Áreas lexicais no Centro-Sul do Brasil sob uma perspectiva geolinguística

Valter Pereira Romano

Abstract


Este trabalho apresenta resultados principais de uma pesquisa que visa discutir, sob o ponto de vista lexical, a divisão dialetal proposta por Antenor Nascentes (1953) no que tange à área geográfica denominada pelo estudioso como subfalar sulista. Foram adotados os procedimentos teóricos e metodológicos da Dialetologia e da Geolinguística e, como corpus de análise, utilizados os dados do Projeto Atlas Linguístico do Brasil, correspondentes a 118 municípios brasileiros, totalizando 472 informantes. Quatro questões do Questionário Semântico-Lexical (QSL) foram selecionadas para validar a hipótese de que a área geográfica investigada é heterogênea linguisticamente. Com base na observação do comportamento diatópico de algumas variantes lexicais, conclui-se que a porção setentrional do território investigado apresenta diferenças em relação à parte meridional, evidenciando a existência de dois possíveis falares: o paulista e o sulista.


Keywords


Projeto ALiB; subfalar sulista; variação lexical.

References


AGUILERA, V. de A. Atlas Linguístico do Paraná. Curitiba: Imprensa Oficial, 1994.

ALMEIDA, A. de. Vida e morte do tropeiro. São Paulo: Martins; EDUSP, 1981.

ALTINO, F. C. Atlas Linguístico do Paraná II . 2007. v. 1: 182f; v. 2: 347f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2007.

AMARAL, A. O dialeto capira:gramática, vocabulário. 4. ed. São Paulo: HUCITEC; Brasília: INL, 1981 [1920].

ALTENHOFEN, C. Áreas linguísticas do português falado no sul do Brasil: um balanço das fotografias geolinguísticas do ALERS. In: AGUILERA, V. de A. (Org.). A geolinguística no Brasil: trilhas seguidas, caminhos a percorrer. Londrina: Eduel, 2005. p. 177-208.

ALTENHOFEN, C. V.; KLASSMANN, M. S. (Org.). Atlas Linguístico-Etnográfico da Região Sul do Brasil – ALERS: Cartas Semântico-Lexicais. Porto Alegre: Editora da UFRGS; Florianópolis: Ed. UFSC, 2011.

CARDOSO, S. A. M. Tinha Nascentes razão? Considerações sobre a divisão dialetal do Brasil. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, UFBA, n. 5, p. 47-59, 1986.

CARDOSO, S. A. M. Vogais médias pretônicas no Brasil: uma visão diatópica. In: AGUILERA, V. de A. (Org.). Português no Brasil: estudos fonéticos e fonológicos. Londrina: EDUEL, 1999. p. 95-108.

CARRETER, F. L. Diccionário de términos filológicos. Madrid: Gredos, 2008.

CHAMBERS, J. K; TRUDGILL, P. La Dialectología. Trad. Carmén Morán González. Madrid: Visor Libros, 1994.

COMITÊ NACIONAL DO PROJETO ALiB. Atlas Linguístico do Brasil: Questionários 2001. Londina: EDUEL, 2001.

COSERIU, E. O homem e sua linguagem. Trad. Carlos A. Fonseca e Mário Ferreira. Rio de Janeiro: Presença, 1987.

CUBA, M. A. Atlas Linguístico da Mesorregião Sudeste de Mato Grosso. 2009. v. 1: 163f.; v. 2: 521f. Dissertação (Mestrado em Estudos de Linguagens) – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Três Lagoas, 2009.

CUNHA, A. G. da. Dicionário etimológico da língua portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2010.

D’ANUNCIAÇÃO, E. S. Registrando o léxico dos brinquedos infantis em Minas Gerais. 2016. 86 f. (Monografia) – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2016.

FERREIRA, A. B. de H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Versão eletrônica 5.0. 3. ed. Curitiba: Positivo, 2004.

FERREIRA, C.; CARDOSO, S. A. M. A dialetologia no Brasil. São Paulo: Contexto, 1994.

