O Antonio (Vicente Mendes de Maciel) de Conselheiro: o deslocamento de um nome, nascimento e desconstrução

Karla Patricia Holanda Martins

Resumo


Resumo: Pensando lado a lado construção identitária e construção narrativa, o presente trabalho pretende refletir acerca de algumas das narrativas construídas em torno das representações do sertão. Tomaremos como ponto de partida algumas das obras dos escritores José de Alencar, Euclides da Cunha e Graciliano Ramos e seus respectivos mitos identitários. Privilegiamos a figura emblemática de Antonio Conselheiro e seu deslocamento do sertão central do Ceará, tomando-o como uma metáfora da estratégia de sobrevivência psíquica acionada pelo sujeito diante de uma situação que impõe a deserção.

Palavras-chave: sertão; deslocamento; desconstrução; perdão; narrativa.

Abstract: The present work aims to approach identity construction with narrative construction by working with some of the narratives built around representations of sertão (outback). We will be working with some of the texts by José de Alencar, Euclides da Cunha and Graciliano Ramos and their respective identity myths. We will privilege the emblematic figure of Antonio Conselheiro and his displacement from the outback of Ceará as a metaphor of the psychic survival strategy chosen by the subject facing a situation that imposes desertion.

Keywords: sertão; displacement; deconstruction; narrative.


Palavras-chave


sertão; deslocamento; desconstrução; perdão; narrativa; displacement; deconstruction; narrative.

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, José de. O Sertanejo. São Paulo: Editora Rideel, 1997.

ALVES, Francisco José. A pátria é um orangotango. Revista Síntese. Brasília: Ed. Senado Federal, Ano 5, p. 46-55, 2000.

ARENDT, Hannah. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1999. p. 248-259.

BATAILLE, George. Teoria da religião. São Paulo: Editora Ática, 1993.

BIRMAN, Joel. Por uma estilística da existência. Rio de Janeiro: Editora 34,1996, p.89. BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, s/d.

CANDIDO, Antonio. Ficção e confissão: ensaios sobre Graciliano Ramos. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

COSTA, Jurandir F. O mito psicanalítico do desamparo. Revista Ágora. Estudos em Teoria Psicanalítica. Rio de Janeiro: Editora Contra Capa, v. III, n. 1, p.25-46, jan/jun. 2000.

CUNHA, Euclides da. Os Sertões. Campanha de Canudos (1901). São Paulo: Ed. Círculo do Livro, 1989.

CUNHA, Euclides da. Diário de uma expedição (1897). São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

FREUD, S. Obras Completas de Sigmund Freud. Buenos Aires: Amorrotu Editores, 1996. v. 1 e 14.

FREUD, S. Luto e melancolia. Apresentação, tradução do original alemão, notas de tradução e discussão de Marilene Carone. Revista Novos Estudos - CEBRAP, n. 32, mar. p.128-142, 1992.

LAMBOTTE, Marie-Claude. O discurso melancólico: da fenomenologia à psicanálise. Rio de Janeiro: Companhia de Freud, 1998.

LUCIA HELENA. Coração grosso: migração das almas e dos sentidos. ALCEU: Revista de Comunicação, Cultura e Política. Rio de Janeiro: Pontifícia Universidade Católica, Departamento de Comunicação Social, v.1, n.2, p. 63-76, jan./jun. 2001.

MARTINS, K.P.H.; PINHEIRO, M. T. da S. O texto imagético: parnasianismo e a experiência psicanalítica. In: LO BIANCO, A. C. (Org.) Formações teóricas da clínica. Rio de Janeiro: Contra-Capa, 2001. p. 57-72.

MERQUIOR, José Guilherme. De Anchieta a Euclides: uma breve história da literatura brasileira. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1979.

PINHEIRO, Maria Teresa da Silveira. Algumas considerações sobre o narcisismo, as instâncias ideais e a melancolia. Cadernos de Psicanálise, v. 12, n. 15, p. 20-28, 1995a.

PINHEIRO, Maria Teresa da Silveira. Trauma e melancolia. Revista Percurso, n.10, p.50-55, 1/1993.

PINHEIRO, Maria Teresa da Silveira. O estatuto do objeto na melancolia. In: Cultura da ilusão. Rio de Janeiro: Contra-Capa Livraria e Editora, 1998. p. 119-129.

PINHEIRO, Maria Teresa da Silveira. Ferenczi - Do grito à palavra. Rio de Janeiro: Zahar/ UFRJ, 1995b.

PINHEIRO, T. da S.; JORDÃO, A.; MARTINS, K. P. H. A certeza de si e o ato de perdoar. Cadernos de Psicanálise. SPCRJ, 1998.

RAMOS, Graciliano. Vidas Secas. Rio de Janeiro: Record, 1983. RAMOS, Graciliano. Infância. Rio de Janeiro: Record,1986.

RAMOS, Graciliano. Linhas tortas. Rio de Janeiro: Record, 1980a.

RAMOS, Graciliano. Vivente das Alagoas. Rio de Janeiro: Record, 1980b.

SCHØLLHAMMER, Karl Erik. Regimes representativos da modernidade. In: ALCEU: Revista de Comunicação, Cultura e Política. Rio de Janeiro: Pontifícia Universidade Católica, Departamento de Comunicação Social, v. 1, n.2, p. 28-41, jan./jun., 2001.

SOUZA, Octavio. Fantasia de Brasil: As identificações na busca da identidade nacional. São Paulo: Escuta, 1994.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.12.0.151-159

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2005 Karla Patricia Holanda Martins



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.