A complexização do objeto artístico: uma análise da obra de Angela Lago

André Mendes

Resumo


Esse artigo pretende defender a idéia de que as ilustrações produzidas por Angela Lago, por serem sistemas complexos, são capazes de acrescentar ao texto escrito ao qual reportam um maior número de significados, ampliando as possibilidades de leitura dessas obras, enriquecendo-as como objeto artístico.

Texto completo:

PDF

Referências


ESCHER, Maurits Cornelis. The World of M. C. Escher. Amsterdam: Meulenhoff International, 1971.

LAGO, Ângela. O Cântico dos Cânticos. São Paulo: Editora Paulinas, 1992.

LAGO, Ângela. De morte. Belo Horizonte: RHJ, 1992.

MENDES, André. O amor e o diabo em Angela Lago: a complexidade do objeto artístico. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Lisboa: Instituto Piaget, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.14.2.138-146

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2006 André Mendes



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.