FREITAS-MARINS, L. G. O rural e o urbano: novos e velhos falares na região Centro-Oeste do Brasil. 2012. 310f. Dissertação (Mestrado em Estudos de Linguagens) – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2012.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. de S. Dicionário Eletrônico Houaiss da Língua Portuguesa. Versão 1.0. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

KOCH, W. O povoamento do território e a formação de áreas linguísticas. In: GÄRTNER, E.; HUNDT, C. SCHÖNBERGER, A. (Ed.). Estudos de geolinguística do português Americano. Franckfurt am Maim: TFM, 2000. p. 55-69.

MOTA, J. Áreas dialetais brasileiras. In: CARDOSO, S. A. M; MOTA, J.; MATTOS E SILVA, R. V. Quinhentos anos de história linguística do Brasil. Salvador: Secretaria da Cultura e Turismo do Estado da Bahia, 2006. p. 321-357.

NASCENTES, A. O linguajar carioca. 2. ed. Rio de Janeiro: Organizações Simões, 1953 [1922].

OLIVEIRA, D. G. de (Org.). ALMS – Atlas Linguístico do Mato Grosso do Sul. Campo Grande: Editora UFMS, 2007.

PORTILHO, D. A. S. O falar amazônico: uma análise da proposta de Nascentes (1953) a partir de dados do Projeto ALiB. 2013. 155f. Dissertação (Mestrado em Estudos de Linguagens) – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2013.

RAZKY, A. A dimensão sociodialetal do léxico no Projeto Atlas Linguístico do Brasil. Signum: Estudos da Linguagem, Londrina, UEL, v. 13, n. 2, p. 247-270, 2013. Doi: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2013v16n2p247.

REAL ACADEMIA ESPAÑOLA. Diccionário de la lengua española. 22. ed. Madrid: Real Academia Española, 2001.

REIS, R. C. P. Atlas Linguístico do município de Ponta-Porã-MS: um registro das línguas em contato na fronteira do Brasil com o Paraguai. 2006. v. 1: 214f.; v. 2: 253f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Três Lagoas, 2006.

RIBEIRO, D. O povo brasileiro: formação e sentido do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

RIBEIRO, S. S. C. Brinquedos e brincadeiras infantis na área do falar baiano. 2012. 466f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal de Bahia, Salvador, 2012.

ROCHA, P. G. da. O português de contato com o espanhol no sul do Brasil: empréstimos lexicais. 2008. 148f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008.

ROCHE, J. A colonização alemã e o Rio Grande do Sul. Trad. Emery Ruas. Porto Alegre: Globo, 1969.

ROMANO, V. P. Em busca de falares a partir de áreas lexicais no centro-sul do Brasil. 2015. v.1: 286f.; v. 2: 117f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2015.

ROMANO, V. P.; AGUILERA, V. de A. Padrões de variação lexical no sul do Brasil a partir dos dados do Projeto ALiB. Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 43, n. 1, p. 575-587, 2014.

ROMANO, V. P.; SEABRA, R. D. Menino, guri ou piá? Um estudo diatópico nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul a partir dos dados do Projeto Atlas Linguístico do Brasil. Alfa: Revista de Linguística, São José do Rio Preto, UNESP, v. 58, n. 2, p. 463-497, 2014a. Doi: https://doi.org/10.1590/1981-5794-1405-9.

ROMANO, V. P.; SEABRA, R. D. Dados geolinguísticos sob uma perspectiva estatística: a variação lexical no Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, UFMG, v. 22, n. 2, p. 59-92, 2014b. Doi: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.22.2.59-92.

ROMANO, V. P.; SEABRA, R. D. Do presente para o passado: a variação lexical em Minas Gerais a partir de corpora geolinguísticos sobre brinquedos infantis. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, UFMG, v. 25, n. 1, p. 111-150, 2017. Doi: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.25.1.111-150.

ROMANO, V. P.; SEABRA, R. D.; OLIVEIRA, N. [SGVCLin] – Software para geração e visualização de cartas linguísticas. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, UFMG, v. 22, n. 1, p. 119-151, 2014. Doi: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.22.1.119-151.

SANTOS, L. A. dos. Brincando pelos caminhos do falar fluminense. 2016. 197f. Dissertação (Mestrado em Língua e Cultura) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.26.1.103-145

Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c) 2017 REVISTA DE ESTUDOS DA LINGUAGEM

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional    

Image result for fapemig

Grant #APL-00427-17 (2018-2019)