Áreas lexicais no Centro-Sul do Brasil sob uma perspectiva geolinguística

Valter Pereira Romano

Abstract


Resumo: Este trabalho apresenta resultados principais de uma pesquisa que visa discutir, sob o ponto de vista lexical, a divisão dialetal proposta por Antenor Nascentes (1953) no que tange à área geográfica denominada pelo estudioso como subfalar sulista. Foram adotados os procedimentos teóricos e metodológicos da Dialetologia e da Geolinguística e, como corpus de análise, utilizados os dados do Projeto Atlas Linguístico do Brasil, correspondentes a 118 municípios brasileiros, totalizando 472 informantes. Quatro questões do Questionário Semântico-Lexical (QSL) foram selecionadas para validar a hipótese de que a área geográfica investigada é heterogênea linguisticamente. Com base na observação do comportamento diatópico de algumas variantes lexicais, conclui-se que a porção setentrional do território investigado apresenta diferenças em relação à parte meridional, evidenciando a existência de dois possíveis falares: o paulista e o sulista.

Palavras-chave: Projeto ALiB; subfalar sulista; variação lexical.

Abstract: This work presents the main results of a research that aims to discuss, under the lexical perspective, the dialectal division proposed by Antenor Nascentes (1953) with regard to the geographical area called by the scholar as sulista subspeech. The theoretical and methodological assumptions of Dialectology and Geolinguistics were adopted and the analytical corpus used was the data of the Linguistic Atlas Project of Brazil corresponding to 118 Brazilian municipalities, totaling 472 informants. Four questions from the Lexical-Semantic Questionnaire were selected to validate the hypothesis that the geographical area investigated is linguistically heterogeneous. From the observation of the diatopical behavior of some lexical variants, it is concluded that the northern portion of the territory investigated presents differences in relation to the southern part, showing the existence of two types of speech: the paulista and the sulista.

Keywords: ALiB Project; Sulista subspeech; Lexical variation.


Keywords


ALiB Project; Sulista subspeech; Lexical variation

References


AGUILERA, V. de A. Atlas Linguístico do Paraná. Curitiba: Imprensa Oficial, 1994.

ALMEIDA, A. de. Vida e morte do tropeiro. São Paulo: Martins; EDUSP, 1981.

ALTINO, F. C. Atlas Linguístico do Paraná II . 2007. v. 1: 182f; v. 2: 347f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2007.

AMARAL, A. O dialeto capira:gramática, vocabulário. 4. ed. São Paulo: HUCITEC; Brasília: INL, 1981 [1920].

ALTENHOFEN, C. Áreas linguísticas do português falado no sul do Brasil: um balanço das fotografias geolinguísticas do ALERS. In: AGUILERA, V. de A. (Org.). A geolinguística no Brasil: trilhas seguidas, caminhos a percorrer. Londrina: Eduel, 2005. p. 177-208.

ALTENHOFEN, C. V.; KLASSMANN, M. S. (Org.). Atlas Linguístico-Etnográfico da Região Sul do Brasil – ALERS: Cartas Semântico-Lexicais. Porto Alegre: Editora da UFRGS; Florianópolis: Ed. UFSC, 2011.

CARDOSO, S. A. M. Tinha Nascentes razão? Considerações sobre a divisão dialetal do Brasil. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, UFBA, n. 5, p. 47-59, 1986.

CARDOSO, S. A. M. Vogais médias pretônicas no Brasil: uma visão diatópica. In: AGUILERA, V. de A. (Org.). Português no Brasil: estudos fonéticos e fonológicos. Londrina: EDUEL, 1999. p. 95-108.

CARRETER, F. L. Diccionário de términos filológicos. Madrid: Gredos, 2008.

CHAMBERS, J. K; TRUDGILL, P. La Dialectología. Trad. Carmén Morán González. Madrid: Visor Libros, 1994.

COMITÊ NACIONAL DO PROJETO ALiB. Atlas Linguístico do Brasil: Questionários 2001. Londina: EDUEL, 2001.

COSERIU, E. O homem e sua linguagem. Trad. Carlos A. Fonseca e Mário Ferreira. Rio de Janeiro: Presença, 1987.

CUBA, M. A. Atlas Linguístico da Mesorregião Sudeste de Mato Grosso. 2009. v. 1: 163f.; v. 2: 521f. Dissertação (Mestrado em Estudos de Linguagens) – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Três Lagoas, 2009.

CUNHA, A. G. da. Dicionário etimológico da língua portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2010.

D’ANUNCIAÇÃO, E. S. Registrando o léxico dos brinquedos infantis em Minas Gerais. 2016. 86 f. (Monografia) – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2016.

