E uma rosa se abre: a guerra e a flor na poesia de Drummond / And a Rose Blooms: War and the Flower in Drummond’s Poetry

Valéria Daiane Soares Rodrigues, Ivana Ferrante Rebello

Resumo


Resumo: Carlos Drummond de Andrade, em A rosa do povo, articula, por meio da palavra e da criação de um eu lírico habitante de um mundo em guerra, a construção de uma imagem, imbuída de teor histórico, do Brasil dos anos finais da Segunda Guerra Mundial. Os versos traduzem a experiência do Drummond gauche, angustiado pelos problemas do seu tempo, em que a individualidade advinda da fragmentação do homem moderno é marca do conflito entre o eu lírico e o mundo. O poeta descreve de forma melancólica a degeneração das coisas e dos homens, em meio à consciência paralisante e à falta de perspectivas. A força que emerge do símbolo da rosa respalda o acento poético do itabirano: a destruição dos valores provocados pela morte e pelo derramar de sangue contrasta com o brotar da flor no asfalto. Do chão forrado de cadáveres, emerge uma rosa, numa representação da resistência humana.

Palavras-chave: A rosa do povo; guerra; flor; Carlos Drummond de Andrade.

Abstract: In A Rosa do Povo, Carlos Drummond de Andrade creates, through words and through the conception of a poetic speaker inhabitant of a world at war, an image filled with historical content of Brazil’s World War II final years. The verses translate the experience of gauche Drummond, distressed by the problems of his time, in which individuality arising from the fragmentation of modern men is the sign of conflict between the poetic speaker and the world. The poet melancholically describes the degeneration of things and men, through the benumbing awareness and lack of prospects. The strength that emerges from the symbolic rose supports the Itabirano’s poetic accent: the destruction of values caused by death and bloodshed contrasts with the flower blooming in the asphalt. From the ground covered with corpses emerges a rose, a representation of the human resistance.

Keywords: A rosa do povo; war; flower; Carlos Drummond de Andrade.


Palavras-chave


A rosa do povo; guerra; flor; Carlos Drummond de Andrade; war.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Carlos Drummond de. A rosa do povo [1945]. In: ______. Poesia completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2005.

CANDIDO, Antonio. Vários Escritos. São Paulo: Duas Cidades, 1995.

COSTA, Carlos Augusto Carneiro; GUINSBURG, Jaime. Resistência e Utopia: os rumores do mundo em guerra na poesia de Carlos Drummond de Andrade. Revista do Centro Ítalo-Luso-Brasileiro de Estudos Linguísticos e Culturais. Assis, v. 2, n. 2, nov. 2008 - abr. 2009. Disponível em: http://www2.assis.unesp.br/cilbelc/triceversa/ publicacao/ed4/carlos_augusto_carneiro_costa.pdf. Acesso em: 25 abr. 2013.

FAUSTO, Boris. Getúlio Vargas: o poder e o sorriso. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

GINZBURG, Jaime. Uma hipótese de ligação entre Carlos Drummond de Andrade e a poesia brasileira contemporânea: “a Vida menor”. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n. 29, p. 109-126, 2007.

SANTIAGO, Silviano. Ora (direis) puxar conversa! Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.23.2.129-136

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2013 Valéria Daiane Soares Rodrigues, Ivana Ferrante Rebello



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.