Espaços literários e suas expansões

Luis Alberto Brandão Santos

Resumo


Resumo: Este trabalho define os principais modos segundo os quais a categoria espaço tem sido utilizada em análises literárias. Estes modos são: representação do espaço; espaço como estruturação textual; espaço como focalização; espaço da linguagem. Também aborda algumas tentativas de expandir o conceito de espaço e discute possíveis conseqüências para os Estudos Literários.

Palavras-chave: espaço; espaço literário; literatura; teoria da literatura.

Abstract: This paper defines the main ways according to which the category space is used in literary analysis. They are: representation of space; space as textual structuration; space as focalization; space of language. Also investigates some attempts to expand the concept of space and discusses possible consequences to Literary Studies.

Keywords: space; literary space; literature; literary theory.


Palavras-chave


espaço; espaço literário; literatura; teoria da literatura; space; literary space; literature; literary theory.

Texto completo:

PDF

Referências


ABDALA JÚNIOR, Benjamin. Fronteiras múltiplas, identidades plurais. São Paulo: Senac, 2002.

BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

BAKHTIN, Mikhail. O problema do conteúdo, do material e da forma na criação literária. In: ______. Questões de literatura e de estética. São Paulo: Unesp, Hucitec, 1988. p. 13-70.

BAKHTIN, Mikhail. Forms of time and chronotope in the novel. In: ______. The dialogic imagination. Austin: University of Texas Press, 1981. p.84-258.

BARTHES, Roland et al. Análise estrutural da narrativa. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1972.

BARTHES, Roland. Sémiologie et urbanisme. In: ______. Oeuvres complètes. Paris: Seuil, 1994. v. 2. p. 439-446.

BARTHES, Roland. Le plaisir du texte. In: ______. Oeuvres complètes. Paris: Seuil, 2002. v. 4. p. 217-264.

BENJAMIN, Walter. Charles Baudelaire: um lírico no auge do capitalismo. 3.ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BENJAMIN, Walter. The arcades project. Cambridge, London: Harvard University Press, 1999.

BHABHA, Homi K. The location of culture. London, New York: Routledge, 1990.

BITTENCOURT, Gilda Neves et al. (Org.) Geografias literárias e culturais: espaços/temporalidades. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2004.

BLANCHOT, Maurice. O livro por vir. Lisboa: Relógio D’água, 1984.

BOLLE, Willi. Fisiognomia da metrópole moderna. 2. ed. São Paulo: Edusp, 2000.

BRANDÃO, Luis Alberto. Breve história do espaço na Teoria da Literatura. Cerrados. Brasília, UnB, n. 19, p. 115-133, 2005.

BRANDÃO, Luis Alberto. Chronotope. Theory, Culture and Society, London, v. 23, n. 2-3, p. 133-134, March-May 2006.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O liso e o estriado. In: ______. Mil platôs. São Paulo: 34, 1997. v. 5. p. 179-214.

DERRIDA, Jacques. Margens da filosofia. Campinas: Papirus, 1991.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas. 5. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

FOUCAULT, Michel. Des espaces autres. In: ______. Dits et écrits (1954-1988). Paris: Gallimard, 2001. p. 1571-1581.

FRANK, Joseph. The idea of spatial form. New Brunswick, London: Rutgers University Press, 1991.

GENETTE, Gérard. Discurso da narrativa. Lisboa: Arcádia, 1979.

GENETTE, Gérard. La littérature et l’espace. In: ______. Figures II. Paris: Seuil, 1969. p. 43-48.

GOMES, Renato Cordeiro. Todas as cidades, a cidade. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.

GREIMAS, Algirdas Julien. Ensaios de semiótica poética. São Paulo: Cultrix, 1976.

GREIMAS, Algirdas Julien. Semântica estrutural: pesquisa de método. 2. ed. São Paulo: Cultrix, 1976.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 3.ed. Rio de Janeiro: DP&A, 1999.

HALL, Stuart. Da diáspora. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

ISER, Wolfgang. O fictício e o imaginário. Rio de Janeiro: Editora UERJ, 1996.

JAKOBSON, Roman. Arte verbal, signo verbal, tiempo verbal. México: Fondo de Cultura Económica: 1992.

JAKOBSON, Roman. Lingüística e comunicação. São Paulo: Cultrix, s.d.

JAKOBSON, Roman. Lingüística. Poética. Cinema. São Paulo: Perspectiva, 1970.

JOHNSON, Richard et al. O que é, afinal, Estudos Culturais? Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

KRISTEVA, Julia. Introdução à semanálise. São Paulo: Perspectiva, 1974.

LESSING, Gotthold Ephraim. Laocoonte: ou sobre os limites da pintura e da poesia. São Paulo: Iluminuras, 1998.

LIMA, Rogério; FERNARDES, Ronaldo Costa (Org.) O imaginário da cidade. Brasília: Editora UnB, 2000.

LOBO, Luiza; FARIA, Márcia Gonçalves (Org.). A poética das cidades. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1999.

LOTMAN, Iuri. A estrutura do texto artístico. Lisboa: Estampa, 1978.

LUKÁCS, Georg. Narrar ou descrever? In: ______. Ensaios sobre literatura. 2.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968. p. 47-99.

LYOTARD, Jean-François. Scapeland. In: ______. O inumano: considerações sobre o tempo. Lisboa: Estampa, 1990. p. 183-190.

MATTELART, André; NEVEU, Érik. Introdução aos Estudos Culturais. São Paulo: Parábola, 2004.

PAZ, Octavio. A dupla chama. São Paulo: Siciliano, 1994.

PECHMAN, Robert Moses. Cidades estreitamente vigiadas: o detetive e o urbanista. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2002.

PEREIRA, Maria Antonieta; REIS, Eliana Lourenço (Org.) Literatura e Estudos Culturais. Belo Horizonte: PosLit/Nelam, 2000.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. O imaginário da cidade: visões literárias do urbano. Porto Alegre: Editora UFRGS, 1999.

POULET, Georges. O espaço proustiano. Rio de Janeiro: Imago, 1992.

PROPP, Vladimir. Morfologia do conto. 4. ed. Lisboa: Vega, 2000.

RAMA, Angel. La ciudad letrada. Montevideo: Arca, 1998.

REIS, Carlos; LOPES, Ana Cristina M. Dicionário de teoria da narrativa. São Paulo: Ática, 1988.

ROCHA, João Cezar de Castro (Org.). Teoria da ficção: indagações à obra de Wolfgang Iser. Rio de Janeiro: Editora UERJ, 1999.

ROUANET, Sérgio Paulo. A razão nômade. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1993.

SAID, Edward. Cultura e imperialismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

SAID, Edward. Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

SARLO, Beatriz. Paisagens imaginárias. São Paulo: Edusp, 1997.

TODOROV, Tzvetan. Estruturalismo e poética. São Paulo: Cultrix, 1976.

ZUBIAURRE, María Teresa. Aspectos semiológicos y narratológicos: sintaxis narrativa y funciones del espacio. In: ______. El espacio en la novela realista. México: Fondo de Cultura Económica, 2000. p. 20-54.

ZUBIAURRE, María Teresa. Hacia una metodología del espacio narrativo. In: ______. El espacio en la novela realista. México: Fondo de Cultura Económica, 2000. p. 15-72.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.15.1.206-220

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2007 Luis Alberto Brandão Santos



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.