FERREIRA, A. B. de H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Versão eletrônica 5.0. 3. ed. Curitiba: Positivo, 2004.

FERREIRA, C.; CARDOSO, S. A. M. A dialetologia no Brasil. São Paulo: Contexto, 1994.

FREITAS-MARINS, L. G. O rural e o urbano: novos e velhos falares na região Centro-Oeste do Brasil. 2012. 310f. Dissertação (Mestrado em Estudos de Linguagens) – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2012.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. de S. Dicionário Eletrônico Houaiss da Língua Portuguesa. Versão 1.0. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

KOCH, W. O povoamento do território e a formação de áreas linguísticas. In: GÄRTNER, E.; HUNDT, C. SCHÖNBERGER, A. (Ed.). Estudos de geolinguística do português Americano. Franckfurt am Maim: TFM, 2000. p. 55-69.

MOTA, J. Áreas dialetais brasileiras. In: CARDOSO, S. A. M; MOTA, J.; MATTOS E SILVA, R. V. Quinhentos anos de história linguística do Brasil. Salvador: Secretaria da Cultura e Turismo do Estado da Bahia, 2006. p. 321-357.

NASCENTES, A. O linguajar carioca. 2. ed. Rio de Janeiro: Organizações Simões, 1953 [1922].

OLIVEIRA, D. G. de (Org.). ALMS – Atlas Linguístico do Mato Grosso do Sul. Campo Grande: Editora UFMS, 2007.

PORTILHO, D. A. S. O falar amazônico: uma análise da proposta de Nascentes (1953) a partir de dados do Projeto ALiB. 2013. 155f. Dissertação (Mestrado em Estudos de Linguagens) – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2013.

RAZKY, A. A dimensão sociodialetal do léxico no Projeto Atlas Linguístico do Brasil. Signum: Estudos da Linguagem, Londrina, UEL, v. 13, n. 2, p. 247-270, 2013. Doi: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2013v16n2p247.

REAL ACADEMIA ESPAÑOLA. Diccionário de la lengua española. 22. ed. Madrid: Real Academia Española, 2001.

REIS, R. C. P. Atlas Linguístico do município de Ponta-Porã-MS: um registro das línguas em contato na fronteira do Brasil com o Paraguai. 2006. v. 1: 214f.; v. 2: 253f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Três Lagoas, 2006.

RIBEIRO, D. O povo brasileiro: formação e sentido do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

RIBEIRO, S. S. C. Brinquedos e brincadeiras infantis na área do falar baiano. 2012. 466f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal de Bahia, Salvador, 2012.

ROCHA, P. G. da. O português de contato com o espanhol no sul do Brasil: empréstimos lexicais. 2008. 148f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008.

ROCHE, J. A colonização alemã e o Rio Grande do Sul. Trad. Emery Ruas. Porto Alegre: Globo, 1969.

ROMANO, V. P. Em busca de falares a partir de áreas lexicais no centro-sul do Brasil. 2015. v.1: 286f.; v. 2: 117f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2015.

ROMANO, V. P.; AGUILERA, V. de A. Padrões de variação lexical no sul do Brasil a partir dos dados do Projeto ALiB. Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 43, n. 1, p. 575-587, 2014.

ROMANO, V. P.; SEABRA, R. D. Menino, guri ou piá? Um estudo diatópico nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul a partir dos dados do Projeto Atlas Linguístico do Brasil. Alfa: Revista de Linguística, São José do Rio Preto, UNESP, v. 58, n. 2, p. 463-497, 2014a. Doi: https://doi.org/10.1590/1981-5794-1405-9.

ROMANO, V. P.; SEABRA, R. D. Dados geolinguísticos sob uma perspectiva estatística: a variação lexical no Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, UFMG, v. 22, n. 2, p. 59-92, 2014b. Doi: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.22.2.59-92.

ROMANO, V. P.; SEABRA, R. D. Do presente para o passado: a variação lexical em Minas Gerais a partir de corpora geolinguísticos sobre brinquedos infantis. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, UFMG, v. 25, n. 1, p. 111-150, 2017. Doi: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.25.1.111-150.

ROMANO, V. P.; SEABRA, R. D.; OLIVEIRA, N. [SGVCLin] – Software para geração e visualização de cartas linguísticas. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, UFMG, v. 22, n. 1, p. 119-151, 2014. Doi: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.22.1.119-151.

SANTOS, L. A. dos. Brincando pelos caminhos do falar fluminense. 2016. 197f. Dissertação (Mestrado em Língua e Cultura) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.26.1.103-145

Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c) 2017 REVISTA DE ESTUDOS DA LINGUAGEM

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional    

Image result for fapemig

Grant #APL-00427-17 (2018-2019)