O projeto do Livro do Desassossego e o romantismo alemão

Cláudia Souza

Resumo


Resumo: Este artigo pretende aproximar o projeto do Livro do Desassossego e o primeiro romantismo alemão a partir da questão do fragmento. Esse livro permaneceu enquanto projeto durante a vida de Fernando Pessoa, tendo apenas sido publicados alguns fragmentos do mesmo antes da morte do autor em 1935. O projeto do livro é composto por uma série de fragmentos, o gênero romântico por excelência. Tanto Novalis quanto Friedrich Schlegel refletiram sobre a questão do fragmento, principalmente a partir da dialética entre fragmento e totalidade.


Palavras-chave


Fernando Pessoa; romantismo alemão; fragmento.

Texto completo:

PDF

Referências


BENJAMIN, Walter. O conceito de crítica de arte no Romantismo alemão. Tradução, apresentação e notas Márcio Seligmann-Silva. São Paulo: Editora Iluminuras, 1999.

BORGES, Paulo. Teatro da vacuidade ou a impossibilidade de ser eu. Estudos e ensaios pessoanos. Lisboa: Verbo, 2011.

HEINE, Henrich. Os deuses no exílio. Tradução de Martha Kawano e Márcio Suzuki. São Paulo: Editora Iluminuras, 2011.

LACOUE-LABARTHE, Philippe; NANCY, Jean-Luc. A exigência fragmentária. Tradução e apresentação João Camillo Penna. Terceira Margem – Revista do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Literatura, UFRJ, ano IX, n. 10, p.67-94, 2004.

LICHTENBERGER, Henri. Novalis. 2. ed. Paris: Bloud & Cie, 1912.

NOVALIS, Friedrich von Hardenberg. Pólen - Fragmentos, diálogo, monólogo. Tradução, apresentação e notas Rubens Rodrigues Torres Filho. São Paulo: Editora Iluminuras, 2009.

NOVALIS, Friedrich von Hardenberg. Les disciples à Sais et Les fragments. Traduits de l’allemand et précédés d’une introduction par Maurice Maeterlinck. Paris; Bruxelles: Paul Lacomblez, 1914.

PESSOA, Fernando. Cartas de Fernando Pessoa a Armando Côrtes-Rodrigues. Introdução de Joel Serrão. Lisboa: Confluência, 1944.

PESSOA, Fernando. Crítica – Ensaios, Artigos e Entrevistas. Edição de Fernando Cabral Martins. Lisboa: Assírio & Alvim, 2000.

PESSOA, Fernando. Livro do Desasocego. Tomos I e II. Edição de Jerônimo Pizarro. Lisboa: INCM, 2010.

PESSOA, Fernando. The Transformation Book or Book of Tasks. Edition, notes and introduction Nuno Ribeiro e Cláudia Souza. New York: Contra Mundum Press, 2014.

RIBEIRO, Nuno (Ed.). Fernando Pessoa, Philosophical Essays: A critical edition. New York: Contra Mundum Press, 2012.

ROBERTSON, J. G. The literature of Germany. London: Williams and Norgate. New York: Henry Holt and Company, [s/d].

SCHLEGEL, Friedrich. O dialeto dos fragmentos. Tradução, apresentação e notas Márcio Suzuki. São Paulo: Editora Iluminuras, 1997.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Friedrich Schlegel e Novalis: poesia e filosofia. Terceira Margem – Revista do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Literatura, UFRJ, ano IX, n. 10, p.95-111, 2004.

SOUZA, Cláudia. Vicente Guedes e Bernardo Soares: para além do Desasocego. Revista Cultura ENTRE Culturas. Lisboa, p.186-191, 2011.

SOUZA, Cláudia; SUZUKI, Márcio. Novalis e Pessoa: lucidez poética e reflexão onírica. Revista Filosófica de Coimbra, v. 23, p. 9-26, 2015.

SUZUKI, Márcio. O gênio romântico – crítica e história na filosofia de Friedrich Schlegel. São Paulo: Editora Iluminuras, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2359-0076.36.55.65-76

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Centro de Estudos Portugueses
ISSN 1676-515X (impressa) / ISSN 2359-0076 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

.