O modelo Funcionalista de Christiane Nord aliado ao dispositivo de Sequências Didáticas: norteamentos para o Ensino de Tradução

Valdecy Oliveira Pontes, Livya Lea Oliveira Pereira

Abstract


Abordagens mais recentes nos Estudos da Tradução partem do princípio de que não se traduz uma língua/cultura, mas textos. Na perspectiva da Tradução Funcionalista, esses não podem ser compreendidos à parte de seu contexto comunicativo, fato que justifica a proximidade do Ensino de Tradução com o conhecimento sobre gêneros textuais, destacada, inclusive, por Nord (2012). Assim, a partir da perspectiva teórica funcionalista de Christiane Nord (1991, 1994, 1996, 2012) para o ensino de tradução e da contribuição da Linguística de Texto acerca do funcionamento e domínio dos gêneros textuais, este trabalho discorre sobre a aplicação de Sequências Didáticas (SD) na formação de tradutores. Para tanto, percorre o seguinte percurso teórico-metodológico: 1. pontuar direcionamentos teóricos a respeito do Ensino de Tradução Funcionalista com base em Nord (1991, 1994, 1996, 2012); 2. discorrer sobre a elaboração e aplicação dos dispositivos de SD, baseando-se nas contribuições de Dolz e Schneuwly (1998), Cristóvão (2009, 2010), etc.; 3. ilustrar um projeto inicial de SD, com o gênero textual peça de teatro, para futuros tradutores, no par linguístico espanhol-português, incluindo a modelização do gênero, por meio da análise de dez peças hispânicas e brasileiras. Por meio deste percurso, o trabalho pretende mostrar que a proposta de SD, contemplando os direcionamentos do ensino da tradução funcionalista, poderá proporcionar ao futuro tradutor conhecimento sobre os diferentes gêneros textuais e seu funcionamento nas distintas culturas envolvidas na tradução, além de possibilitar: (i) o desenvolvimento de capacidades de linguagem na língua-base e na língua-meta; (ii) a compreensão da tradução como um processo circular.


Keywords


tradução; modelo funcionalista; sequências didáticas.

References


BARROS, E. M. D. Gestos de ensinar e de aprender gêneros textuais: a sequência didática como instrumento de mediação. 2012. 368 f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Centro de Letras e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2012.

BARROS, E. M. D. O gênero textual como articulador entre o ensino da língua e a cultura midiática. In: NASCIMENTO, E. L. Gêneros textuais: da didática das línguas aos objetos de ensino. Campinas: Pontes Editores, 2014. p. 137-168.

BEAUGRANDE, R. A. de; DRESSLER, W. U. Introducción a la Lingüística del Texto. Barcelona: Ariel, 1981.

CASSANY, D. Describir el escribir. Cómo se aprende a escribir. 17. ed. Barcelona: Paidós, 2010.

COSTA-HÜRBES, T.C.; SIMIONI, C.A. Sequência didática: uma proposta metodológica curricular de trabalho com os gêneros discursivos/textuais. In: BARROS, E. M. D.; RIOS-REGISTRO, E. S. (Org.). Experiências com sequências didáticas de gêneros textuais. Campinas: Pontes Editores, 2014.

CRISTOVÃO, V. L. L. Sequências didáticas para o ensino de línguas. In: DIAS, R; CRISTOVÃO, V. L. L. (Org.). O livro didático de língua estrangeira. Múltiplas perspectivas. Campinas: Mercado de Letras, 2009. p. 305-344.

CRISTOVÃO, V. L. L. O gênero quarta capa no ensino de inglês. In: DIONISIO, A. et al. (Org.). Gêneros textuais e ensino. São Paulo: Parábola, 2010. p. 105-116.

DEMÉTRIO, A. P. C. A tradução como retextualização: uma proposta para o desenvolvimento da produção textual e para a ressignificação da tradução dentro do ensino de LE. 2014. 198f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Tradução) – Centro de Comunicação e Expressão. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.

DOLZ, J.; SCHNEUWLY, B. Genres et progression en expression orale et écrite: éléments de réflexions à propos d’une experience romande. Enjeux, 37/38, 1996, p.49-75.

DOLZ, J.; SCHNEUWLY, B. Pour um enseignement de l’oral: imitation aux genres formels à l’école. Paris: ESF, 1998.

DOLZ, J.; NOVERRAZ, M; SCHENEUWLY, B. Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: ROJO, R.; CORDEIRO, G. S. (Org.). Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004. p. 95-128.

