Et me remorsurum petis? Uma promessa de invectiva nos Epodos de Horácio

Guilherme Gontijo Flores

Resumo


É de grande conhecimento – e tema de rara concordância – entre os classicistas que o poeta romano Quinto Horácio Flaco é um grande ironista. Sua poesia está repleta de duplos sentidos, autoderrisão e logros; mas alguém poderia perguntar o que acontece (ou o que se performa) quando encaramos o gume da ironia em termos de política. Nesse caso, o livro de Epodos, publicado pouco tempo depois da Batalha do Ácio (31 a.C.), pode servir como um exemplo perfeito de como um livro poético seria capaz de apresentar um projeto político complexo por meio das ambages da ironia. Para realizar essa leitura, analisarei aqui os sete primeiros epodos, com ênfase no último deles.


Palavras-chave


invectiva; Horácio; Epodos; poesia romana; tradução.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA FERRAZ, B. P. Horácio: Odes e Epodos. Trad. e notas Bento Prado de Almeida Ferraz; introdução de Antonio Medina Rodrigues; organização de Anna Lia Amaral de Almeida Prado. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

CABRAL DE MELLO, J. A. Odes de Q. Horacio Flacco traduzidas em verso na lingua portugueza, por José Augusto Cabral de Mello. Angra do Heroismo: Typ. do Angrense, do Visconde de Bruges, 1853.

CARRUBBA, R. W. The Epodes of Horace: a study in poetic arrangement. Paris: Mouton, 1969.

DURIENSE, E. (Antonio Ribeiro dos Santos). A lyrica de Q. Horacio Flacco, poeta romano, trasladada literalmente em verso portuguez por Elpino Duriense: tomo II. Lisboa: Imprensa Regia, 1807.

FRAENKEL, E. Horace. Oxford: Oxford University Press, 1957.

FLORES, G. G. Uma poesia de mosaico nas “Odes” de Horácio: comentário e tradução poética. 2014. 413 f. Tese (Doutorado em Letras Clássicas, Área de Letras Clássicas) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, 2014.

HASEGAWA, A. Dispositio e distinção de gêneros nos “Epodos” de Horácio: estudo acompanhado de tradução em verso. 2010. 227 f. Tese (Doutorado em Letras Clássicas, Área de Letras Clássicas) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, 2010.

HORÁCIO. Obras Completas. Trad. de Elpino Duriense, José Agostinho de Macedo, Antônio Luiz Seabra e Francisco Antônio Picot. São Paulo: Edições Cultura, 1941.

JOHNSON, T. S. Horace’s iambic criticism: casting blame (“iambike poiesis”). Leiden/Boston: Brill, 2012.

MACEDO, José Agostinho. Obras de Horacio traduzidas em verso portuguez por José Agostinho de Macedo: tomo I – Os quatro livros das “Odes”, e “Epodos”. Lisboa: Imprensa Regia, 1806.

MANKIN, D. Horace: “Epodes”. Cambridge: Cambridge University Press, 1995.

ROMANO, E. Q. Orazio Flacco: Le opere I – Le “Odi”, il “Carme Secolare”, gli “Epodi”. Tomo secondo, commento di Elisa Romano. Roma: Libreria dello Stato, 1991.

SHACKLETON BAILEY, D. R. Horatius, opera. 4th. ed. Teubner: De Gruyter, 2001.

VILLENEUVE, F. Horace: tome 1 – “Odes” et “Épodes”. Paris: Les Belles Lettres, 1946.

WATSON, L. C. A commentary on Horace’s Epodes. Oxford: Oxford University Press, 2003.

WALLACE, D. F. I de ironia. Revista Serrote. Rio de Janeiro, n. 6, p. 184-187, 2009.

WEST, M. Iambi et elegi Graeci ante Alexandrum cantati. Oxford: Oxford University Press, 1989 (2 v.).

WILLIAMS, G. Libertino patre natus: true or false? In: HARRISON, S. J. (Org.). Homage to Horace: a bimillenary celebration. Oxford: Oxford University Press, 1995. p. 296-313.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1983-3636.12.2.135-157

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Nuntius Antiquus
ISSN 2179-7064 (impressa) / ISSN 1983-3636 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.