CHAMADA PARA PUBLICAÇÃO - Mito e Modernidade

CHAMADA PARA PUBLICAÇÃO

Cadernos Benjaminianos – 2017. 2

FaLe-UFMG

 

Org.

Prof. Dr. Georg Otte

 

Data-limite: 30/12/2017

 

 

Mito e Modernidade

 

O mito ocupa um lugar importante nos mais variados textos de Walter Benjamin, tanto nos seus ensaios sobre Johann Jakob Bachofen e as Afinidades Eletivas de Goethe, quanto em “Sobre a crítica da violência”. Também nas Passagens, a dialética metafórica que Benjamin estabelece entre os séculos XIX e XX, que estaria marcada pela oposição entre o sonho e o despertar, não faltam referências explícitas ao mito. Assim, o capitalismo do século XIX estaria acompanhado por uma “reativação das forças míticas” (fragmento K 1a,8) e o despertar estaria associado ao “agora da cognoscibilidade” (N 3a, 3), ou seja, Benjamin parece retomar com sua metáfora do son(h)o e do despertar a velha luta entre mithos e logos, defendendo, em última instância, o avanço do “machado afiado da razão” para livrar o solo “do matagal do desvario e do mito”. (N 1,4) Essa postura aparentemente iluminista, que, no entanto, substitui os conceitos pelas metáforas e estaria em contradição com a posição defendida por Adorno e Horkheimer na Dialética do esclarecimento, onde a razão (instrumental) é responsabilizada pelas catástrofes ocorridos no século XX, contrasta com o interesse que Benjamin demonstra em elaborar temáticas no âmbito do mito e procedimentos de ordem mítica que se evidenciam na própria narrativa, como mostra em seu ensaio “O narrador”. Nesse sentido, o presente número dos Cadernos Benjaminianos convida pesquisadores e ensaístas a colaborar com textos que, de um modo ou outro, possam pensar a obra de Walter Benjamin a partir das relações entre Mito e Modernidade, considerando também que as abordagens devem dialogar com o legado benjaminiano, não devendo deter-se apenas na exegese particular de sua obra.