Entre meninos e vaqueiros (memórias mineiras para a invenção da narrativa)

Marília Rothier Cardoso

Resumo


Resumo: A partir dos documentos de trabalho de Guimarães Rosa, este artigo explora as implicações entre memória e a construção de paisagens literárias em sua obra, sublinhando o quanto a difusão de imagens do próprio autor, como as da expedição de 1952, afeta de modo inevitável nossa leitura contemporânea.

Palavras-chave: Guimarães Rosa; memória; arquivos literários; imagens.

Abstract: Using Guimarães Rosa’s working papers as a starting point, this paper explores the implications between memory and the construction of literary landscapes in Rosa’s oeuvre, underlining how much the diffusion of images by the author himself, such as those from the 1952 expedition, inevitably affects our contemporary reading.

Keywords: Guimarães Rosa; memory; literary archives; images.


Palavras-chave


Guimarães Rosa; memória; arquivos literários; imagens; memory; literary archives; images.

Texto completo:

PDF

Referências


ARQUIVO GUIMARÃES ROSA – Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo. Cadernos de Literatura Brasileira. n. 20 e 21. Instituto Moreira Salles, dez. 2006.

CAUQUELIN, Anne. A invenção da paisagem. Trad. Marcos Marcionilo. São Paulo: Martins, 2007.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Ed. org. Luce Giard, trad. Ephraim Ferreira Alves. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 1999, v. 1.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.18.2.193-198

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2008 Marília Rothier Cardoso



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.