Sobre os poetas neo-realistas. Exercícios de releitura: poéticas do testemunho e gesto antropológico

Manuel Gusmão

Resumo


Os autores neo-realistas distinguem-se pela prática da literatura como testemunho e gesto antropológico, patente não apenas na prosa mas igualmente na poesia. É essa a linha condutora destes exercícios de leitura da poesia de Manuel da Fonseca, Mário Dionísio, Joaquim Namorado, Carlos de Oliveira e de Gaibéus de Alves Redol.


Palavras-chave


Poesia e testemunho; literatura e gesto antropológico; neo-realismo e modernismo.

Texto completo:

PDF

Referências


BENJAMIN, W. Sobre o conceito da História. In: ______. O Anjo da História. Edição e tradução de João Barrento. Lisboa: Assírio & Alvim, 2010. p. 9-20.

DIONÍSIO, M. Poesia completa. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2016.

FONSECA, M. Obra poética. 7. ed. revista pelo autor. Pref. Mário Dionísio. Lisboa: Caminho, 1984.

NAMORADO, J. Aviso à navegação. In: TORRES, A. P. (Pref., Org. e Notas). Novo Cancioneiro. Lisboa: Caminho, 1989. p. 169-215.

OLIVEIRA, C. de. Poesias:1945-1960. Lisboa: Portugália, 1962.

OLIVEIRA, C. de. Obras. Lisboa: Caminho, 1992.

REDOL, A. Gaibéus. 18. ed. Pref. Óscar Lopes. Lisboa: Caminho, 1993.

ROSAS, F. O Estado Novo 1926-1974. História de Portugal. Dir. José Mattoso. Lisboa: Círculo de Leitores, 1994. v. 7.

SILVESTRE, O. Manuel Dias da Fonseca. In: ROSAS, F.; BRITO, J. M. B. de (Dir.). Dicionário de História do Estado Novo. Lisboa: Círculo de Leitores, 1996. v. I, p. 366-367.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2359-0076.37.57.11-55

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Centro de Estudos Portugueses
ISSN 1676-515X (impressa) / ISSN 2359-0076 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

.