertexto.pdf. Acesso em: 30 ago. 2017.

GOMES, L. F. Hipertexto no cotidiano escolar. São Paulo: Editora Cortez, 2011.

LÉVY, P. Cibercultura. Trad. de Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34, 1999a.

LÉVY, P. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. 8. reimpressão. Rio de Janeiro, 1999b.

MARCUSCHI, L. A.; XAVIER, A. C. Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção de sentido. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005.

RAMAL, A. C. Educação na cibercultura: hipertextualidade, leitura, escrita e aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2002.

RIBEIRO, A. E. Convergências e divergências em navegação e leitura. In: COSCARELLI, C. V. Hipertexto na teoria e na Prática. Belo Horizonte: Autêntica, 2012. p. 93-120.

SOARES, M. B. Novas práticas de leitura e escrita: letramento digital. In: Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 81, p. 143-160, dez. 2002. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em: 06 set. 2017.

XAVIER, Antônio C. Leitura, texto e hipertexto. In: MARCUSCHI, L. A.; XAVIER, A. C. Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção de sentido. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005, p. 170-180.

ZACHARIAS, V. R. C. Os ambientes digitais e as práticas de leitura: uma análise de atividades do Portal do Professor do MEC. 2013. 110 f. Dissertação de Mestrado Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1983-3652.11.2.206-218

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Texto Livre: Linguagem e Tecnologia
ISSN 1983-3652 (eletrônica)

Belo Horizonte - Minas Gerais (Brasil)

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.