Estado Novo, ideologia e resistência: os judeus e o antissemitismo em Pernambuco

Susan Lewis

Resumo


Este artigo centra-se na análise da questão judaica em Pernambuco durante o Estado Novo, considerando que a ditadura, com o seu nacionalismo exacerbado, possibilitou um terreno propício para o fortalecimento de construções discursivas e de ações políticas que reforçaram estereótipos já existentes no país, a exemplo do antissemitismo. No período analisado, a interventoria pernambucana coube a Agamenon Magalhães, que estabeleceu como missão principal de sua gestão disseminar os ideários estadonovistas, defendendo, inclusive, o antissemitismo existente no âmbito federal. Mas, a partir da documentação oficial, de registros de arquivos e de entrevistas realizadas com judeus, pudemos constatar que, a despeito do antissemitismo presente nas hostes governamentais, nos discursos de intelectuais e nos meios de comunicação, houve espaços consideráveis para que os judeus se estabelecessem no Estado e constituíssem uma comunidade ativa. O período em que o Brasil declara guerra ao Eixo e as mudanças que foram geradas em Pernambuco relacionadas aos judeus, também são objetos deste estudo.


Palavras-chave


Estado Novo. Pernambuco. Antissemitismo.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah. As origens do totalitarismo: imperialismo, a expansão do poder. Trad. Roberto Raposo. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

CANCELLI, Elisabeth. História memória e transição: pensando o Brasil. In: SCHURSTER, Karl; LAPSKY, Igor; SILVA, Francisco Teixeira da; SILVA, Giselda Brito (Org.). Velhas e novas direitas: a atualidade de uma polêmica. Recife: EDUPE, Editora Universidade de Pernambuco, 2014.

CANCELLI, Elisabeth. O mundo da violência: a polícia da Era Vargas. Brasília: Editora UnB, 1993.

CARNEIRO, Maria Luiza Tucci. O anti-semitismo na era Vargas: fantasmas de uma geração (1930-1945). São Paulo: Brasiliense, 1995.

CYTRYNOWICZ, Roney. Além do Estado e da ideologia: imigração judaica, Estado Novo e Segunda Guerra Mundial. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 22, n. 44, 2002, p. 396-397

HOBSBAWM, Eric. Era dos extremos: o breve século XX (1914-1991). Trad. Marcos Santarrita. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

LENHARO, Alcir. Sacralização da política. São Paulo: Papirus, 1986

LESSER, Jeffrey. O Brasil e a questão judaica: imigração, diplomacia e preconceito. Trad. Marisa Sanematsu. Rio de Janeiro: Imago, 1995.

MIRANDA, Carlos Alberto Cunha. Igreja Católica do Brasil: uma trajetória reformista (1872-1945). Dissertação (Mestrado em História) – Departamento de História, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 1998.

LEWIS, Susan. Indesejáveis e perigosos: o antissemitismo e a questão alemã em Pernambuco durante o Estado Novo (1937-1945). Recife: UFPE, 2014.

MAGALHÃES, Agamenon. Idéias e lutas. Introdução de Nilo Pereira; apresentação de Roberto Magalhães. Recife: Fundarpe; Raiz, 1985.

PANDOLFI, Dulce Chaves. Pernambuco de Agamenon Magalhães. Prefácio de Manuel Correia de Andrade. Recife: Massangana, 1984.

SILVA, Sílvia Cortez. Tempos de casa-grande (1930-1940). Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1995.

KAUFMAN, Tânia Neumann. Passos perdidos – história recuperada: a presença judaica em Pernambuco. Recife: Edição do autor, 2000.

PERAZZO, 1999. Priscila Ferreira. O perigo alemão e a repressão policial no Estado Novo. São Paulo: Arquivo do Estado, 1999.

VELLOSO, Mônica Pimenta. Cultura e poder político: uma configuração do campo intelectual. In: OLIVEIRA, Lúcia Lippi; VELLOSO, Mônica Pimenta; GOMES, Ângela Maria de Castro. Estado Novo: ideologia e poder. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1982-3053.13.25.175-188

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




© Copyright 2007 Arquivo Maaravi: Revista Digital de Estudos Judaicos da UFMG - ISSN: 1982-3053.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.