Investigando adjetivos atributivos em traduções publicadas, em um sistema de tradução automática e na pós-edição monolíngue: contribuições para a pedagogia da tradução / Investigating attributive adjectives in published translations, in a machine translation system and in monolingual post-editing: contributions to translation pedagogy

Norma Barbosa de Lima Fonseca

Resumo


RESUMO: Este artigo visa investigar a tradução em língua portuguesa de adjetivos atributivos em um trecho da obra em língua inglesa Heart of Darkness (CONRAD, 1994) em três estudos. O primeiro analisa as opções de tradução desse trecho em quatro traduções publicadas nos anos 1984, 1996, 2008 e 2011. O segundo examina o insumo da tradução automática desse mesmo trecho fornecido pelo Google Translate. O terceiro analisa textos-alvo produzidos em uma tarefa de pós-edição monolíngue, cujo texto-fonte foi esse mesmo trecho, por oito estudantes de uma disciplina de prática de tradução. Dessa maneira, integra-se uma análise do processo e do produto tradutórios para verificar padrões na tradução de grupos nominais com um, dois e três adjetivos atributivos presentes no trecho analisado. Para a realização desses estudos, utilizou-se parte do RETRAD (Corpus de (Re)Traduções), o qual foi complementado com o trecho traduzido automaticamente pelo Google Translate e com os textos pós-editados pelos estudantes. Os resultados apontam alguns padrões sintáticos e lexicais recorrentes nos grupos nominais com até dois adjetivos atributivos nas traduções publicadas, havendo, no caso de grupos nominais com mais de dois adjetivos, a inclusão de preposições e conjunções em português. Observou-se também uma maior variedade sintática e lexical nos grupos nominais com três ou mais adjetivos atributivos nas traduções publicadas. O fato que os estudantes fizeram poucas alterações nos textos-alvo pós-editados parece indicar que esses participantes não se sentem confiantes para produzir o texto-alvo sem consulta ao texto-fonte. Desse modo, é necessário incentivar o uso de corpora em sala de aula, expor aos estudantes as limitações de sistemas de tradução automática e as estratégias de solução de problemas, levando-os a refletir sobre os processos de tradução e de pós-edição. Isso contribuirá para o aumento da confiança desses estudantes em suas escolhas e para a produção de textos-alvo que representam a língua em uso.
PALAVRAS-CHAVE: adjetivos atributivos; sistema de tradução automática; pós-edição monolíngue; linguística de corpus; pesquisa experimental.


ABSTRACT: This article aims at investigating the translation in Brazilian Portuguese of attributive adjectives in an excerpt from Heart of Darkness (CONRAD, 1994) in three studies. The first analyses the translation of the same excerpt in four translations published in 1984, 1996, 2008 and 2011. The second examines the machine-translated output from English into Portuguese of the same excerpt as provided by Google Translate. The third analyzes the target texts produced in a monolingual post-editing task performed by students of a translation practice subject. Thus, it integrates a process and product analysis to verify patterns of translating noun phrases with one, two and three attributive adjectives in the analyzed excerpt. For this study, part of Corpus de (Re)traduções (RETRAD) was used, which was complemented by the machine-translated output and students’ post-edited texts. Results point to recurrent syntactic and lexical patterns in the translation of noun phrases with up to two attributive adjectives in published translations, with the addition of prepositions and conjunctions in noun phrases with more than two adjectives. Greater syntactic and lexical variety is also found in the translations of noun phrases with three or more attributive adjectives in published translations. The fact that students made a few changes in the post-edited target texts seems to indicate that these participants do not feel confident to produce the target text without referring to the source text. Therefore, it is necessary to promote the use of corpora in translation classroom, to expose students to the limitations of machine translations systems and to problem-solving strategies, leading them to reflect on the translation and post-editing processes. This will contribute to increase students' confidence in their choices and to produce target texts that represent the language in use.
KEYWORDS: attributive adjectives; machine translation system; monolingual post-editing, corpus linguistics; experimental research.

