Três Mallarmés: Traduções brasileiras / Three Mallarmés: Brazilian Translations

Álvaro Faleiros

Resumo


Resumo: A interpretação da obra de Mallarmé passou por distintas etapas que, por sua vez, determinam o modo como ele foi traduzido. O objetivo deste artigo é analisar esse movimento no que concerne às traduções de Mallarmé no Brasil.

Palavras-chave: Mallarmé; tradução; recepção no Brasil.

Résumé: L’interprétation de l’œuvre de Mallarmé est passée par des différentes étapes qui déterminent, à leur tour, la façon dont il a été traduit. L’objectif de cet article est d’analyser ce mouvement en ce qui concerne les traductions de Mallarmé au Brésil.

Mots-clés: Mallarmé; traduction; réception au Brésil.


Palavras-chave


Mallarmé; tradução; recepção no Brasil; traduction; réception au Brésil.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Mário. Obra imatura. São Paulo: Martins; Belo Horizonte: Itatiaia, 1980.

ALMEIDA, Guilherme. Poetas de França. 4. ed. São Paulo: Cia Editora Nacional, 1965.

ALMEIDA, Guilherme. As flores das Flores do mal de Baudelaire. São Paulo: Editora 34, 2010.

BANDEIRA, Manuel. O centenário de Stéphane Mallarmé. In: ______. Poesia e prosa. Rio de Janeiro: Aguilar, 1958. Tomo 2. p. 1216-1232.

CARPEAUX, Otto Maria Carpeaux. Situação de Mallarmé. In: ______. Origens e fins. Rio de Janeiro: Casa do Estudante do Brasil, 1943. p. 64-74.

CAMPOS, Haroldo. Da tradução como criação e como crítica. In: ______. Metalinguagem. São Paulo: Cultrix, 1976. p. 21-38.

CAMPOS, Augusto; PIGNATARI, Décio; CAMPOS, Haroldo. Teoria da poesia concreta: textos críticos e manifestos 1950-1960. São Paulo: Edições Invenção, 1965.

CÉSAR, Ana Cristina. Escritos da Inglaterra. São Paulo: Brasiliense, 1988.

DICK, André. Poesias de Mallarmé. São Paulo: Lume Editor, 2011.

FALEIROS, Álvaro. Lance de dados: contrapontos à sinfonia haroldiana. Revista de Letras da UNESP, v. 47, n. 1, p. 11-30, 2007.

FALEIROS, Álvaro. Sobre uma não-tradução e algumas traduções de “L’ invitation au voyage” de Charles Baudelaire. Alea, v. 9, n. 2, p. 250-262, 2007.

FAUSTINO, Mário. Poesia não é brincadeira. In: ______. Artesanatos de poesia. São Paulo: Cia das Letras, 2004, p. 159-183.

FONTES, Joaquim Brasil. Os anos de exílio do jovem Mallarmé. São Paulo: Ateliê, 2007.

GUIMARÃES, Júlio Castañon. Brinde fúnebre e outros poemas. Rio de Janeiro: 7Letras, 2007.

GUIMARÃES, Júlio Castañon. Presença de Mallarmé no Brasil. In: ______. Reescritas e esboços. Rio de Janeiro: Topbooks, 2010, p. 9-53.

MALLARMÉ, Stéphane. Mallarmé. Organização tradução e notas de Augusto de Campos, Décio Pignatari, Décio e Haroldo de Campos. São Paulo: Perspectiva, 1991.

MALLARMÉ, Stéphane. Crise do verso. Trad. Ana Alencar. Inimigo Rumor 20, 2007. MESCHONNIC, Henri. Oralité, clarté de Mallarmé. Europe (Stéphane Mallarmé), n. 825-826, 1998.

MESCHONNIC, Henri. Modernité, modernité. Paris: Gallimard, 1993.

MELLO E SOUZA, Antonio Candido. As transfusões de Rimbaud. In: LIMA, Cardoso (Org.). Rimbaud no Brasil. Rio de Janeiro: Editora UERJ, 1993. p. 110-123.

MILANO, Dante. Poemas traduzidos de Baudelaire e Mallarmé. Rio de Janeiro: Boca da Noite, 1988.

PAES, José Paulo. Tradução a ponte necessária. São Paulo: Ática, 1990.

RANCIÈRE, Jacques. La politique de la sirène. Paris: Hachette, 1996.

SISCAR, Marcos. Poesia e crise. Campinas: Editora Unicamp, 2010.

VEIGA, Cláudio Veiga. A tradução da poesia francesa no Brasil. In: ______. Antologia da poesia francesa. Rio de Janeiro: Record, 1999. p. 435-462.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.22.1.17-31

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2012 Álvaro Faleiros



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.