Meio ambiente e literatura

Marli de Oliveira Fantini Scarpelli

Resumo


Resumo: Este artigo busca reconhecer alguns pontos de tangência entre os romances Vidas secas, de Graciliano Ramos, As cidades invisíveis, de Italo Calvino, e Grande sertão: veredas, de Guimarães Rosa, sobretudo no que respeita às relações modalizantes entre literatura e meio ambiente. Em meio à diversidade temática das obras indicadas, subjaz o tema da consciência ambiental, que, nas últimas décadas, vem recebendo a crescente adesão não apenas de ambientalistas, mas também de intelectuais, políticos, escritores. O foco na degradação ambiental, no alerta implícito acerca das precárias condições de vida futura em nosso planeta revela um dos nucleares e contundentes problemas a desafiar a agenda contemporânea. Nesse sentido, revela-se paradigmático o “lugar-sertão” rosiano, que, ao difundir seu território, seus valores e denúncias, patenteia uma concepção ambiental inovadora e reticular, em estreito diálogo com as atuais pesquisas interdisciplinares sobre o tema, as quais deveriam doravante guardar, em seu horizonte de expectativa, os paradigmas, as perspectivas e os equacionamentos que alicerçam as artes em geral e a literatura em particular.

Palavras-chave: meio ambiente; literatura; modernidade.

Abstract: This article aims to identify some tangential aspects among the novels Vidas Secas, by Graciliano Ramos, As cidades invisíveis, by Italo Calvino, and Grande Sertão: Veredas, by Guimarães Rosa, especially those referring to the modalizing relations between literature and environment. Amongst the thematic diversity of the indicated novels it is subjacent the environmental conscience theme. In the last decades such theme has been receiving increasing attention not only by environmentalists but also by intellectuals and politicians. The focus on environmental degradation and on the implicit alert about the poor future life conditions in our planet reveals one of the main and incisive problems as challenges to the contemporaneous agenda. In this sense, the “lugar-sertão” of Guimarães Rosa reveals itself as been paradigmatic which, by revealing its territory, values, and denunciations, shows an innovative and reticular environmental conception, in a close dialogue with the current interdisciplinary researches on the theme. These researches should keep, from that moment on, in their expectative horizon, the paradigms, perspectives, and problems to solve that consolidate the arts in general and, specifically, the literature.

Keywords: environment; literature; contemporaneity.


Palavras-chave


meio ambiente; literatura; modernidade; environment; literature; contemporaneity.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoiévski. Trad. Paulo Bezerra. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1981.

BARTHES, Roland. Aula. Trad. Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Cultrix, 1978.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Trad. Myriam Ávila et. al. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

CALVINO, Italo. As cidades invisíveis. Trad. Diogo Mainardi. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CALVINO, Italo. Seis propostas para o próximo milênio. Trad. Ivo Barroso. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CANDIDO, Antonio. Os bichos do subterrâneo. In: ______. Tese e antítese. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1964.

CANDIDO, Antonio. Tese e antítese. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1964.

CAPRA, Fritjorf. Alfabetização ecológica: o desafio para a educação no século XXI. In: TRIGUEIRO, André. Meio ambiente no século XXI. Rio de Janeiro: Sextante, 2003.

GUCCI, Guilhermo. Viajantes do maravilhoso. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

LINS, Álvaro. Valores e misérias das vidas secas. In: RAMOS, Graciliano. Vidas secas. São Paulo: Record, 1989.

MELUCCI, Alberto. A invenção do presente: movimentos sociais nas sociedades complexas. Florianópolis: Vozes, 2001.

MOURÃO, Rui. Estruturas. Belo Horizonte: Tendência, 1969.

PAZ, Octavio. Traducción: literatura y literalidad. Barcelona: Tusquets, 1981.

POLO, Marco. O livro das maravilhas: a descrição do mundo. Porto Alegre: L&PM, 1990.

RAMOS, Graciliano. Vidas secas. São Paulo: Martins, 1967.

RAVETTI, Graciela. Performances escritas. In: O corpo em performance. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2003.

RICHARD, Nelly. Resíduos y metáforas: ensayos de crítica cultural sobre el Chile de la transición. Santiago: Cuarto Propio, 1998.

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. 21. ed. Rio de Janeiro: Nova fronteira, 1986.

SANTOS, Vânia Maria Nunes dos. O uso escolar das imagens de satélite: a socialização da ciência e tecnologia espacial. Disponível em: http://www.eca.usp.br/nucleos/nce/pdf/ 161.pdf. Acesso em: 20 out. 2006.

TRICART, Jean. Ecodinâmica. Rio de Janeiro: IBGE/SUPREN, 1977. Disponível em: www.autonomia.com.br/proposta/transdisciplinariedade.php-18k. Acesso em: 17 jun. 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.15.1.188-204

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2007 Marli de Oliveira Fantini Scarpelli



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.