Palavras-chave


adjetivos atributivos; sistema de tradução automática; pós-edição monolíngue; linguística de corpus; pesquisa experimental

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, R. C. A representação de europeus e de africanos como atores sociais em Heart of darkness (O coração das trevas) e em suas traduções para o português: uma abordagem textual da tradução. 2009. 267 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

BAKER, M. Corpora in translation studies: an overview and some suggestions for future research. Target, Amsterdam: Jonh Benjamins, v. 7, n. 2, p. 223-243, 1995.

BAKER, M. Corpus linguistics and translation studies: implications and applications. In: BAKER, M.; FRANCIS, G.; TOGNINI-BONELLI, E. (Ed.). Text and technology: in honour of John Sinclair. Amsterdã/Filadélfia: John Benjamins Publishing Company, p. 233-250, 1993.

BARCELLOS, C. P. Estilo da tradução, convencionalidade e mudanças na tradução: um estudo de caso sobre os padrões de escolhas do tradutor Paulo Henriques Britto. 2016. 196 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

BARCELLOS, C. P. O estilo de tradutores: apresentação do discurso no corpus paralelo Heart of Darkness/(No) Coração das Trevas. 2011. 154 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

BERBER SARDINHA, A. Linguística de corpus. Barueri: Manole, 2004.

BERBER SARDINHA, A. Uso de corpora na formação de tradutores. DELTA. São Paulo, 2003, v. 29, p. 43-70.

BLAUTH, T. P. O indizível em Heart of Darkness e duas traduções brasileiras: um estudo de estilística tradutória. In: ZAVAGLIA, C.; STUPIELLO, E. N. A. (Org.). Tendências contemporâneas dos Estudos da Tradução - volume 2. São José Do Rio Preto: Universidade Estadual Paulista, 2015.

BLAUTH, T. P. A paisagem indescritível em Heart of Darkness e duas traduções brasileiras: um estudo exploratório de estilística tradutória com base em corpus. Belas Infiéis, v. 3, n. 1, p. 185-197, 2014.

CASTRO, M. C. O perfil estilístico de quatro tradutores de Heart of Darkness para o espanhol: uma investigação de mudanças de tradução (shifts in translation) baseada em padrões de itens lexicais de um corpus paralelo. 2015. 181 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

CONRAD, J. Heart of Darkness. London: Penguin Books, 1994.

HATIM, B.; MUNDAY, J. Translation: an advanced resource book. New York: Routledge. 2004.

HOLMES, J. S. The Name and Nature of Translation Studies. In: VENUTI, L. (Ed.). The Translation Studies Reader. Londres e Nova York: Routledge, 1972/2000. p. 172-185.

HURTADO ALBIR, Amparo. Traducción y Traductología: Introducción a la Traductología. Madrid: Cátedra, 2001.

JAKOBSEN, A. L.; SCHOU, L. Logging target text production with Translog. Copenhagen Studies in Language, Copenhagen: Samfundslitteratur, v. 24, p. 9-20, 1999.

JAKOBSON, R. On linguistic aspects of translation. In: VENUTI, L. (Ed.). The Translation Studies Reader, 1959/2004. p. 138-143.

KENDALL, T. Corpora from a sociolinguistic perspective. In: GRIES, S. T. (Ed.), Corpus Studies: future directions, Special Issue of Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 11, n. 2, p. 361-389. 2011.

KENNY, D. Lexis and creativity in translation: a corpus-based study. Manchester, UK e Northampton MA: St Jerome Publishing, 2001, p. 22-72.

KOBY, G. S. Editor's Introduction – Post-editing of Machine Translation Output: Who, What, Why, and How (much). In: KOBY, G. (Ed.). Repairing texts: empirical investigations of machine translation post-editing processes. Tradução de G. S. Koby; G. M. Shreve; K. Mischericow; S. Litzer. Kent, Ohio, London: Kent State University Press, 2001.

KOEHN, P. Enabling monolingual translators: post-editing vs. options. In: Human Language Technologies: The 2010 Annual Conference of the North American Chapter of the ACL. Los Angeles, Califórnia, p. 537-545, 2010. Disponível em: http://www.aclweb.org/anthology/N10-1078. Acesso em: 4 jan. 2014.

KÖNIGS, F. G. Was beim Übersetzen passiert. Theoretische Aspekte, empirische Befunde und praktische Konsequenzen. Die Neueren Sprachen 2, p. 162-185. 1987.

