Retomadas anafóricas de objeto direto em português brasileiro escrito

Gabriel de Ávila Othero, Camila Schwanke

Abstract


Resumo: Os clíticos acusativos de 3ª pessoa estão em desuso na fala vernacular em português brasileiro (PB), cedendo espaço para outras duas estratégias de retomada anafórica na função de objeto direto: (a) o pronome pleno (‘ele’, ‘ela’) e (b) uma categoria vazia (cf. DUARTE, 1989, 1993; CYRINO, 1997, 2003). A escolha pela retomada anafórica de objeto com pronome ou categoria vazia não é aleatória. A literatura corrente sobre o assunto chama a atenção para o fato de que há uma tendência forte à ocorrência de um fenômeno de distribuição complementar, condicionada por traços semânticos do referente sendo retomado. Há duas hipóteses principais para explicar o fenômeno: (i) a hipótese dos traços de animacidade e especificidade do referente (CYRINO, 1993, 1994/1997; SCHWENTER; SILVA, 2002, entre outros) e (ii) a hipótese do gênero semântico (CREUS; MENUZZI, 2004). Com o objetivo de verificar se essas estratégias relativamente inovadoras e mais comuns em língua falada, a saber, pronomes plenos e objetos nulos, já estão consagradas, ou ao menos presentes de maneira significativa em língua escrita, este trabalho se dedica a uma análise de corpora de jornais populares e de redações escolares. Nossos resultados mostram que o clítico tem a tendência de se manter no discurso escrito. Com relação ao uso do objeto nulo, a hipótese do gênero semântico parece promissora, pois explica o fenômeno de retomada anafórica de uma forma mais econômica, por meio de um único traço, e de uma forma mais natural, pois diz respeito a um processo de concordância entre antecedente e forma anafórica.

Palavras-chave: retomada anafórica; objeto nulo; português brasileiro; língua escrita.

Abstract: The accusative clitics for the third person have fallen into disuse in spoken Brazilian Portuguese giving room to two strategies to recover an anaphoric element in a direct object position for the third person: (a) the use of the ‘full pronoun’ and (b) the use of an empty category. The choice of using a pronoun or a null object is not random. The literature points to the fact that there is a very strong tendency towards a phenomenon of complementary distribution, which is constrained by semantic and discourse features of the referent being recovered. There are two main hypotheses to explain the phenomenon: (i) the features of animacy and specificity of the referent (cf. CYRINO, 1993, 1994/1997; SCHWENTER; SILVA, 2002 among others) and (ii) the semantic gender feature (CREUS; MENUZZI, 2004).In order to verify whether these relatively innovative strategies, i.e. full pronouns and null objects, have already been established, or at least are present in written standard language in a significant way, we analyze corpora from popular newspapers and from school essays. Our results show that the clitic pronoun remains in written discourse. When it comes to the null object, the assumption of semantic gender feature seems promising, because it explains the anaphoric recovery phenomenon in an economic way, from a single feature, and in a more natural way, as it concerns an agreement process between the preceding element and the anaphoric form.

Keywords: anaphor; null object; Brazilian Portuguese; written language.


Keywords


anaphor; null object; Brazilian Portuguese; written language

References


AMARAL, L. A. A forma do objeto direto em português – uma análise motivada pela topicalidade. In: CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA, VIII, 2004. Anais... Rio de Janeiro: UERJ, 2004.

AYRES, M. R. Aspectos condicionadores do objeto nulo e do pronome pleno em português brasileiro: uma análise da fala infantil. 2016. 63f. Dissertação (Mestrado) – PUCRS, Porto Alegre, 2016.

BAGNO, M. Gramática pedagógica do português brasileiro. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

BECHARA, E. Gramática Escolar da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Lucerna, 2006.

CAMARA JR., J. M. Princípios de Linguística Geral. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1959.

CASAGRANDE, S. A aquisição do objeto direto anafórico em português brasileiro. 2007. Dissertação (Mestrado) – UFSC, Florianópolis, 2007.

CASAGRANDE, S. Restrições de ocorrência do objeto direto anafórico no Português Brasileiro: gramática adulta e aquisição da linguagem. ReVEL, edição especial, n. 6, p. 131-163, 2012.

CREUS, S; MENUZZI, S. O papel do gênero na alternância entre objeto nulo e pronome pleno em português brasileiro. Revista da ABRALIN, Florianópolis, v. 3, n. 1-2, p. 149-176, 2004.

CYRINO, S. M. Observações sobre a mudança diacrônica no português do Brasil: objeto nulo e clíticos. In: ROBERTS, I.; KATO, M. A. (Org.). Português brasileiro: uma viagem diacrônica. Campinas: Ed. da Unicamp, 1993.

