Narrativa seriada e comunicação: meios, modos e tempos / Serial narrative and communication: medium, mode and age

Cristine Fickelscherer Mattos

Resumo


RESUMO: O trabalho observa as características comunicativas da narrativa seriada do ponto de vista dos estudos contemporâneos de narratologia, em diversos tempos, modos e meios. Emprega o conceito de narrativa transmidiática para examinar a diversificada dinâmica de produção e recepção do gênero serial de forma contrastiva e diacrônica, e pondera acerca de seus efeitos sobre os seus elementos narrativos. Observa como inovações tecnológicas suscitam novos modos de narrativa seriada, que acionam novas referencialidades, através da complexa triangulação que envolve produção, recepção e meio de transmissão. Estuda ainda como contextos midiáticos específicos associam-se a disposições produtivas e receptivas que trabalham as heranças da narrativa seriada para simultaneamente alterá-las e reafirmá-las.

PALAVRAS-CHAVE: narratologia transmidiática; narrativa seriada;série televisiva.

 

ABSTRACT: The work observes the communicative characteristics of the serial narrative from the point of view of contemporary studies of narratology, at different ages, modes and media. Inside a transmedial narratology, it examines its diversified dynamics of production and reception in a contrastive and diachronic way and ponders about its effects on the narrative elements. It observes how technological innovations give rise to new modes of serial narrative that trigger new referentialities through the complex triangulation that involves production, reception, and mediation. It also studies how specific media contexts associate themselves with productive and receptive dispositions that work the heritages of the serial narrative to change and simultaneously reaffirm them.

KEYWORDS: transmedialnarratology; serial narrative; TV show.


Palavras-chave


narratologia transmidiática; narrativa seriada; série televisiva.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BARTHES, R. Introduction à l'analyse structurale des récits. In: Communications, Paris, v. 8, p. 1-27, 1966.

BORT GUAL, I. Nuevos paradigmas en los telones de relato audiovisual contemporâneo. Tesis doctoral, Universitat Jaume I, Castellón, Espanha, 2008.

BURKE, P. História social da mídia: de Gutemberg à internet. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

CHARTIER, R. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo/Editora UNESP, 1998.

CHATMAN, S. Story and Discourse: Narrative Structure in Fiction and Film. Ithaca: Cornell University Press, 1978.

DINIZ, J. A. A recriação dos gêneros eletrônicos analógico-digitais: radionovela, telenovela e webnovela. 2009. 255 f. Tese (Doutorado em Comunicação social). Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2009.

GENETTE, G. Figures III. Paris: Seuil, 1972.

GOMES, A. L.; RODRÍGUEZ, E. D. Rádio e memória. Natal: Editora da UFRN, 2016.

GOMEZ, J. Grappling with the Collective Journey, 2017. Disponível em: https://simonstaffans.com/2017/01/23/grappling-with-the-collective-journey/. Acesso em: 01 jun. 2018.

JENKINS, H. Cultura da convergência. 2. ed. ampl. e atual. São Paulo: Aleph, 2009.

MACHADO, A. A televisão levada a sério. São Paulo: Senac, 2000.

MCLUHAN, M. Os meios de comunicação como extensões do homem. São Paulo: Cultrix, 1974.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONISIO, A. P.; MACHADO, A. R.; BEZERRA, M. A. (Org.) Gêneros textuais e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002, p. 19-36.

MEISTER, J. C. Introduction: Narratology beyond Literary Criticism. In: MEISTER, J. C.(Ed.) Narratology beyond Literary Criticism: Mediality, Disciplinarity. Berlin: 2005, p. ix-xvi.

METZ, C. Linguagem e cinema. São Paulo: Perspectiva, 1971.

MEYER, M. Folhetim: uma história. São Paulo: Cia da Letras, 2005.

NATIONAL FILM PRESERVATION FOUNDATION. The Active Life of Dolly of the Dailies: Episode Five, “The Chinese Fan”, 1914. Disponível em: https://www.filmpreservation.org/userfiles/image/PDFs/DollyOfTheDailies_paper.pdf. Acesso em: 15 mai. 2018.

PRINCE, G. A Dictionary of Narratology. Lincon: University of Nebraska Press, 1987.

RYAN, M-L. Narrative across Media: Languages of Storytelling. Lincon: University of Nebraska Press, 2004.

RYAN, M-L. On the Theoretical Foundations of Transmedial Narratology. In: MEISTER, J. C. Narratology beyond Literary Criticism: Mediality, Disciplinarity. Berlin: 2005, p. 1-21.

SANTAELLA, L. Da cultura das mídias à cibercultura: o advento do pós-humano, Revista Famecos, Porto Alegre, v. 10, n. 22 dez. 2003.

SHEFFIELD, R. How We Went From Television's Golden Age to 'Peak TV' Blues. In: Rolling Stone, 15 september, 2015. Disponível em: https://www.rollingstone.com/tv/features/how-we-went-from-televisions-golden-age-to-peak-tv-blues-20150915. Acesso em: 25 mai. 2018.

THON, J-N. Transmedial Narratology and Contemporary Media Culture. Lincon: University of Nebraska Press, 2016.

TODOROV, T. Os gêneros do discurso. São Paulo: Martins Fontes, 1980.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1983-3652.11.3.268-280

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Texto Livre: Linguagem e Tecnologia
ISSN 1983-3652 (eletrônica)

Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais

Belo Horizonte - Minas Gerais (Brasil)

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.