GONÇALVES, A. V.; FERRAZ, M. R. R. Ferramentas didáticas e ensino: da teoria à prática de sala de aula. In: NASCIMENTO, E. L. Gêneros textuais: da didática das línguas aos objetos de ensino. Campinas: Pontes Editores, 2014. p. 209-229.

LAIÑO, M. J. A tradução pedagógica como estratégia à produção escrita em LE a partir do gênero publicidade. 2014. 234f. Tese (Doutorado em Estudos da Tradução) – Centro de Comunicação e Expressão. Universidade Federal de Santa Catarina: Florianópolis, 2014.

MARCUSCHI, L. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONISIO, A. et al. (Org.). Gêneros textuais e ensino. São Paulo: Parábola, 2010. p. 19-38.

MOSQUERA ROA, S; SANCHEZ ABCHI, V. Las secuencias didácticas de género textual en ELE. Perspectivas para una formación docente. In: GARCÍA-AZKOAGA, I. M.; IDIAZABAL, I. (Ed.). Para una ingeniería didáctica de la educación plurilingüe. Bilbao: Universidad del País Vasco, Servicio Editorial, D.L, 2015.

NORD, C. Text Analysis in Translation: theory, methodology and didactic application of a model of translation-oriented text analysis. Tradução de Christiane Nord e Penelope Sparrow. Amsterdam; Atlanta: Rodopi, 1991.

NORD, C. El error en la traducción: categorías y evaluación. In: HURTADO ALBIR, A. Estudios sobre la traducción. Castelló: Universitat Jaume I, 1996. p. 91-107. Disponível em: http://goo.gl/SdW35b. Acesso em: 20 fev. 2015.

NORD, C. Traduciendo funciones. In: HURTADO ALBIR, A. (Ed.). Estudios sobre la traducción. Castelló: Publicacions de la Universitat Jaume I, 1994. p. 97-112.

NORD, C. El funcionalismo en la enseñanza de traducción. Mutatis Mutandis, v. 2, n. 2, p. 209-243, 2009. Disponível em: http://goo.gl/7kdLWX. Acesso em: 3 mar. 2015.

NORD, C. Texto base-texto meta. Un modelo funcional de análisis pretraslativo. Tradução e adaptação de Cristiane Nord. Castelló de la Plana, Espanha: Publicacions de la Universitat Jaume I, 2012.

PIETRO, J. F.; SCHENEUWLY, B. O modelo didático do gênero: um conceito da Engenharia Didática. In: NASCIMENTO, E. L. Gêneros textuais: da didática das línguas aos objetos de ensino. Campinas: Pontes Editores, 2014. p. 51-81.

PINTO, A. P. Gêneros discursivos e ensino de língua inglesa. In: DIONISIO, A. et al. (Org.). Gêneros textuais e ensino. São Paulo: Parábola, 2010. p. 51-62.

REISS, K.; VERMEER, H. J. Fundamentos para una teoría funcional de la traducción. Tradução de Sandra García Reina e Celia Martín de León. Madrid: Ediciones Akal, 1996. 206p.

ROMÃO, T. L. C. Definições de Tradução e Evolução dos Estudos Tradutórios. In: MATTES, M; THEOBALD, P. Ensino e Cultura Contemporânea. Fortaleza: Edições UFC, 2010a. p. 31-46.

ROMÃO, T. L. C. Ilusão teatral versus Realidade Tradutória: os extremos da tradução teatral. In: LÚCIO, A. C. M.; SCHNEIDER, L. (Org.). Cultura e Tradução: interfaces entre teoria e prática. João Pessoa: Ideia, 2010b. p. 51-70.

RYNGAERT, J. P. Introdução à análise do teatro. Tradução de Paulo Neves. São Paulo: Martins Fontes, 1995. 192 p.

STUTZ, L; CRISTÓVÃO, V. L. L. A construção de uma sequência didática na formação docente inicial de língua inglesa. Revista Signum: Estud. Ling., Londrina, v. 14, n. 1, p. 569-589, 2011.

TRAVAGLIA, N. G. Tradução como retextualização: a tradução numa perspectiva textual. 2. ed. Uberlândia: EDUFU, 2013. 308 p.

UBERSFELD, A. Para ler o teatro. Tradução e coordenação de José Simões. São Paulo: Perspectiva, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.25.4.2127-2158

Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c) 2017 REVISTA DE ESTUDOS DA LINGUAGEM

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional