O rizoma pós-moderno e a escrita heteronímica no Livro do Desassossego

Arturo Diaz

Resumo


Este breve ensaio focaliza dois tópicos e visa uma leitura deleuziana do Livro do desassossego. Em primeiro lugar, do ponto de vista da sua composição estrutural, o Livro é um rizoma pós-moderno, composto de fragmentos que se conectam entre si, diferenciando-se. Esta composição fragmentária exprime, por sua vez, uma outra cisão ontológica na personalidade plural e descentrada de Fernando Pessoa, gerada pelo movimento da Diferença interna. Esta abordagem pós-moderna da obra-prima pessoana resulta do génio intempestivo pessoano que soube assimilar certa tradição do século XIX, soube ousar experimentar novas possibilidades, no âmbito do modernismo de Orfeu, e abrir as novas clareiras de um tempo a vir, que configuram a nossa contemporaneidade do século XXI. Nesta dimensão intempestiva desse porvir pós-moderno, interessa-nos realçar certos sinais e sintomas, como a nossa leitura do drama em almas interactivas, a partir do movimento dessa diferença ontológica, pura intensidade diferenciante. Daí o jogo ideal das diferenças, no pensamento e na criação, desse drama estático e rizoma heteronímico. Trata-se de um jogo ontológico em que, havendo lugar para o acaso, o aleatório e o devir-outros, se opera a cisão fractal da subjectividade. Neste jogo ideal das diferenças, que configuram a dramaturgia heteronímica, as multiplicidades virtuais (afectos, visões ou perceptos) atualizam-se na consciência fluida da singularidade-Bernardo Soares e inscrevem-se no plano da expressão.


Palavras-chave


pós-moderno; rizoma; diferença; devir; multiplicidade; virtual; singularidade.

Texto completo:

PDF

Referências


Bibliografia activa

PESSOA, Fernando. Teoria da heteronímia. Edição de Fernando Cabral Martins e Richard Zenith. Lisboa: Assírio & Alvim, 2012.

PESSOA, Fernando. Sobre Orpheu e o sensacionismo. Edição de Fernando Cabral Martins e Richard Zenith. Lisboa: Assírio & Alvim, 2015.

SOARES, Bernardo. Livro do desassossego. Lisboa: Assírio & Alvim, 1998. (1ª Edição de Richard Zenith).

DELEUZE, Gilles. Différence et Répétition. Paris: PUF, 1997a.

DELEUZE, Gilles. Logique du sens. Paris: Editions de Minuit, 1997b.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Mille Plateaux. Paris: Editions de Minuit, 1994.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Rizoma. Trad. Rafael Godinho. Lisboa: Assírio & Alvim, 2006.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Qu’est-ce la philosophie? Paris: Editions de Minuit, 2011.

Bibliografia passiva

EIRAS, Pedro. Esquecer Fausto, A fragmentação do sujeito em Raul Brandão, Fernando Pessoa, Herberto Helder e Maria Gabriela Llansol. Porto: Campo das Letras, 2005.

GIL, José. Fernando Pessoa ou a Metafísica das Sensações. Lisboa: Relógio D’Água, 1987.

GIL, José. O Espaço Interior. Lisboa: Presença, 1994.

GIL, José. Diferença e Negação na Poesia de Fernando Pessoa. Lisboa: Relógio D’Água, 1999.

GIL, José. Deleuze: Esthétique, littérature, ontologie. In: Gelas, Bruno; Micolet, Hervé (Dir.). Deleuze et les écrivains. Littérature et philosophie. Nantes: Éditions Cécile Defaut, 2007.

GIL, José. O devir-eu de Fernando Pessoa. Lisboa: Relógio D’Água Editores, 2010.

GIL, José. Cansaço, Tédio, Desassossego. Lisboa: Relógio D’Água Editores, 2013.

HARVEY, David. Condição pós-moderna. Uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Edições Loyola, 1992.

LOPES, Terena Rita. Fernando Pessoa et le Drame Symbolista: Heritage et Création. Paris: Fondation Caloustre Gulbenkian, Centre Culturel Portugais, 1985.

LOURENÇO, Eduardo. Fernando Rei da nossa Baviera. Lisboa: INCM, 1993.

LOURENÇO, Eduardo. Pessoa revisitado. Lisboa: Gradiva, 2003.

LOURENÇO, Eduardo. O lugar do Anjo. Lisboa: Gradiva, 2004.

SENA, Jorge de. Fernando Pessoa & C.ª Heterónima. Estudos coligidos 1940-1978. Lisboa: Edições 70, 1982. v. I.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2359-0076.36.55.29-47

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Centro de Estudos Portugueses
ISSN 1676-515X (impressa) / ISSN 2359-0076 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

.