O antissemitismo em uma breve perspectiva histórica: de Roma ao nazismo

Fábio Antunes Vieira

Resumo


O antissemitismo como prática do totalitarismo nazista, tanto pelo discurso quanto pelo Holocausto, representa sua manifestação mais conhecida mundialmente. Contudo, suas origens demandam um retorno até Roma, onde as divergências entre o judaísmo e o emergente cristianismo contribuíram para edificá-lo. Assim, o propósito deste artigo consiste em favorecer alguma compreensão histórica acerca do assunto, a partir de algumas abordagens que estabeleçam uma ponte entre os primórdios do antissemitismo e do cristianismo, bem como da apropriação dos Protocolos dos Sábios de Sião pelos nazistas.

Palavras-chave


Antissemitismo. Cristianismo. Nazismo.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah. As sementes de uma Internacional fascista. In: KOHN, Jerome (Org.). Compreender: formação, exílio e totalitarismo / Ensaios (1930-1954). Trad. Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras / Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008. p. 168-179.

ARENDT, Hannah. À mesa com Hitler. In: KOHN, Jerome (Org.). Compreender: formação, exílio e totalitarismo / Ensaios (1930-1954). Trad. Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras / Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008. p. 309-319.

ARENDT, Hannah. Origens do Totalitarismo. Anti-semitismo, Imperialismo, Totalitarismo. Trad. Roberto Raposo. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

ARENDT, Hannah. O que é Política? Fragmentos das Obras Póstumas Compilados por Ursula Ludz. São Paulo: Bertrand Brasil, 1998.

BÍBLIA SAGRADA. São Paulo: Editora Ave Maria, 2009.

BLOCH, Marc. Introdução à História. Trad. Maria Manuel Miguel e Rui Grácio. Porto: Publicações Europa-América, 1999.

BURNS, Edward McNall et. al. História da Civilização Ocidental. Trad. Donaldson M. Garschagen. Rio de Janeiro: Editora Globo, 1980. V. 1.

CALAINHO, Daniela Buono. História Medieval do Ocidente. Petrópolis: Vozes, 2014.

CONAN, Éric. A Origem dos Protocolos dos Sábios de Sião: Os Segredos de Uma Manipulação Anti-Semita. Revista L'Express. Paris, 16 nov. 1999. Texto republicado em 21 de agosto de 2000 pelo site PHDN. Disponível em: . Acesso em: 19 ago. 2018.

GIORDANI, Mário Curtis. História de Roma. Petrópolis: Vozes, 2006.

HITLER, Adolf. Minha Luta. Trad. Klaus Von Puschen. São Paulo: Centauro, 2001.

HOBSBAWM, Eric. A Era dos Impérios (1875-1914). São Paulo: Paz e Terra, 2006.

JOLY, Maurice. Diálogo no inferno wntre Maquiavel e Montesquieu ou a política de Maquiavel no século XIX, por um contemporâneo. Trad. Nilson Moulin. São Paulo: Edipro, 1985.

LE GOFF, Jacques. A bolsa e a vida: a usura na Idade Média. Trad. Rogério Silveira Muoio. São Paulo: Editora Brasiliense, 2000.

MARQUES, Vera Regina Beltrão. A medicalização da raça: médicos, educadores e discurso eugênico. Campinas: Unicamp, 1994.

OS PROTOCOLOS dos Sábios de Sião. São Paulo: Edições Júpiter, 1995.

REVISTA MORASHÁ, n. 53, jun. 2006. A Rússia Czarista e os Judeus. Disponível em: . Acesso em: 21 ago. 2018.

VIEIRA, Fábio Antunes; JESUS, Alysson Luiz Freitas de. A Eugenia e o Imperialismo como Fundamentos da Ideia de Paz Segundo Adolf Hitler. Revista Desenvolvimento Social. Montes Claros: Unimontes, n. 21/01, p. 105-115, 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1982-3053.13.25.54-68

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




© Copyright 2007 Arquivo Maaravi: Revista Digital de Estudos Judaicos da UFMG - ISSN: 1982-3053.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.