O delito capitolino / Capitoline crime

José Raimundo Maia Neto

Resumo


Resumo: Tito Lívio relata em detalhes a ascensão e queda de Marco Mânlio Capitolino nos tempos heroicos da república romana. O caso capitolino era bem conhecido entre os antigos, tendo sido citado por Cícero em discursos políticos e retomado e examinado por Plutarco na Vida de Camilo. Séculos depois, no Renascimento, para ilustrar filosofias políticas contrárias, o delito capitolino é destacado por Maquiavel em seu comentário de Tito Lívio e citado por Montaigne nos Ensaios. Enfim, pouco mais de um século depois, o caso ainda inspira uma tragédia de Antoine de Lafosse d’Aubigny, frequentemente encenada na França até a primeira metade do século 19. Este artigo é um exercício de literatura e filosofia comparada entre estes relatos e o romance Dom Casmurro de Machado de Assis.

Palavras-chave: Machado de Assis; Capitu; Capitolino.

Abstract: Titus Livius describes in detail the rise and fall of Marcus Manlius Capitolinus during the heroic times of the Roman republic. The Capitolinus case was well known among the ancients. It was mentioned by Cicero in his political speeches and carefully examined by Plutarch in his Life of Camilus. In the Renaissance, Capitolinus’ fault is highlighted by Machiavelli and cited by Montaigne to illustrate conflicting political philosophies. In the late seventeenth century the case stills inspires a tragedy by Lafosse D’Aubigny that was often staged in Paris until the middle of the nineteenth century. The present article compares these diverse reappraisals of the Capitolinus case with Machado de Assis’s novel Dom Casmurro.

Keywords: Machado de Assis; Capitu; Capitolinus.


Palavras-chave


Machado de Assis; Capitu; Capitolino.

Texto completo:

PDF

Referências


CALDWELL, Helen. O Otelo brasileiro de Machado de Assis. Um estudo de Dom Casmurro. Trad. Fábio Fonseca de Melo. São Paulo: Ateliê Editoria, 2002.

CÍCERO, Marco Túlio. Academica. Trad. H. Rackham. Cambridge: Harvard University Press, 1994. (Loeb Classical Library).

FARIA, João Roberto. Ideias teatrais: o século XIX no Brasil. São Paulo: Pespectiva e Fapesp, 2001.

GLEDSON, John. Machado de Assis: impostura e realismo. Uma reinterpretação de Dom Casmurro. Trad. Fernando Py. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

JOBIM, José Luís (org.). A biblioteca de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras e Topbooks, 2001.

MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Obra completa em quatro volumes. Rio de Janeiro: Nova Aguiar, 2008.

MAGALHÃES JÚNIOR, Roberto. Vida e obra de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1981. 4 v.

MAIA NETO, José R. O ceticismo na obra de Machado de Assis. São Paulo: Annablume, 2007.

MAQUIAVEL, Nicolau. Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

MOMMSEN, Theodor. Histoire romaine. Paris: C. Marpon e R. Flammarion, 1882. 7 v.

MONTAIGNE, Michel de. Os ensaios. Trad. Rosemary Costhek Abílio. São Paulo: Martins Fontes, 2002. 3 v.

PINHEIRO DE FREITAS, Luiz Alberto. “Eu não amo. É ela que o ama!” In SCHPREJER, Alberto (org.). Quem é Capitu? Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008, p. 127-138.

PLUTARQUE. La vie des hommes illustres. Trad. Ricard. Paris: Firmin Didot, 1836 e 1838. 2 v.

TITE-LIVE. Histoires Romaines. Trad. M. Gaucher. Paris: Hachette, 1867. 4 v.

VIANNA, Glória. Revendo a biblioteca de Machado de Assis. In: JOBIM (org.). A biblioteca de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras e Topbooks, 2001, p. 99-274.

SCHWARZ, Roberto. A poesia envenenada de Dom Casmurro. In: ______. Duas meninas. São Paulo: Companhia das Letras, 1997, p. 9-41.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.23.1.58-71

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2013 José Raimundo Maia Neto



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.