Atributos privativos e musicais do fenômeno noturno / Privative and Musical Attributes of the Nocturnal Phenomenon

Clovis Salgado Gontijo Oliveira

Resumo


Resumo: Desde a sua análise como mero fenômeno, elaborada com pretensões de neutralidade, a noite é por nós concebida a partir de atributos predominantemente privativos. Estes se acentuam culturalmente na tradição ocidental, que tende a desvalorizá-los como signos de um vazio de ordem ontológica, epistemológica, ética e, até mesmo, estética. Associadas a uma esfera de negatividade, tais privações parecem impedir ou, pelo menos, dificultar o tratamento artístico da experiência noturna, sobretudo quando este pretende se realizar num modelo de arte em continuidade com uma proposta visual e iluminista. Tomando como base nossa tese de doutorado, intitulada O motivo da noite: da esterilidade indizível à musicalidade inefável, pretendemos aqui analisar de que modo os atributos privativos referentes à noite não só dificultam a sua mímese quanto estão presentes, sob nova interpretação, em contextos que revalorizam positivamente a experiência noturna, potencializando-a, assim, como motivo. Dentre estes contextos, concederemos particular atenção à arte musical, que, coincidentemente, manifesta para o teórico e o ouvinte alguns dos mesmos atributos privativos identificados na análise primária do noturno. A fim de efetuar este estudo, recorreremos ao pensamento de Vladimir Jankélévitch, principal fundamentação teórica da tese cujo percurso será sintetizado neste artigo.

Palavras-chave: fenômeno noturno; arte noturna; apofatismo; estética musical; Vladimir Jankélévitch.

Abstract: Since its analysis as a mere phenomenon, established with some pretention of neutrality, night is predominantly conceived in terms of privative attributes. These ones are culturally enhanced in Western tradition, which tends to devalue them as signs of an emptiness concerning ontological, epistemological, ethical, and even aesthetical levels. Associated with a sphere of negativity, these privations seem to block or at least to put obstacles to the artistic approach of the nocturnal experience, especially when it pretends to be built in a model of art that follows a visual and illuminist proposal. Based on our doctoral dissertation, entitled The nocturnal motif: from unspeakable sterility to ineffable musicality, this paper intends to analyze in which sense the privative attributes related to the night not only put obstacles to its mimesis but are also present, under a new interpretation, in contexts that positively revalue the nocturnal experience, in a way that increases its potential as an artistic motive. Among these contexts, it will be given a particular attention to musical art, which coincidently manifests, both for the theorist and the listener, some of the same privative attributes which are identified in the primary analysis of the nocturne. In order to undertake this study, it will be necessary to recur to the thought of Vladimir Jankélévitch, main theoretical ground of the dissertation whose itinerary will be overviewed in this article.

Keywords: nocturnal phenomenon; nocturnal art; apophatism; musical aesthetics; Vladimir Jankélévitch.


Palavras-chave


nocturnal phenomenon; nocturnal art; apophatism; musical aesthetics; Vladimir Jankélévitch.

Texto completo:

PDF

Referências


BURKE, Edmund. Uma investigação filosófica sobre a origem de nossas idéias do sublime e do belo. Tradução, apresentação e notas de Enid Abreu Dobránszky. Campinas: Papirus, 1993. 181p.

ECO, Umberto. Arte e beleza na estética medieval. Tradução de Mario Sabino Filho. Rio de Janeiro: Record, 2010. 351p.

FREUD, Sigmund. Conferências introdutórias sobre psicanálise. Tradução de José Luís Meurer. Rio de Janeiro: Imago, 1976. 153p. (Obras completas; v. 22).

JANKÉLÉVITCH, Vladimir. La mort. Paris: Flammarion, 1966. 426p.

JANKÉLÉVITCH, Vladimir. La musique et l’ineffable. Paris: Seuil, 1983. 194p.

JANKÉLÉVITCH, Vladimir. Philosophie première: introduction à une philosophie du “presque”. Paris: Quadrige; PUF, 1986. 268p.

JANKÉLÉVITCH, Vladimir. La musique et les heures. Paris: Seuil, 1988. 293p.

JUAN DE LA CRUZ. Obras completas. 7. ed. preparada por Eulogio Pacho. Burgos: Monte Carmelo, 2000. 1.341p. (Colección maestros espirituales carmelitas; 3).

LACAN, Jacques. Le Séminaire: livre XX. Encore. Texte établi par Jacques-Alain Miller. Paris: Seuil, 1975. 186p.

NIETZSCHE, Friedrich. Aurora: reflexões sobre preceitos morais. Tradução, notas e posfácio de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2004. 330p.

NOVALIS. Hymns to the Night. Ed. bilíngue inglês, alemão. Tradução: Dick Higgins. 3. ed. Kingston: McPherson, 1988. 55p.

OLIVEIRA, Clovis Salgado Gontijo. O motivo da noite: da esterilidade indizível à musicalidade inefável. 2014. Tese (Doutorado) – Facultad de Artes, Universidad de Chile, Santiago, 2014. Disponível em: http://repositorio.uchile.cl/handle/2250/116823.

OLIVEIRA, Clovis Salgado Gontijo. O elogio à noite em Vladimir Jankélévitch. Mirabilia, Arte, Crítica e Mística – Art, Criticism and Mysticism, Barcelona, Institut d’Estudis Medievals, UAB, v. 20, n.1, p. 415-424, Jan-Jun 2015, Disponível em: http://www.revistamirabilia.com/sites/default/files/pdfs/20-21.pdf.

OYARZÚN ROBLES, Pablo. Razón del éxtasis: estudios sobre lo sublime de Pseudo-Longino a Hegel. Santiago: Universitaria, 2010. 185p.

STEIN, Edith. Ciencia de la cruz: estudio sobre San Juan de la Cruz. Tradução de Lino Aquésolo Olibares. Burgos: Monte Carmelo, s.d. 374p.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.25.1.165-182

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Clovis Salgado Gontijo Oliveira



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.