Paragrafação e argumentação em cartas de reclamação escritas por alunos do ensino fundamental

Leila Nascimento Silva, Telma Ferraz Leal

Abstract


Resumo: Neste artigo, busca-se verificar como a paragrafação e a argumentação se realizam em diferentes etapas do ensino fundamental. Participaram da pesquisa cinco turmas do ensino fundamental (3º, 5º e 7º anos), da Rede Pública de Pernambuco, que vivenciaram uma sequência didática relacionada ao gênero “carta de reclamação”. Analisaram-se 37 textos produzidos ao final das atividades. Os textos foram agrupados pela relação entre a paragrafação e a argumentação. Os resultados sinalizaram que os alunos são capazes de construir parágrafos e atribuir um sentido lógico a essa divisão. Em relação à argumentação, muitos conseguiram produzir justificativas e alguns até chegaram a contra-argumentar. No entanto, até mesmo aos alunos que já tenham um domínio maior nessa esfera – de forma intuitiva ou não – a escola precisa garantir um tempo pedagógico para ajudá-los a avançar em seus conhecimentos e a superar suas dificuldades.

Palavras-chave: paragrafação; argumentação; cartas de reclamação.

Abstract: In this article we to verify how the paragrafation and the argumentation take place in different elementary school. Five classes of elementary school (3, 5 and 7 years) of Pernambuco’s Public Network attended this research and experienced a didactic sequence involving gender “letter of complaint”. 37 texts produced at the end of the activities were analyzed. We grouped the texts by the relationship between the paragraphing and argumentation. The results signaled that the students are able to construct paragraphs and assign a logical sense of this division. Regarding the argument, many are able to produce justifications and some of them even to argue. Even the students demonstrating to possess such knowledge, either intuitively or unconsciously, the school needs to ensure a teaching time to help them advance in their knowledge and overcome their difficulties.

Keywords: paragraphing; argumentation; complain letter.


Keywords


paragraphing; argumentation; complain letter

References


ABARCA, E. V.; RICO, G. M. Por que textos são tão difíceis de compreender? As inferências são a resposta. In: TEBEROSKY, A.; OLLER, C. et al. Compreensão de leitura: a língua como procedimento. Porto Alegre: ArtMed, 2002.

ABARCA, E. V.; RICO, G. M. Por que textos são tão difíceis de compreender? As inferências são a resposta. In: TEBEROSKY, A; OLLER, C. et al. Compreensão de leitura – A língua como procedimento. Porto Alegre: ArtMed, 2002.

ANDRADE, R. M. B. L. de. Revisão de cartas de reclamação: reflexões sobre as modificações realizadas por crianças. 2010. 267f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.

BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 2002.

BESSONNAT, D. Le Découpage em paragraphes et ses fonctions. Pratiques, Cresef, n. 57, p. 81-105, Mars 1988.

BRANDE, C. A. Produção de textos na escola: aprendendo a ensinar. In: CONGRESSO DE LEITURA – COLE, 12., 1999, Campinas. Anais... Campinas: Unicamp, 1999.

FLOWER, L.; HAYES, J. A cognitive process theory of writing. In: RUDDDELL, R.; RUDDELL, M.; SINGER, H. (Ed.). Theoretical models and processes of reading. Newark: I. R. A, 1980. p. 928-950.

GARCIA, O. M. Comunicação em prosa moderna: aprenda a escrever, aprendendo a pensar. 2. ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1997.

GÓES, M. C. R. A criança e a escrita: Explorando a dimensão reflexiva do ato de escrever. In: SMOLKA, A. L. B.; GÓES, M. C. R. (Org.). A linguagem e o outro no espaço escolar: Vygotsky e a construção do conhecimento. Campinas: Papirus, 1993.

KATO, M. A. O aprendizado da Leitura. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

LEAL, T. F. Produção de textos na escola: a argumentação em textos escritos por crianças. 2003. Tese (Doutorado em Educação) – Pós-Graduação em Psicologia Cognitiva, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.

MORAES, M. J. F. Características da paragrafação na escrita infantil. 1999. Monografia (Graduação) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 1999.

ROCHA, I. L. V. Pontuação e formato gráfico do texto: aquisições paralelas. Revista DELTA, PUC-SP, v. 12, n. 1, p. 1-34, 1996.

SCARDAMALIA, M.; BEREITER, C. Dos modelos explicativos de los procesos de composición escrita. Infancia y aprendizaje, Taylor & Francis Online, n. 58, p. 43-64, 1992.

SCHNEUWLY, B.; DOLZ. J. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado das Letras, 2004.

SCHNEUWLY, B. Le language écrit chez l’enfant: La production des textes informatifs et argumentatifs. Neuchâtel: Delachaux et Niestlé, 1988. p. 29-44.

SILVA. L. N da; LEAL, T. F. Caracterizando o gênero Carta de Reclamação. In: CONGRESSO DE LEITURA – COLE, 16., 2007, Campinas. Anais... Campinas: Unicamp, 2007.

YUNES, E. Tecendo um leitor: uma rede de fios cruzados. Curitiba: Aymará, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.26.1.321-353

Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c) 2017 REVISTA DE ESTUDOS DA LINGUAGEM

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional    

Image result for fapemig

Grant #APL-00427-17 (2018-2019)