Para além dos princípios da ordem / Beyond the Principles of Order

Alcione Cunha Silveira

Resumo


Resumo: O presente ensaio discute o processo de reescrita da história por sujeitos marginalizados, como elemento capaz de possibilitar o aparecimento de vozes comumente silenciadas. Focalizando o romance O deus das pequenas coisas de Arundathi Roy, este texto examina, a partir de uma perspectiva de gênero, os movimentos de desordem elaborados pela via do corpo e da escrita numa tentativa de questionar e desestabilizar discursos totalitários.

Palavras-chave: Gênero; corpo; transgressão.

Abstract: This essay discusses the process of the rewriting of history from the margins, as a process that enables the emergence of voices often silenced. Focusing on the novel The God of Small Things by Arundathi Roy, this text examines, from a gender perspective, the movements of disorder depicted, through the body and writing, as an attempt to question and destabilize totalitarian discourses.

Keywords: Gender; body; transgression.


Palavras-chave


Gênero; corpo; transgressão; Gender; body; transgression.

Texto completo:

PDF

Referências


ACHEBE, Chinua. An Image of Africa: Racism in Conrad’s Heart of Darkness. London: Penguin, 2000.

ALMEIDA, Sandra Regina Goulart. Corpos fronteiriços em deslocamentos culturais: a política do corpo em O deus das pequenas coisas. In: GAZZOLA, Ana Lúcia; DUARTE, Constância Lima; ALMEIDA, Sandra Regina Goulart (Org.). Gênero e representação em literaturas de língua inglesa. Belo Horizonte: Pós-Graduação em Letras: Estudos Literários da UFMG, 2002. p. 92-98.

AUSTIN, J. L. How to Do Things With Words. Oxford, New York: Oxford University Press, 1988.

BARAT, Urbashi. History, Community and Forbidden Relationships in The God of Small Things. In: DHAWAN, R. K. (Ed.). Arundhati Roy: The Novelist Extraordinary. New Delhi: Prestige, 1999. p. 84-99.

BRANDÃO, Izabel. Grace Nichols e o corpo como poética da resistência. In: ______ (Org.). Corpo em revista: olhares interdisciplinares. Maceió: EDUFAL, 2005. p. 99-121.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Trad. Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CRAWFORD, Patricia; LONG, Jane. History. In: CODE, Lorraine (Ed.). Encyclopedia of Feminist Theories. London: Routledge, 2000. p. 249-252.

DERRIDA, Jacques. The Law of Genre. In: ______. Acts of Literature. Edited by Derek Attridge. New York: Routledge, 1992. p. 221-252.

FESTINO, Cielo G. Uma praja ainda imaginada: a representação da Nação em três romances indianos de língua inglesa. Sâo Paulo: Nankin; EDUSP, 2007.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. Trad. Laura Fraga de Almeida Sampaio. São Paulo: Loyola, 2004.

FREUD, S. Totem e tabu. In: ______. Totem e tabu e outros trabalhos (1913-1914). Rio de Janeiro. Imago, 1974. p. 13-191.

GALLOP, Jane. The Daughter’s Seduction: Feminism and Psychoanalysis. New York: Cornell University Press, 1984.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. 8. ed. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2004.

HANCIAU, Nubia. Migração da feiticeira para a América: da História à Literatura. In: PORTO, Maria Bernadette. (Org.). Identidades em trânsito. Niterói: EdUFF/ABECAN, 2004. p. 111-136.

LÉVI-STRAUSS, Claude. As estruturas elementares do parentesco. Trad. Mariano Ferreira. Petrópolis: Vozes, 1976.

RAY. Mohit Kumar. “Locusts Stand I”: Some Feminine Aspects of The God of Small Things. In: DHAWAN, R. K. (Ed.). Arundhati Roy: The Novelist Extraordinary. New Delhi: Prestige, 1999. p. 49-64.

ROY, Amitabh. The God of Small Things: A Novel of Social Commitment. New Delhi: Atlantic, 2005.

ROY, Arundhati. The God of Small Things. New York: Harper Perennial, 1997.

ROY, Arundhati. O deus das pequenas coisas. Trad. José Rubens Siqueira. 6. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

SATPATHY. Sumanyu. The Code of Incest in The God of Small Things. In: DHAWAN, R. K. (Ed.). Arundhati Roy: The Novelist Extraordinary. New Delhi: Prestige, 1999. p. 132-143.

SHOHAT, Ella. Tabbo Memories, Diasporic Voices. Durham, London: Duke University Press, 2006.

SHOWALTER, Elaine. The Female Malady: Women, Madness and English Culture, 1830-1980. New York: Penguin Books, 1985.

SMITH, Johanna M. “Too Beautiful Altogether”: Ideologies of Gender and Empire in Heart of Darkness. In: CONRAD, Joseph. Heart of Darkness: A Case Study in Contemporary Criticism. Edited by Ross C. Murfin. New York: Bedford-St. Martin’s, 1996. p. 169-184.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Can the Subaltern Speak? In: NELSON, Cary; GROSSBERG, Lawrence (Ed.). Marxism and the Interpretation of Culture. Chicago: University of Illinois Press, 1988. p. 271-313.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.21.2.78-93

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2011 Alcione Cunha Silveira



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.