O semissimbolismo na dança

Isabel Cristina Vieira Coimbra Diniz

Resumo


Há textos em que o plano da expressão funciona apenas como veículo do conteúdo, mas, em outros casos, o plano da expressão passa a fazer sentido e ser objeto de estudo quando há também uma relação entre uma forma de expressão e uma forma de conteúdo. Para a semiótica francesa, essa relação entre o plano de conteúdo e o plano da expressão é chamada de semissimbólica e é arbitrária porque é sempre fixada em determinado contexto. Por ser um caso particular de comunicação gestual (visual-auditiva), a dança se expressa sincreticamente, relacionacionando-se a seu percurso gerativo de sentido o plano da expressão e o plano do conteúdo, constituindo sistemas semissimbólicos. O objetivo desse artigo é promover uma aproximação entre a Dança e a Semiótica, focalizando, sob a luz da semiótica francesa, o sistema semissimbólico. Como aplicação, fazemos uma pequena análise do espetáculo de dança Le Sacre du Printemps, de Pina Bausch.


Palavras-chave


Semissimbolismo. Semiótica Francesa. Dança.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1983-3652.7.1.148-157

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Texto Livre: Linguagem e Tecnologia
ISSN 1983-3652 (eletrônica)

Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais

Belo Horizonte - Minas Gerais (Brasil)

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.