Judaísmo, medicina e literatura: ética médica judaica em A majestade do Xingu, de Moacyr Scliar

Fernando Oliveira Santana Júnior

Resumo


O objetivo deste artigo é investigar as relações entre judaísmo, Medicina e literatura no romance A majestade do Xingu, do escritor judeu brasileiro Moacyr Scliar (1937-2011), obra publicada em 1997. Essas relações serão especificadas por meio do conceito judaico da relação médico-paciente no campo da ética médica judaica (uma área de aplicação da ética judaica). Na relação médico-paciente, em A majestade do Xingu, o uso literário da anamnese clínica, que gera uma illness narrative (KLEINMAN, 1988), é feito para problematizar a desumanização que ainda ocorre, infelizmente, nessa relação.

Palavras-chave


Literatura judaica brasileira. Judaísmo e Medicina. Moacyr Scliar.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1982-3053.6.11.38-61

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




© Copyright 2007 Arquivo Maaravi: Revista Digital de Estudos Judaicos da UFMG - ISSN: 1982-3053.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.