CYRINO, S. M. O objeto nulo no português do Brasil: um estudo sintático-diacrônico. 1997. Tese (Doutorado) – UNICAMP, Campinas, 1994. [Publicada em 1997 pela Ed. da Universidade Estadual de Londrina].

CYRINO, S. M.; MATOS, G. VP ellipsis in European and Brazilian Portuguese – a comparative analysis. Journal of Portuguese Linguistics, Ubiquity Press, v. 1, n. 2, p. 177-195, 2002. Doi: https://doi.org/10.5334/jpl.41

CYRINO, S. M.; MATOS, G. Null Objects and VP Ellipsis in European and Brazilian Portuguese. In: WETZWLS, W.; MENUZZI, S.; COSTA, J. (Org.). The Handbook of Portuguese Linguistics. Oxford: Wiley-Blackwell, 2016. Doi: https://doi.org/10.1002/9781118791844.ch16

DUARTE, M. E. L. Clítico acusativo, pronome lexical e categoria vazia no português do Brasil. In: TARALO, F. (Org.). Fotografias sociolinguísticas. Campinas: Pontes/Ed. da UNICAMP, 1989.

DUARTE, M. E. L. Do pronome nulo ao pronome pleno: a trajetória do sujeito no português do Brasil. In: ROBERTS, I.; KATO, M. A. (Org.). Português brasileiro: uma viagem diacrônica. Campinas: Ed. da Unicamp, 1993.

KENEDY, E. O status da norma culta na língua-i dos brasileiros e seu respectivo tratamento na escola: algumas contribuições de estudos formalistas à educação. In: GUESSER, S. (Org.). Linguística: pesquisa e ensino. Boa Vista: EDUFRR, 2016.

MATOS, G.; CYRINO, S. Elipse de VP no português europeu e no português brasileiro. Boletim da Abralin, v. 26, número especial, 2001.

MILESKI, I. Uma discussão sobre condicionamentos semânticos do uso do objeto nulo no português brasileiro. Via Litterae, Anápolis, v. 6, n. 2, 2014.

MONTEIRO, J. L. Pronomes pessoais. Fortaleza: Edições UFC, 1994.

NUNES, J. Direção de cliticização, objeto nulo e pronome tônico na posição de objeto em português brasileiro. In: ROBERTS, I.; KATO, M. (Org.). Português Brasileiro: uma viagem diacrônica. Campinas: Ed. da Unicamp, 1993.

OLIVEIRA, S. M. Objeto direto nulo, pronome tônico de 3ª pessoa, SN anafórico e clítico acusativo no português brasileiro: uma análise de textos escolares. ReVEL, v. 5, n. 9, 2007.

OTHERO, G. A.; AYRES, M. R.; SCHWANKE, C.; SPINELLI, A. C. A relevância do traço gênero semântico na realização do objeto nulo em português brasileiro. Working Papers em Linguística, UFSC, v. 17, n. 1, p. 64-85, 2016. Doi: http://dx.doi.org/10.5007/1984-8420.2016v17n1p64

OTHERO, G. A.; CARDOZO, R. W. A ordem pronominal em português brasileiro: da ênclise à próclise, do clítico ao tônico (or There and Back Again, a Word Order’s Holiday). Fórum Linguístico, UFSC, v. 14, n. 1, p. 1717-1734, 2017. Doi: http://dx.doi.org/10.5007/1984-8412.2017v14n1p1717

TARALLO, F. Relativization Strategies in Brazilian Portuguese. 1983. Dissertation (Doctoral) – Univ. of Pennsylvania, Philadelphia, 1983.

PIVETTA, V. Objeto direto anafórico no português brasileiro: uma discussão sobre a importância dos traços semântico-pragmáticos– animacidade/especificidade vs. gênero semântico. 2015. Dissertação (Mestrado) – UFRGS, 2015.

SCHWENTER, S.; SILVA, G. Overt vs. null direct objects in spoken Brazilian Portuguese: a semantic/pragmatic account. Hispania, The American Association of Teachers of Spanish and Portuguese v. 85, n. 3, p. 577-586, 2002.

SCHWENTER, S. A.; SILVA, G. Anaphoric direct objects in spoken Brazilian Portuguese: semantics and pragmatics. Revista Internacional de Lingüística Iberoamericana, Iberoamericana Vervuert, v. 2, p. 109-133, 2003.

VIEIRA-PINTO, C. A.; COELHO, I. L. O objeto direto anafórico de SN: uma análise da fala de Florianópolis em duas sincronias. ReVEL, edição especial, n. 13, p. 245-263, 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.26.1.147-185

Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c) 2017 Gabriel de Avila Othero, Camila Schwanke

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional    

Image result for fapemig

Grant #APL-00427-17 (2018-2019)