Leitoras de Carne e Osso: A Mulher e as Condições da Leitura no Brasil no Século XIX

Regina Zílberman

Resumo


Cet essai a pour but I'étude de l'éducation des femmes au Brésil dans la seconde moitié du XIXeme siecle, aussi bien que la création et l'ascension d'un public de lectrices manipulé par des écrivants.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Luciana de. Preleções. Prefácio, estudo e coletânea de Dante de Laytano. Porto Alegre: Museu Júlio de Castilhos, 1949. p. 17-19: Educação das mães de familia; p. 25: Emancipação da mulher.

AGASSIZ, Luiz, CARY, Elizabeth. Viagem ao Brasil; 1865-1866. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Edusp, 1975.

ALENCAR, José de. Como e porque sou romancista. Adapt. ortográfica de Carlos de Aquino Pereira. Campinas: Pontes, 1990.

ALMEIDA, Júlia Lopes de. O livro das noivas. 3. ed. Rio de Janeiro: [s.d.], 1895.

ARANHA, Graça. O meu próprio romance. São Paulo: Nacional, 1931.

ASSIS, Machado de. Crônicas. São Paulo: Mérito, 1959.

ASSIS, Machado de. A semana. São Paulo: Mérito, 1959.

AUGUSTA, Nísia Floresta Brasileira. Conselhos à minha filha. 2. ed. Rio de Janeiro: Tipografia Imparcial, 1845.

AUGUSTA, Nísia Floresta Brasileira. Discurso que às suas educandas proferiu em 18 de dezembro de 1847. Rio de Janeiro: Tipografia Imparcial, 1847.

AUGUSTA, Nísia Floresta Brasileira. Opúsculo humanitário. Edição atualizada com introdução e notas de Peggy Sharpe Valadares. (mimeogr.).

BARROSO, Francisco. A mulher. A mensageira; Revista Literária Dedicada à Mulher Brasileira, São Paulo, v. 1, n. 14, p. 220-223, abril 1898. (Edição facsimilada. São Paulo: Imprensa Oficial, 1987.2v.)

BELMAN, E. Moça prendada. In: LEITE, Míriam Moreira (Org.). A condição feminina no Rio de Janeiro; século XIX. São Paulo: Hucitec; Brasília: Instituto Nacional do livro, 1984.

BELO, Oliveira. A instrução e o século. Revista do Partenon Literário, Porto Alegre, v. 1, n. 1, jan. 1875.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política; ensaios sobre literatura e história da cultura. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1985.

BOSI, Ecleia. Memória e sociedade. São Paulo: T. A. Queiroz, 1981.

D., M. P. C. A nossa condição. A Mensageira; Revista Literária Dedicada à Mulher Brasileira. São Paulo, v. 1, n. 4, nov. 1897. (Edição facsimilada. São Paulo: Imprensa Oficial, 1987. 2.v.)

DEBRET, Jean Baptiste. Viagem pitoresca e histórica ao Brasil. Trad. Sérgio Milliet. São Paulo: Martins, 1954. 2.v.

EXPILLY, Charles. Mulheres e costumes do Brasil. São Paulo: Nacional, 1935.

FERREIRA, Joaquim. Verdadeiro método de estudar por Luís Antônio Vemey. Porto: Domingos Barreira, [s.d.].

KIDDER, Daniel; FLETCHER, J.C. O Brasil e os brasileiros; esboço histórico e descritivo. São Paulo: Nacional, 1941.

KOSTER, Henry. Viagens ao nordeste do Brasil. Trad. Luiz da Câmara Cascudo. São Paulo: Nacional, 1942.

LAMBERG, Moritz. Educação diferenciada. In: LEITE, Míriam Moreira (Org.). A condição feminina no Rio de Janeiro; séc.XIX. São Paulo: Hucitec; Brasília: Instituto Nacional do Livro, 1984.

LUCCOCK, John. Notas sobre o Rio de Janeiro e partes meridionais do Brasil. Trad. Milton da Silva Rodrigues. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Edusp, 1975.

MANET, Edouard. Lettres de jeunesse (1848-1849); Voyage à Rio. Paris: Louis Rouart & Fils, 1928.

RIO, João do. O momento literário. Rio de Janeiro: Garnier, [s.d.]. p. 23: Um lar de artistas.

SOUSA, Cruz e. Poesia Completa. Florianópolis: Fundação Catarinense de Cultura, 1981. p. 249-251: Saudação.

VERÍSSIMO, José. A educação nacional. 3. ed. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1985.

VERÍSSIMO, José. Estudos de literatura brasileira. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Edusp, 1977. p. 46: Das condições da produção literária no Brasil. (3a série).




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.1.0.31-47

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 1993 Regina Zílberman



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.