Feições do racismo no conto “Pixaim”, de Cristiane Sobral / Racism Features in the Tale “Pixaim”, by Cristiane Sobral

Franciane Conceição da Silva

Resumo


Resumo: O presente artigo analisa o conto “Pixaim”, extraído da coletânea Espelhos, miradouros, dialéticas da percepção (2011), da escritora Cristiane Sobral. No conto encena-se a relação conflituosa entre a protagonista negra e a sua mãe branca. Nesta relação, o ato da mãe de submeter o cabelo da filha a diversos processos de alisamento, tentando amansar a rebeldia dos fios crespos, metaforiza a dificuldade da mulher branca em aceitar o fenótipo da criança negra. No decorrer da análise do conto, procuramos compreender as estratégias narrativas utilizadas pela autora para encenar a violência do racismo que se manifesta no contexto de uma família interracial. Aprofundamos a análise da temática abordada na narrativa de Sobral, recorrendo a estudos de diferentes áreas do saber, destacando-se a Psicologia e a Psicanálise.

Palavras-chave: literatura afro-brasileira; Cristiane Sobral; Pixaim; racismo; família interracial.

Abstract: This article analyzes the story “Pixaim”, extracted from the collection Espelhos, miradouros, dialéticas da percepção (2011), by Cristiane Sobral. In this story, there is a conflict between the black protagonist and her white mother. In this relationship, the act of the mother’s subjection of her daughter’s hair to several straightening processes, trying to tame the rebellion of the curly strands, metaphorizes the struggle of white women to accept the phenotype of black children. In this analysis, we tried to understand the narrative strategies used by the author to stage the violence of racism that is manifested in the context of an interracial family. We aimed at an in-depth investigation of the subject approached in the narrative of Sobral, resorting to studies of different fields of knowledge, especially, Psychology and Psychoanalysis.

Keywords: Afro-Brazilian literature; Cristiane Sobral; Pixaim; racism; interracial family.


Palavras-chave


literatura afro-brasileira; Cristiane Sobral; Pixaim; racismo; família interracial; Afro-Brazilian literature; racism; interracial family.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Maria de Lourdes Bertoni; SANTANA, Wylliane Estelaide Paixão de; KATRIB, Cairo Mohamad Ibrahim. Nega do cabelo duro, qual é o pente que te penteia?. CONGRESSO Internacional de História: Cultura, Sociedade e Poder, 4., Jataí, 2014. Anais eletrônicos... Jataí: UFG, 1014. p. 1-10. Disponível em: http://www.congressohistoriajatai.org/anais2014/Link%20(180).pdf. Acesso em: 5 mar. 2018.

COSTA, Jurandir Freire. Da cor ao corpo: a violência do racismo. In: SOUSA, Neusa Santos. Tornar-se negro: as vicissitudes da identidade do negro brasileiro em ascensão social. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1983. p.135-153.

GOMES, Nilma Lino. Educação, identidade negra e formação de professores/as: um olhar sobre o corpo negro e o cabelo crespo. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 29, n. 1, p. 167-182, jan./jun. 2003.

Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v29n1/a12v29n1.pdf. Acesso em: 1 mar. 2018.

HOOKS, bell. Alisando o nosso cabelo. Tradução de Lia Maria dos Santos. Geledés, [S.l.], 10 jun. 2014. Disponível em: https://www. geledes.org.br/alisando-o-nosso-cabelo-por-bell-hooks/. Acesso em: 8 fev. 2017.

SCHUCMAN, Lia Vainer; FACHIM, Felipe Luis. A cor de Amanda: identificações familiares, mestiçagem e classificações raciais brasileiras. Interfaces Brasil/Canadá, Florianópolis, Pelotas, São Paulo, v. 16, p. 182-205, n. 3, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/

index.php/interfaces/article/view/10001/6763. Acesso em: 9 jan. 2018.

SCHUCMAN, Lia Vainer; GONÇALVES, Mônica Mendes. Racismo na família e a construção da negritude: embates e limites entre a degradação e a positivação na constituição do sujeito. Odeere, Jequié, BA, v. 2, n. 4, p. 61-83, dez. 2017. Disponível em: http://periodicos2.uesb.br/index.php/odeere/article/view/2366.. Acesso em: 10 jan. 2018.

SCHUCMAN, Lia Vainer; MANDELBAUM, Belinda; FACHIM, Felipe Lui. Minha mãe pintou meu pai de branco: afetos e negação da raça em famílias interraciais. Revista de Ciências Humanas, Florianópolis, v.

, n. 2, p. 439-455, jul./dez. 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/revistacfh/article/view/2178-4582.2017v51n2p439/35691. Acesso em: 9 jan. 2018.

SEN, Amartya. Identidade e violência: a ilusão do destino. Tradução de José Antônio Arantes. São Paulo: Iluminuras, Itaú Cultural, 2015.

SOBRAL, Cristiane. Espelhos, miradouros, dialéticas da percepção. Brasília: Editora Dulcina, 2011.

SOUZA, Neusa Santos. Tornar-se negro: as vicissitudes da identidade do negro brasileiro em ascensão social. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1983.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.28.4.103-117

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Franciane Conceição da Silva

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.