A problemática do poder na escrita teatral de Griselda Gambaro

Sara del Carmen Rojo de la Rosa

Resumo


Esta pesquisa utiliza o conceito de gênero e a teoria semiótica, na abordagem da produção teatral de Griselda Gambaro (1928). Griselda Gambaro se caracteriza por uma linguagem mordaz e uma enunciação a partir do "outro". Seus textos levam o espectador a situações limites onde as personagens lutam contra o poder que anula quase sempre toda forma de vida, testemunhando as relações destrutivas existentes em nossas sociedades. O artigo parte do "eu" como sujeito produtor de discursos no interior de uma determinada cultura e reflete sobre as linguagens usadas dentro do corpus analisado; assim como sobre as variações de perspectivas e semânticas produzidas nos distintos períodos da escrita de Griselda Gambaro.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Elba; CRAMSIE, Hilde (Ed.). Dramaturgas latinoamericanas contemporaneas. Madrid: Verbum, 1991.

GAMBARO, Griselda. Obras completas. Argentina: La flor, 1984, 1987, 1989, 1990, 1991. v. I, II, III, IV, V.

GIORDANO, Enrique. Ambigüedad y alteridad del sujeto dramático en El campo de Griselda Gambaro. Alba de América. USA: Instituto de Cultura Hispânico, v. VII, fasc. 13 e14, p. 47-59, jul. 1989.

MÉNDEZ, Teresa. Entrevista a Griselda Gambaro. Alba de América. USA: Instituto de Cultura Hispánico, v. VII, fasc. 13 e 14, p. 419-427, jul. 1989.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.4.0.81-88

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 1996 Sara del Carmen Rojo de la Rosa



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.