Da fragmentação das utopias: El Continente Negro, de Marco Antonio de la Parra

Graciela Ravetti

Resumo


Reflexões sobre a peça de teatro EI continente negro, do dramaturgo chileno Marco Antonio de la Parra, atualmente encenada pelo grupo de teatro hispânico Mayombe, da Faculdade de Letras. A partir de perspectivas abertas pela teoria da desconstrução, este artigo analisa o texto evidenciando as articulações de um sistema/rizoma como o que Deleuze e Guattari descrevem com os princípios de conexão, de heterogeneidade e de multiplicidade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.4.0.89-96

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 1996 Graciela Ravetti



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.