KRINGS, H. Repairing texts: empirical investigations of machine translation Post-editing processes. Tradução de G. S. Koby; G. M. Shreve; K. Mischericow; S. Litzer. Kent, Ohio, London: Kent State University Press, 2001.

KRINGS, H. P. Was in den Kiipfen von Übersetzern vorgeht: eine empirische Untersuchung zur Struktur des Übersetzungsprozesses an fortge-schrittenen Franzõsischlernern. Tübingen: Narr. 1986.

KYTÖ, M. Corpora and historical linguistics. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 11, n. 2, p. 417-457. 2011.

LINDQUIST, H. The use of corpus-based studies in the preparation of handbooks for Translators. In: WILSS, W.; THOME, G. (Ed.). Translation theory and its Implementation in the teaching of translating and interpreting. Tübingen: Narr, 1984, p. 260-270.

MAGALHÃES, C. M.; BLAUTH, T. P. Estilo do tradutor: um estudo do uso do itálico, palavras estrangeiras e itens culturais específicos por seis tradutores do português de Heart of Darkness. In: VIANA, Vander; TAGNIN, S. E. O. (Org.). Corpora na tradução. 2015. p. 171-209.

MAGALHÃES, C. M.; BARCELLOS, C. P. Estilo de tradutores: estudo baseado no corpus Heart of Darkness/(No)Coração Das Trevas. In: IBANOS, A. M. T.; MOTTIN, L. P.; SARMENTO, S.; BERBER SARDINHA, T. (Org.). Pesquisa e perspectivas em linguística de corpus. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2014. p. 441-468.

McCARTHY, M. J.; O’KEEFFE, A. Historical perspective: what are corpora and how have they evolved? In: O’KEEFFE, A.; McCARTHY. M. J. (Ed.). The Routledge Handbook of Corpus Linguistics. Londres: Routledge, 2010. p. 3-13.

McENERY, T.; WILSON, A. Corpus Linguistics: an introduction. Edinburgh: Endinburgh UP, 2001.

MEUNIER, F. Corpus linguistics and second/foreign language learning: exploring multiple paths. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 11, n. 2, p. 459-477, 2011. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-63982011000200008. Acesso em: 5 mar. 2018.

MEYER, C. F. English Corpus Linguistics: an introduction. Cambdridge: Cambridge University Press, 2004.

MONTENEGRO, M. S. O perfil de quatro tradutores portugueses de Heart of darkness: um estudo do estilo do tradutor com base em corpus. 2015. 181 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

MUNDAY, J. The Routledge Companion to Translation Studies, London: Routledge, 2009.

OLOHAN, M.; BAKER, M. Reporting that in translated English: evidence for subconscious processes of explicitation?. Across Languages and Cultures, v. 1, n. 2, p. 141-158, 2000.

RICHENS, R. H.; BOOTH, A. D. Some methods of mechanized translation. In: LOCKE, W.; BOOTH, A. D. (Ed.). Machine translation of languages: fourteen essays. Cambridge, Mass.: MIT Press, 1955, p. 24-46. Acesso em 15 maio 2018. Disponível em:

https://pdfs.semanticscholar.org/b7d6/3112b3da746efa8ae7effb33609fd9a5e85c.pdf. Acesso em: 25 jun. 2018.

SANTOS, P. Tradução automática. In: MATEUS, M. H.; BRANCO, A. H. (Org.). Engenharia da linguagem. Lisboa: Colibri, 1995. p. 121-128.

SÃO JERÔNIMO. Carta a Pamáquio sobre os problemas da tradução, ep. 27. Introdução, revisão de edição, tradução e notas de Aires A. Nascimento. Lisboa: Edições Cosmos, 1995.

SCOTT, M. WordSmith Tools version 6, Stroud: Lexical Analysis Software, 2012.

STUBBS, M. Language corpora. In: DAVIES, A; ELDER, C. (Ed.). The Handbook of Applied Linguistics. Oxford: Blackwell, 2004. p. 106-132.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1983-3652.11.1.121-143

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Texto Livre: Linguagem e Tecnologia
ISSN 1983-3652 (eletrônica)

Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais

Belo Horizonte - Minas Gerais (Brasil)

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.